Translate

sexta-feira, 8 de junho de 2018

memórias literárias - 674 - AS NOSSAS OBRAS

AS NOSSAS
OBRAS

E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem. (Ap 14:13)

Enquanto voltava de carro, ouvia uma linda poesia na Rádio Naftalina Web, na voz da Professora Audiva Sanches, a falar sobre Myrthes Mathias. Pensei nas obras que os servos de Deus produzem no Reino do Senhor. Pensei nas longas labutas, nos ministérios, no serviço ao próximo, na dedicação incondicional, na fidelidade. Teria isso algum sentido ou traria alguma recompensa?

As minhas conclusões foram as seguintes:

1)     OBRAS NÃO VALEM NADA PARA A NOSSA SALVAÇÃO – Assim diz a Escritura Sagrada: (a salvação) não vem das obras, para que ninguém se glorie; (Ef 2:9).
2)     NOSSAS OBRAS SÃO MÁS – As melhores que possamos produzir não valem mais do que materiais descartáveis: Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia. (Is 64:6)
3)     ELAS NÃO NOS SALVAM – Fazer boas coisas não contam pontos para a vida eterna. E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. (Gl 3:11)
4)     A OBRA DE DEUS É CRERMOS EM JESUS CRISTO - Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou. (Jo 6:29). Isto significa crer em tudo aquilo que Cristo fez na cruz: pagou por nossos pecados, fez a nossa reconciliação e ressuscitou para a nossa salvação. A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. (Rm 10:9)
5)     APÓS A CONVERSÃO, AS OBRAS TÊM GRANDE VALOR – Elas não salvam, mas são produzidas em conseqüência da salvação; são a expressão de nossa gratidão e transformação em Cristo. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. (Ef 2:10); Porque Deus não é injusto para se esquecer da vossa obra, e do trabalho do amor que para com o seu nome mostrastes, enquanto servistes aos santos; e ainda servis. (Hb 6:10)
6)     AS OBRAS TERÃO RECOMPENSAS - Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho. (1Co 3:8).
7)     HÁ DIVERSOS TIPOS DE COROAS – São os prêmios que o Senhor concederá, na eternidade, pelo serviço feito por Ele e em nome dEle. Coroa da vida, de glória, da justiça etc.
8)     DEUS VÊ EM SECRETO, SEM NECESSIDADE DE PUBLICIDADE - Para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente. (Mt 6:4)
9)     QUEM BUSCA HOMENAGENS AQUI ANTECIPA E DESVALORIZA A RECOMPENSA NA ETERNIDADE – Jesus foi claro: o Pai vê em secreto, não é preciso que os outros saibam. Quem faz as coisas para ser homenageado, honrado, louvado, já antecipou a recompensa, perdeu-a na eternidade. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. (Mt 6:2).
10)                      HOMENAGENS ESPONTÂNEAS, FEITAS COMO GESTOS DE AMOR, NÃO ESTRAGAM A RECOMPENSA CELESTIAL - Portanto, dai a cada um o que deveis: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra. (Rm 13:7). Elas não foram buscadas; foram merecidas e dadas como expressão de amor, sem a interferência do desejo pessoal.
11)                      ATÉ A RECOMPENSA SERÁ UM MEIO DE LOUVAR A DEUS – Como não sabemos qual a modalidade e a maneira desta recompensa, podemos imaginá-la como a coroa dos anciãos em Apocalipse. Eles receberam coroas; e, no ato de culto ao Eterno, depositaram-na aos Seus pés. Que privilégio ter algo para oferecer a Deus como prova de amor e de reconhecimento! O que ganharmos ofertaremos a Deus, dizendo-Lhe: Tu és digno! Os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, e adoravam o que vive para todo o sempre; e lançavam as suas coroas diante do trono” (Ap 4:10)
12)                      BOAS OBRAS NA VIDA CRISTÃ SÃO FRUTOS ETERNOS - Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. (1Co 3:14)

