quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

memórias literárias - 1168 - CHOREI POR VOCÊ...

 CHOREI POR

VOCÊ...
 
Chorei por você quando reencontrei-lhe após tantos anos.
 
Chorei ao ver as marcas que o tempo deixou em seu rosto, os desastres que o pecado deixou em seu corpo e a perdição com que a sua rebeldia contra Deus deixou em sua alma.
 
Chorei por ver que não firmou-se na Verdade. Você, que um dia confessou-se um pecador, arrependido da vida que levava, agora voltou ao próprio vômito. Você, que admoestava os demais para que seguissem ao Senhor e não vivessem no pecado, hoje tornou-se pior do que todos e é um terrível apóstata!
 
Chorei por vê-lo novamente nas drogas e bebidas. Lembro-me quando implorava ao Senhor por perdão e por restauração. Lembro-me quando disse ter encontrado a Verdade que lhe libertara! Agora vejo-o dominado por um cigarro de maconha, uma pedra de crack e uma caixa de "corote". Vejo-o caído na sarjeta, enquanto esposa e filhos padecem de fome e dos hematomas de sua violência!
 
Chorei ao vê-lo renegando ao Senhor Jesus Cristo, a quem se entregou um dia para seguir. Encontro-lhe com imagens fundidas penduradas no pescoço e com a pele tatuada com dragões, estrelas e caveiras. Tem ferragens em toda protuberância de sua pele e em cada vão de seu rosto, bem como nas partes mais obscuras do seu corpo. Vejo-o metido em sociedades secretas, no esoterismo e cheio de sinais de identificação que só vocês conhecem. Jesus não faz mais parte de seu panteão idólatra. Você o abandonou. O seu deus hoje é o pecado, é Satanás!
 
Chorei ao vê-lo em prostituição. Um jovem tão saudável e promissor, bem nascido e que tinha tudo para ser um modelo de cidadão, de homem de família, de pai e de amigo, hoje é um adúltero, correndo dos maridos traídos que desobriram a sua promiscuidade com as esposas desleais. Vejo-o doente, cheio de consequências de sua promiscuidade mórbida. Vejo-o atirado na mais vil concupiscência. Você participa de tudo quanto é contrário à natureza e faz-se ator das produções mais repugnantes que se possa imaginar. Jamais um pai ou uma mãe pensaram em ver um filho tornar-se tão degradante quanto você se tornou!
 
Chorei ao vê-lo tão diferente do que o conhecia quando estava no evangelho do Senhor. Lembro-me de seus sonhos de felicidade. Lembro-me das canções que cantava, dos instrumentos com os quais louvava e das palestras que dava aos que participavam de sua comunidade. Hoje você não se parece nem com um humano normal, quanto mais com um cristão! Aliás, você fez tropeçar na fé a muitos outros que lhe estimavam. Assim como Pedro influenciou outros apóstolos a voltar às velhas redes da pesca, você levou para o mundo os jovens com quem trabalhou nos projetos cristãos. Você escandalizou!
 
Chorei ao ver a sua resistência ao arrependimento. Você não tem consciência do pecado. Para você pecado é apenas uma falha que precisa ser corrigida. Você não tem receio das contas que terá que ajustar com o seu Criador. Você despreza a Palavra de Deus, cujo conteúdo foi tantas e tantas vezes lido e, infelizmente hoje, combatido. Você é um pobre perdido! Usa das redes sociais para rir do Senhor, rir das igrejas, fazer palhaçada com o Reino de Deus e tecer acusações de quem não honra a Deus. Mas faz muito pior do que isso, sendo o rasgado a falar do roto, o maltrapilho a criticar o mendigo! Você causa repugnância!
 
Chorei. E chorei muito, porque não queria vê-lo assim! Estive em sua conversão e em seu batismo e exultei quando o vi a crescer. Eu pensava que você era terra fértil, onde a semente nascera e produzira cento por um. Mas não passou de semente nascida na rocha, sem terra e sem solo, não suportando o sol das tribulações e das lutas da vida. A sua fé foi temporã, foi mera neblina, inconsistente, uma falsa conversão. Você não foi salvo!
 
Sim, meu velho conhecido. Eu choro por você. E peço a Deus para que piedosamente lhe encaminhe a uma situação em que terá que erguer os seus olhos ao céu, clamando por misericórdia e graça. Terá que buscar ao Senhor em arrependimento e reconciliação. Terá que confessar os seus pecados e abandoná-los. Terá que voltar à Casa do Pai. Ainda que isso lhe traga lágrimas, ainda que lhe custe a saúde ou a própria vida, eu prefiro que a disciplina de Cristo lhe alcance em vida, do que o juízo de Jesus lhe condene ao Inferno! Aqui ainda há uma segunda oportunidade. Lá não!
 
Sim. Eu ainda choro por você. São lágrimas de amor e de tristeza, mas ainda lágrimas de esperança. Lágrimas de saudade daquele bom crente que conheci, a quem apresentei o evangelho, mas lágrimas de clamor, por quem oro para que volte ao Senhor, como o pródigo voltou à casa de seu pai.
 
Não quero ter que chorar junto ao seu túmulo, sabendo que partiu em pecado, em rebelião, em afronta contra Aquele que um dia lhe estendeu a mão. Depois que falecer qualquer lágrima, prece ou desejo será vão e inútil. Mas ainda posso clamar por você e ter alguma esperança. Eu choro por você, meu velho conhecido!
 
Volta pra Jesus!
 
Wagner Antonio de Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

memórias literárias - 1175 - TERRA ARRASADA

  TERRA ARRASADA 1175   Terra arrasada. Escombros do que antes era um mundo. Hoje contamos os mortos. Também contamos os que vão morre...