sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

memórias literárias - 1169 - PRESTE ATENÇÃO ...

 PRESTE

ATENÇÃO...
 
Há vinte e cinco anos fui visitá-lo. Sua esposa recebeu-me na sala.
 
- Eu gostaria de conversar um pouco com o pastor.
 
- Ah, irmão, será um prazer para ele! Aguarde só um minutinho, ele está em reunião.
 
- Perdoe-me, irmã, eu não quero atrapalhar. Quando ele estiver só eu volto!
 
- Não é incômodo algum! E para encontrá-lo só será impossivel. Ele está em reunião com Deus!
 
- Ahh...
 
Ele saiu do seu escritório com o rosto a brilhar pela glória obtida em sua comunhão diária. Eu jamais me esqueci disto!
 
Passaram-se dez anos. Eu novamente fui visitá-lo.  Ele recebeu-me à porta. A esposa estava na casa da filha. Ele preparara uma chávena de chá para mim com algumas torradas.
 
- Meu irmão, que bom que veio! Eu tenho uma reunião e gostaria de tê-lo comigo!
 
- Reunião, pastor? E sobre qual assunto e com quem?
 
- Uma reunião com Deus. Sobre diversos assuntos. Pode participar comigo?
 
Eu havia me esquecido da visita anterior. Vi aquele herói ajoelhar-se na sala e abrir a alma diante do Calvário aos pés de Jesus Cristo. Eu tremia e sentia o coração palpitar forte. Não tinha medo; tinha respeito e temor! Era como se Deus ali estivesse!
 
Outros dez anos seguiram-se. Sua esposa partira para Deus. Mas ele estava vivo. Eu fui vê-lo. Encontrei-o acamado. Tudo limpinho, perfumado, e uma face brilhante, mesmo debilitado.
 
- Ah, irmão, como é bom receber a sua visita. Vá tomar um cafezinho. Minha filha preparou com carinho.
 
Depois do café fui até ele cantar com o meu violão. Ele cantou baixinho, emocionado. Em seguida disse:
 
- Ora comigo? Eu tenho reunião agora!
 
Então falei:
 
- Pastor, como é possível manter acesa a chama dessa comunhão intensa com Deus? Não importa a época, o tempo, o senhor está sempre assim, pronto para orar e conversar com o Senhor!
 
- Meu filho, quanto mais o tempo passa mais eu me aproximo do glorioso dia do encontro que terei com Ele. Antes eu O conhecia de ouvir falar. Mas, depois de minha conversão, decidi que eu viveria para Ele de corpo e alma. E agora, que estou prestes a partir, amo-O cada dia mais e escuto a Sua voz de forma muito clara e maravilhosa! Orar é o alimento de minha alma!
 
- Por que eu não sinto isso, pastor? Por que a minha vida íntima é tão árida? Muitas vezes eu oro porque preciso, oro porque tenho que cumprir a minha obrigação! Não consigo ouvir a voz de Deus! Será que Ele não me ouve?
 
- Filho, você escuta um sabiá que neste momento está cantando lá fora?
 
Eu parei, tentei ouvir, olhei pela janela, e disse:
 
- Não, não ouço. Que sabiá?
 
- Silencie a mente e preste atenção no som que vem lá de fora.
 
Eu fiz isso. Fiquei quieto, prestei atenção. Ouvi latidos de cachorros, miados de gatos, um cavalo a galopar e o cantar de alguns galos. Mas, depois de três minutos consegui escutar mui distante, no galho de alguma árvore, um sabiá que cantava e cantava! Era lindo!
 
- Sim, pastor! Estou ouvindo! Está tão distante! Mas agora está tão claro para mim! Por que eu não o ouvi de imediato?
 
- Porque não o buscava. Ele estava lá a cantar, mas o seu ouvido não esperava ouvi-lo. Agora que lhe disse que ele existia e que estava a cantar você o localizou em meio aos sons diversos. Assim é a vida com Deus, meu filho. Se não  fizermos silêncio interior não ouviremos ao Senhor. Se não aquietarmos a alma, aquietarmos o coração e se não pararmos de ditar as palavras para que Deus as diga jamais O ouviremos! "Fala, Senhor, que o Teu servo ouve!"; "Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus"; "Quem tiver ouvidos para ouvir, ouça!". Vamos orar então?
 
E, naquele momento, eu fiz a oração mais silenciosa de minha vida. E tive a resposta mais audível de toda a minha existência. Deus falara comigo! Ao levantar-me  tornei-me um novo homem. Tornei-me alguém que aprendeu a orar!
 
Sinto saudades daquele homem que se reunia com Deus o tempo todo! Um dia espero vê-lo no Céu, para onde ele foi se encontrar com o Senhor. Enquanto esse dia não chega, vou à audiência diária falar com o Pai Celestial em nome de Jesus Cristo, no poder do Espírito Santo.
 
Quer orar comigo?
 
Wagner Antonio de Araújo
 
(obs: literatura ficcional, baseado em fatos reais somados

Nenhum comentário:

Postar um comentário

memórias literárias - 1175 - TERRA ARRASADA

  TERRA ARRASADA 1175   Terra arrasada. Escombros do que antes era um mundo. Hoje contamos os mortos. Também contamos os que vão morre...