Bendito seja Deus, que não deixa de olhar para tudo o que o crente faz, seja em público, seja em privado. Bendito seja Deus, que jamais se esquece de nossa dedicação. Bendito seja Deus, que aceita e recompensa seres tão pecadores e infiéis, imerecedores de qualquer dádiva ou gratificação. Bendito seja Deus, que nos gerou novamente pela graça e nos deu uma vida altruísta e disponível para servir! Sabendo que recebereis do Senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis. (Cl 3:24)

Sei que aqueles crentes que partiram estão junto de Deus e que, naquele dia, receberão a recompensa; até aqueles que serviram sem que ninguém os notasse ou recompensasse. Naquele dia a justiça prevalecerá e o Senhor glorificará o Seu Nome. Aleluia!

Wagner Antonio de Araújo
08/06/2018

terça-feira, 5 de junho de 2018

memórias literárias - 673 - GERADOS PARA QUEM?

GERADOS
PARA QUEM?
 

673

E outra vez: Porei nele a minha confiança. E outra vez: Eis-me aqui a mim, e aos filhos que Deus me deu. (Hb 2:13)
Enquanto orávamos ao Senhor ontem à noite, Deus deu à Elaine e a mim a mesma convicção: não sabemos se os nossos filhos seguirão a Jesus quando crescidos; mas com certeza não geramos filhos para o Inferno. Infelizmente, neste momento, há uma multidão de pais crentes que choram a frieza espiritual de seus descendentes. Filhos que foram criados debaixo da orientação da Palavra de Deus, que experimentaram um ambiente espiritual na vida de seus pais, que viram o poder do Senhor ao longo de anos. Contudo, ao chegarem à maioridade, declararam independência e rebelião, abandonando o evangelho e, não raras vezes, assumindo bandeiras que não são divinas, mas do ventre. Porque os tais não servem a nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos simples. (Rm 16:18)
"Onde erramos?", perguntam, em lágrimas, tais pais. Teriam sido rudes demais, condescendentes, talvez; onde erraram? Geralmente soa dolorida a frase bíblica, a promessa do Senhor: Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. (Pv 22:6). Lembro-me do tempo em que não era casado e nem tinha filhos; considerava os adolescentes da igreja como meus filhos espirituais. Via alguns a desviarem-se dos ensinamentos que diuturnamente receberam na igreja, e sofria penosamente. "Senhor, tanto ensinei, procurei admoestar, exortar, dar o exemplo; onde foi que eu errei?" Dorothy Whitehead, missionária e amiga, de saudosa memória, disse-me: "Wagner, Deus criou Adão e Eva, e naquele primeiro casal, a primeira dor de um pai, ao ver os filhos rebeldes; Ele compreende a sua dor". Sim, de fato, Deus não errara; Ele fizera tudo perfeito. E por que os seus filhos recém-criados rebelaram-se? Por causa do pecado, essa desgraça da má escolha que fizeram. E, diante disto, pagaram caro, não apenas eles, mas a descendência toda. O Pai só aceita obediência voluntária, que não é natural ao ser pecador. O homem tende a rebelar-se. Assim, ao contemplar-nos em tão vil perdição, Ele mesmo estabeleceu um meio de salvar-nos: a redenção em Cristo. Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), (Ef 2:5)
Os nossos filhos também escolherão o seu destino. Eles aprenderão conosco o caminho da vida. Caberá a eles, entretanto, segui-lo. Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, (Dt 30:19). Não sabemos qual serão as suas escolhas. Mas podemos orar por eles! E, em oração, podemos dizer com convicção e com resolução: "Santo Pai, não geramos filhos para o Inferno; tenha piedade de nossos filhos e conduz a cada um deles ao arrependimento e à conversão verdadeira! Gera-os de novo em Cristo! Salva os nossos filhos!" Tal oração de um pai ou de uma mãe tem muito valor para Deus. Não sabemos até onde poderá intervir e ser eficaz, pois não conhecemos nem o plano divino e nem o coração dos filhos em sua inteireza. Mas conhecemos o que diz a Escritura Sagrada: Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele. (Jo 13:15);  A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. (Tg 5:16); E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares. (Gn 32:26).
Oh, Deus, fortalece o coração dos pais que sofrem pela vida inconversa de seus filhos e atende as súplicas daquelas almas ansiosas! Concede que cada filho que foi gerado debaixo de uma legítima dedicação ao Senhor venha efetivamente aos pés do Senhor. E outros, cujos pais converteram-se depois, sejam igualmente salvos pela misericórdia Tua. Em nome de Jesus, amém!

