quinta-feira, 4 de março de 2021

memórias literárias - 1171 - BEM CONHECIDO

 BEM

CONHECIDO
 
1171
 
Carlos é bem conhecido no meio esportivo. Ele é amigo de diversos jogadores de futebol, empresários de clubes, chefes de torcida, patrocinadores de eventos etc. Seu nome consta da lista de celebridades da área. A sua opinião é solicitada em acontecimentos relevantes dos esportes e ele é muito popular. Carlos tem muitos amigos no esporte.
 
Meire é celebridade na área de modas. Ela está presente em muitos desfiles importantes dos costureiros que ditam a moda para as estações. Ela tem canais muito populares onde faz vídeos que ensinam a maquiagem, a etiqueta, a maneira de se vestir e como se portar nas altas rodas de eventos chiques. Ela é muito conhecida dos famosos e pode considerar-se uma celebridade.
 
Martins é político nato. Não perde uma reunião de seu partido, está em todas as inaugurações de obras públicas de sua cidade. Conquanto não tenha sido eleito em várias vezes em que se candidatou, nunca deixou de ser assessor parlamentar ou secretário de algum vereador ou deputado. Recentemente ganhou a eleição para um mandato de quatro anos e dá entrevistas a todos os jornais da região. Tornou-se conhecido nacionalmente e já se cogita a sua candidatura para o Congresso Nacional. Ele é muito conhecido.
 
Peixoto é um intelectual. Possui vários bacharelados, mestrados, três doutorados, vários títulos nacionais e internacionais e tem trabalhos publicados em quase todas as grandes universidades em sua área do saber. Seus artigos são respeitados e as suas opiniões consideradas. Não há um evento acadêmico no estado onde ele não seja convidado ou para uma palestra ou para compor a mesa dos mestres. Já participou de inúmeras bancas para titulação de novos mestres e doutores e tem até um salão acadêmico com o seu nome. Ele é bastante popular.
 
E o Silva? "Que Silva? Silva de quê? De nada? Não o conheço. Deve ser um inexpressivo, alguém desconhecido, um ser comum." Sim, é verdade. Silva não é conhecido nem no mundo esportivo, nem no mundo acadêmico, nem no mundo das celebridades e nem no mundo dos políticos. Silva é um ninguém, um José de Nada. Ele é mais um na multidão dos anônimos.
 
Um dia Silva adoeceu. Ele foi internado num hospital da cidade e convalesceu por vários dias. O seu estado piorou e ele ficou entubado. No último dia de vida ele recebeu a visita de seus familiares. Teve a súbita melhora antes da morte, voltando à consciência. E ali, diante de médicos e enfermeiras, num êxtase de fé e contrição, fez a sua última oração:
 
"Senhor Deus, em nome de Jesus Cristo e no poder do Espírito Santo eu me entrego em Tuas mãos! Aleluia!" 
 
Um fenômeno foi testemunhado pelos presentes: a sala clareou-se, Silva sorriu para o alto, estendendo a mão, e uma voz foi ouvida por todos: "Bem-vindo, muito amado Silva!" E adormeceu o sono da morte, fazendo romper entre os presentes uma emoção sem precedentes.
 
Silva, o anônimo, Silva, o ilustre ninguém  diante da sociedade pública, era muito, muito conhecido no Céu! Os anjos sabiam quem ele era e como vivia. E Jesus, o seu Salvador, o conhecia no íntimo. Silva, um homem comum aqui, era muito popular no Céu pela seriedade com que vivia com Deus. Agora ele fora para o Lar, onde estaria com quem sempre quis estar.
 
E o meu leitor? Sua vida é popular, é conhecida, possui redes sociais, círculos de amizade, grupos profissionais, esportivos, políticos e de celebridades, onde seu nome figura como alguém muito expressivo? Pois saiba que, melhor do que ser popular neste mundo é ser conhecido no Céu, pelos anjos de Deus que estão sempre junto aos homens, e por Deus, que conhece o nosso assentar e o nosso levantar, que sabe o que fazemos quando ninguém vê, que considera a seriedade da vida que levamos e a obediência que temos para com a Sua Palavra, a Bíblia Sagrada. Ele conhece os joelhos de quem ora, as lágrimas de quem clama, o êxtase de quem louva, o serviço de quem serve! Ele sabe quem são os que tomam a sua cruz e seguem após Jesus. Estes se tornam muito, muito conhecidos no Céu. E, quando partirem, terão não uma simples morte, mas uma gloriosa partida, um encontro monumental, um bem-vindo sem igual! Mesmo que ninguém conheça esses fiéis, o Céu conhece e saberá identificá-los plenamente, recompensando-os e conduzindo-lhes às mansões celestiais.
 
Eu quero ser bem conhecido lá no Céu, ainda que seja desprezado aqui. Você quer também?
 
Wagner Antonio de Araújo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

memórias literárias - 1175 - TERRA ARRASADA

  TERRA ARRASADA 1175   Terra arrasada. Escombros do que antes era um mundo. Hoje contamos os mortos. Também contamos os que vão morre...