Translate

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

memórias literárias - 353 - LAMENTO PRESENTE

LAMENTO PRESENTE


 

 
LAMENTO
PRESENTE
 
353
 
Relevância.
Qualidade.
Excelência.
Honestidade.
Paciência.
Perseverança.
Convicção.
Altruísmo.
Dedicação.
 
Qualidades quase desaparecidas na vida da atual sociedade brasileira, inclusive da chamada sociedade cristã.
 
As qualidades acima são sublimes, são dignas, são nobres, são geradas por Deus na alma humana.
 
Mas o mundo perverteu-se de tal forma que estamos no tempo citado pelo profeta: Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! (Is 5:20)
 
A relevância do que fazemos consiste em gastar horas em banalidades com jogos de pokemón e curtidas em facebook, enviar figurinhas em whatsapp e opinar do que não sabemos. Vivemos no whatsapp, nas redes sociais e fora da vida!
 
A qualidade de nossas atividades constrói pistas de ciclismo que não resistem à ressaca do mar, asfalto que se esburaca com quinze dias de uso, adolescentes formados que não sabem falar ou escrever e igrejas que não conhecem nada da Bíblia.
 
A excelência consiste em assistir a todas as partidas do Brasileirão ou dos jogos olímpicos; saber o nome de cada personagem de Games Of Thrones, conhecer os melhores bares da cidade e as melhores marcas de celulares. Ou então conseguir professores de música que não sabem ler pautas, só cifras.
 
Honestidade é assumir que se costuma mentir; é assumir que faz uma nota fiscal maior para receber algo mais do patrão. Honestidade é não esconder seus vícios e erros e sair do armário . Honestidade é ser medíocre e ter orgulho disto.
 
Paciência é esperar dois segundos apenas antes de buzinar para o carro da frente que não saiu rapidamente quando o semáforo abriu; é aguardar um minuto antes de gritar com o garçom que não trouxe o lanche; é reclamar quando o culto termina cinco minutos mais tarde; mas paciência também é esperar cinco horas na fila para entrar no estádio e assistir o jogo de futebol, cujo ingresso custou R$500,00, ou gastar todo o salário no i-phone novo que acabou de ser lançado em New York.
 
Perseverança é continuar a gastar moedas na máquina de caça-níqueis, ainda que isto custe o salário do mês. Perseverança é manter-se conectado até que o vídeo pornográfico seja baixado e assistido. Perseverança é criar um sistema que engane a família, o chefe e a igreja, levando vantagens e posando como herói. Perseverança é esperar colher o melhor quando só se planta o pior.
 
Convicção é acreditar em tudo o que a galera acredita, é assumir uma bandeira falida, mesmo sabendo que é errada. Convicção é pensar nada e ser guiado pelos que pensam por si. Convicção é fazer o que todo mundo faz e não ter a menor curiosidade de perguntar se aquilo é verdadeiro. Convicção é acreditar que a vida é isso mesmo e que não há outra alternativa.
 
Altruísmo é manter a tradição ou assumir qualquer coisa que a moda ditar, sem questionar. É crer que a libertinagem, a sensualidade, a lascívia e a mentira têm suas virtudes e criar as crianças nessa sopa fétida de mentiras, de linguagem chula, de imoralidades e de violência. Altruísmo é ser contra a guerra e não perder nenhum filme de Velosos e Furiosos.
 
Dedicação é aplicar-se de corpo e alma no tempo presente, vivendo o espírito da presente geração, assumindo suas cores, seus piercings, suas tatuagens, suas normas, suas éticas, sua música e ruídos, sua forma de tratar, sua destruição da família e sua distância de Deus. Aliás, Deus é uma massinha de modelar que cada um modela do jeito que quiser, inclusive as novas versões da Bíblia.
 
Tudo isso junto, mais a ajuda de igrejas e pastores incrédulos, ateus ou endemoninhados, gera o mundo em que estamos vivendo. Temos igrejas sim, e muitas! Aliás, criam-se igrejas a cada minuto, com ministros que rompem com as suas denominações ou crentes leigos que montam suas estruturas num canal de youtube, passando a transmitir pregações e arrecadar dinheiro, chamando isso de ministério. Pastores homossexuais, pastoras macumbeiras, curandeiros semi-espíritas, crentes idólatras, igrejas esotéricas. Já há pastores recebendo psicografia de crentes falecidos!
 
Neste tapete encontramos a crise brasileira. Hoje mais recursos públicos entraram para as Olimpíadas, esse altar da idolatria grega com a chama maldita da pira que pirou o Brasil, gastando fortunas para desfilar com o fogo do panteão de Atenas. Enquanto isso não há médicos para atender aos pequeninos prematuros que nascem sem assistência, nem aos idosos que padecem de insuficiência, nem dos enfermos que sofrem com a ineficiência. Militares desaparecem, policiais não ganham e não têm recursos; professores não têm pagamentos e o dinheiro desaparece do mercado. Só há ALUGA-SE ou VENDE-SE, placas penduradas aos milhares pelas ruas das cidades. O dinheiro? Está no bolso dos políticos, nas mãos dos empreiteiros, nas orgias dos poderosos, nas contas dos banqueiros, nas administrações sindicais. Também no bolso dos embusteiros que inventam poderes xamânicos para iludir os incautos, prometendo curas que nunca chegarão.
 
Tempos do fim. Um palco já quase preparado. Os tentáculos do Leviatã estendem-se pela mídia, saindo pelos celulares, pelas TVS, pelos sites e pelos sistemas de comunicação. Esses tentáculos penetram nos cérebros, mantendo uma prisão profunda, iludindo os que não pensam. O poder se coloca à serviço dele, mantendo a criminalidade e a violência nas ruas e a justiça distante dos que precisam. Nos púlpitos os ministros calças-curtas tornaram-se astros, vestindo La Coste, saindo nas revistas de celebridade e mantendo uma comunidade satisfeita com as bolotas de porcos que satisfazem a platéia como docinhos e pipocas para entreter. Enquanto isso o pecado norteia, corrompe, destrói e afasta a ação do Espírito Santo nos corações. O Espírito poderia sufocar Satanás num átomo, mas a adoração humana não seria voluntária; seria robótica, e isto desumanizaria a criação e a autêntica devoção. Por isso o tempo está chegando ao fim e o prumo divino se estende. Os quatro anjos dos ventos, citados em Apocalpse, já se posicionam e a grande batalha se aproxima. O terrorismo invade o resto do mundo, a fome mata milhões, os mosquitos proliferam, os geneticistas criam mostros de laboratório e os governos destróem as economias. O clima enlouquece, a seca avança, o calor já chega a 50 graus e as abelhas desaparecem do planeta.
 
Quero terminar esse lamento com as palavras do Apóstolo Pedro, inspiradas pelo Espírito Santo (2 Pedro 3.9-18):
 
10. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.
11. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade,
12. Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão?
13. Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.
14. Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.
15. E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada;
16. Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.
17. Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza;
18. Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém
 
 
Wagner Antonio de Araújo

05/08/2016

2 comentários:

  1. Mais uma vez dizer que concordo com tudo neste artigo lapidar, é mera redundância.
    O que dizer então?
    Que o Senhor que o chamou, continue a usar seus talentos para despertar, alertar e transformar vidas.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez dizer que concordo com tudo neste artigo lapidar, é mera redundância.
    O que dizer então?
    Que o Senhor que o chamou, continue a usar seus talentos para despertar, alertar e transformar vidas.

    ResponderExcluir