Wagner Antonio de Araújo
05/06/2018
(mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite de sua diretora, irmã Ana Maria Suman Gomes).
prwagneraa@gmail.com
http://www.prwagnerantoniodearaujo.blogspot.com.br/
http://www.radionaftalinaweb.com/
https://www.facebook.com/wagnerantoniode.araujo.35
whatsapp: 011-99699-8633

segunda-feira, 4 de junho de 2018

PR. WAGNER ANTONIO DE ARAÚJO DEIXA A BOAS NOVAS DO RODOANEL


PASTOR WAGNER ANTONIO DE ARAÚJO DEIXA A BOAS NOVAS DO RODOANEL!!!

início em 1996


Término em 2018

A MINHAETERNABOAS NOVAS

  
07 de novembro de 1996. Nascia, no quintal da casa de um irmão, a congregação que daria origem à IGREJA BATISTA BOAS NOVAS. Trinta e três irmãos convidaram-me para pastoreá-los. Não havia local, nem bens, nem nada. Um grande desafio. Aconselhei-me com pastores veteranos e aceitei o convite. Alugamos uma garagem abaixo de uma avícola. Deus estava presente!




04 de novembro de 2000. No segundo imóvel da nossa história, à Rua Boaventura Valério de Miranda, no Novo Osasco, Osasco SP, era organizada a IGREJA BATISTA BOAS NOVAS. Um dia festivo, alegre, maravilhoso! Deus estava presente!




Em 15 de agosto de 2010 celebramos o último culto no terceiro endereço alugado, Avenida Internacional, 598, no Santo Antonio, Osasco, SP. Dali partimos para as residências dos irmãos. Não tínhamos condições de pagar um local. Deus estava presente!






Em 01 de outubro de 2011 compramos o terreno onde passaria a reunir-se a IGREJA BATISTA BOAS NOVAS, à Rua Urano, 99, Jardim Novo Horizonte, no município de Carapicuíba, SP. Deus estava presente!





Em 03 de dezembro de 2011 inauguramos o salão de cultos, a CASA 01, na propriedade adquirida por nossa igreja. Um culto inesquecível, festivo, emocionante. Deus estava presente!



Em 13 de fevereiro de 2014 celebramos a assinatura do contrato de construção da laje onde seria erguida a capela de madeira da IGREJA BATISTA BOAS NOVAS. Deus estava presente!



Em 31 de maio de 2014, juntamente com os irmãos norte-americanos, inauguramos a capela de madeira da IGREJA BATISTA BOAS NOVAS. Deus estava presente!
  


Em 21 de junho de 2015 inauguramos a RAMPA PARA O ESTACIONAMENTO, com o Pr. Timofei Diacov. Deus estava presente!


Em 15 de maio de 2016 inauguramos o berçário da IGREJA BATISTA BOAS NOVAS. Deus estava presente!


Em 11 de setembro de 2016 inauguramos o gabinete pastoral da IGREJA BATISTA BOAS NOVAS. Deus estava presente!


Em 23 de novembro de 2016 conseguimos colocar a rampa que daria acesso à capela da IGREJA BATISTA BOAS NOVAS. Deus estava presente!


Em 22 de dezembro de 2017 inauguramos o piano que ganhamos da Igreja Batista em Vila Pompéia. Deus estava presente!


Em 21 de maio de 2018 preguei o meu último sermão na qualidade de pastor da IGREJA BATISTA BOAS NOVAS. Deus estava presente!




Em 24 de maio de 2018 realizamos uma abençoada reunião da diretoria da IGREJA BATISTA BOAS NOVAS, onde anunciamos o término de nosso ministério à frente da igreja, após 21 anos, seis meses e dezessete dias ou 7.868 dias de maravilhosa oportunidade de serviço ao Senhor e àqueles irmãos! Deus estava presente!




Em 02 de junho de 2018, às quinze horas, em sua sede, a Igreja Batista Boas Novas realizou uma abençoada assembléia extraordinária, onde, pela graça e misericórdia do Senhor, elegeu o seu novo pastor, dando-lhe imediata posse, PR. APARECIDO DONIZETE FERNANDES. Deus estava presente!

Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; (Ec 3:2)

Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto. (Jo 12:24)

Moisés, meu servo, é morto; levanta-te, pois, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel. (Js 1:2)

Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. (1Co 3:6)

Ao darmos início à Missão Batista Boas Novas,não tínhamos qualquer patrimônio físico. Hoje, pela misericórdia de Deus, possui terreno de 600 metros quadrados e um patrimônio estimado em mais de meio milhão de reiais, contando com laje, dependências, mobília e equipamentos. Para chegarmos a isso INÚMEROS AMIGOS E IRMÃOS, atendendo aos meus apelos pessoais, doaram de si e a si próprios, possibilitando, dia após dia, o alcance dos alvos propostos. Pela graça de Deus tudo aconteceu e ali está o vivo testemunho da graça de Deus operando através da vida de tantos. 

À semelhança de Abraão, saio "sem saber para onde vou", mas certo de que o Espírito Santo conduziu-me até aqui; certamente o fará daqui para frente também. Como Paulo posso afirmar que "de ninguém cobicei prata ou ouro", sempre transformando em patrimônio eclesiástico cada centavo que de tantas fontes foram obtidos. Saio sem qualquer patrimônio ou indenização pessoal, sabendo que tudo foi feito para a glória de Deus, e só dEle qualquer recompensa, em havendo, será concedida (e nos Céus).

Deus nos mostrou que era hora de encerrar a nossa participação nesta amada, preciosa e inesquecível igreja. Sábio é perceber a hora de terminar. Deus cuida de Suas igrejas e também de Seus ministros. O querido amigo e pastor Aparecido Donizete Fernandes dará a continuidade. 

Um foguete tem duas ou três fases. Um forte motor leva o artefato do chão até uma determinada altura; mas, terminada a sua tarefa, dá lugar a outro, já preparado, para que inicie a sua tarefa. O primeiro deixa o foguete. Ele fez o que devia fazer. Sem ele o foguete não estaria lá. Mas agora deve dar lugar ao outro, para que também cumpra a tarefa específica. Durante quase 22 anos Deus escalou-me para ser o pioneiro. Agora Ele cuidará da Sua igreja com o outro colega.  Como disse Paulo, Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. (1Co 3:7). Por tudo isto dizemos: BENDITO SEJA DEUS!

Quero agradecer aos inúmeros amigos, cujos nomes estão registrados no coração de Deus e em minha alma, que, ao longo de décadas, ajudaram com as suas orações, ofertas, visitas e apoio, à realização deste trabalho pioneiro. Saibam: cumpriram comigo a tarefa inicial. Eu a todos digo: MUITO, MUITO OBRIGADO!

Desde agora, para a glória de Deus, estarei disponível para a tarefa que o Senhor determinar. Os colegas pastores de minha denominação, as igrejas batistas que tomarem conhecimento, saibam que estou à disposição para aceitar um novo ministério, seja onde Deus mandar, inclusive fora de São Paulo. Orem por mim e por minha família. E orem para a minha amada, inesquecível e sempre presente IGREJA BATISTA BOAS NOVAS!

Contatos comigo para possíveis convites para o púlpito, conferências ou iniciativas de novo pastorado podem ser feitos pelos seguintes meios:

Telefone: 011-2369-3231
Whatsapp Vivo: 011-99699-8633
e-mail: bnovas@gmail.com
facebook:
https://www.facebook.com/wagnerantoniode.araujo.35

Que Deus a todos abençoe!

Pastor Wagner Antonio de Araújo
Rua Raul Pompéia, 877
Vila Pompéia
05025-010 - São Paulo - SP


quarta-feira, 30 de maio de 2018

memórias literárias - 672 - COISA INJUSTA - SÉRIE: CONSOLO NOS SALMOS No. 57

COISA
INJUSTA
 

 
Série:
CONSOLO NOS SALMOS
No. 57

 
672
 
Olá! Aqui é o Pastor Wagner Antonio de Araújo. Há muito e muito tempo Davi, o servo do Senhor afirmou: “Não porei coisa injusta diante dos meus olhos” (Salmo 101.3).
Davi sabia do que estava falando. Os nossos olhos são terríveis e caem em seduções facilmente. Ele, rei estabelecido, soberano de Israel, com o domínio político-espiritual do país, tendo família numerosa, olha para o lado de fora do palácio. E o que vê? Uma mulher formosa a banhar-se no rio. Foi o bastante. Os olhos contemplaram, cobiçaram e conduziram o rei ao trágico pecado do adultério e do homicídio. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. (1Jo 2:16).
Foi assim que Eva, a primeira mulher de nossa espécie, aliás, fruto da própria criação de Deus e não de uma fantasiosa evolução, tinha tudo aos seus pés. Ela era esposa do único homem do mundo, Adão. Não tinha rivais. Era a possuidora da única fazenda do planeta. Podia comer de tudo, das mais frutíferas árvores jamais vistas. E não tinha maldade em si, ela e o esposo estavam nus e não se apercebiam de qualquer malícia. O que aconteceu? Os olhos! Ah, Satanás sabia seduzir. Através da primeira médium da humanidade, a Serpente do Paraíso, mostrou a Eva a beleza de uma fruta. E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. (Gn 3:6). Mais uma vez os olhos!

Os nossos olhos são pecaminosos. Eles amam olhar para tudo aquilo que Deus mandou não olhar. Eles buscam tudo aquilo que Deus mandou deixar. Por isso Jesus afirmou: Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. (Mt 6:23). Também disse à Igreja de Laodicéia: Aconselho-te que ... unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. (Ap 3:18). Nós enxergamos tudo distorcido. Vemos beleza onde não há e deixamos de ver as maravilhas do Senhor. Abre tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei. (Sl 119:18). Sim, precisamos clamar a Deus para que Ele abra os nossos olhos!

Mas também para que os feche. Aqueles vídeos imorais que enviam para nós, ou que buscamos na internet; aquelas maledicências que circulam nos grupos ou sites de fofocas sobre celebridades, políticos ou religiosos; aquelas cobiças alheias da vida que os outros têm, tudo isso chama-se pecado. Nós não somos fortes o bastante para resistir às tentações. Portanto, meus amados, fugi da idolatria. (1Co 10:14); Fugi da prostituição. (1Co 6:18). Temos que tomar a mesma decisão de Davi: não colocar coisas injustas diante de nossos olhos. Assim, cumpre-se o que o velho ditado diz: o que os olhos não vêem, o coração não sente. Dessarte, se não nos expormos a estas futilidades, perversões e ilusões, não as desejaremos também.

Como anda a sua vista? O que tem colocado diante dos olhos? O que assiste? Queira Deus, em Sua misericórdia, conceder-lhe força de vontade para decidir não colocar nada injusto diante de seu olhar. Que Ele nos abençoe. Amém.
 
 


Wagner Antonio de Araújo
30/05/2018
(mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite de sua diretora, irmã Ana Maria Suman Gomes).

terça-feira, 29 de maio de 2018

memórias literárias - 671 - ACOLHIDOS POR DEUS - SÉRIE: CONSOLO NOS SALMOS No. 56

ACOLHIDOS
POR DEUS
 

 
Série:
CONSOLO NOS SALMOS
No. 56

671

Olá! Aqui é o Pastor Wagner Antonio de Araújo. O Salmo 27.10 assim se expressa: “Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me acolherá”.
Chovia forte lá fora e um friozinho invadia o quarto. Já estávamos deitados para o necessário descanso. Foi quando o aparelho ligado ao quarto de nossa filha Rutinha acionou. Ela gritava: “Mamãe, mamãe!” Estava sonhando. A mãe, zelosa e ternamente a tomou nos braços, fez com que parasse de chorar e afirmou: “Calma, meu amor; mamãe está aqui. Pode dormir sossegada”. E Rutinha dormiu.

Eu, ao ver toda a cena, lembrei-me de quando ajudei a administrar um orfanato em Cotia, Grande São Paulo. Eram cerca de 40 crianças. Várias delas não tinham pais ou familiares. Viviam ali, numa linda chácara. Cada uma delas tinha a sua cama de beliche, a sua gaveta de materiais escolares, uma parte no guarda-roupas e as suas cobertas. Quando anoitecia elas iam deitar-se. Muitas não tinham um pai ou uma mãe para chamar. Se chorassem, talvez ninguém as acolhesse; poderiam ainda ser repreendidas pelas outras crianças. Eram obrigadas a vencer a solidão, o medo e a ausência sozinhas, abraçadinhas no travesseiro, debaixo de uma manta inanimada, apesar de quente. As lágrimas desceram-me pelo rosto. Pensei: “Senhor, nesta hora, quantas criancinhas estão sozinhas, sem pai, sem mãe, sem irmãos, sem tios, num quarto coletivo, muitas vezes carecendo de um abraço, de um beijo, de uma companhia, de um ‘eu te amo’!”

O mundo jaz no maligno. (1Jo 5:19). Não deveria haver nenhuma criança solitária neste mundo. Todas elas deveriam ter direito a um pai ou a uma mãe, ou a ambos. Mas a realidade é que muitas não têm. Muitos que me ouvem agora foram órfãos, viveram em lares separados; não tiveram o calor do abraço de mãe, a direção e a firmeza de um pai, o afeto de um lar cristão. Quero afirmar-lhes que o salmista declara que há esperança para o solitário. Ele diz: “Se eu for desamparado, o Senhor me acolherá”. Ah, santíssima presença do Senhor, que aquece a alma e refrigera o coração! O próprio Senhor Jesus afirmou: O Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça. (Mt 8:20). Porém afirmou com convicção: mas não estou só, porque o Pai está comigo. (Jo 16:32). Sim, quem tem Jesus tem o Pai, tem o Espírito Santo a acompanhá-lo, a acolhê-lo, a dirigi-lo. Quem tem Jesus tem amenizados os períodos de luto, de solidão, de abandono, de esquecimento! Lembro-me da irmã Conceição, mais de noventa anos, internada no hospital. Ao perguntar como estava ela respondeu: “Estou muito bem, Jesus está comigo, eu irei ao céu dentro em breve. Aleluia!” Um cristão nunca está só. Ainda que não sinta. Ainda que não pareça. O Senhor está presente: Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém (Mt 28:20). Aleluia!

Prezado ouvinte, não podemos solucionar a solidão de todo o mundo nem o desamparo que o mundo sem Cristo concede aos seus próprios filhos. Mas podemos resolver o problema da solidão de nossos corações, convidando Jesus Cristo para ser o nosso Senhor, o nosso amigo mais chegado que um irmão. Podemos desfrutar de Sua santa presença agora, pela fé, em nossos corações. Basta que creiamos nEle e confiemos em Seu amor. Eu já fiz isso. E posso dizer: é real! Que Deus o ajude a fazê-lo também.


Wagner Antonio de Araújo
29/05/2018
(mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite de sua diretora, irmã Ana Maria Suman Gomes).

 

segunda-feira, 28 de maio de 2018

memórias literárias - 670 - OS NOSSOS FILHOS - SÉRIE: CONSOLO NOS SALMOS No. 55

OS NOSSOS
FILHOS
 

 
Série:
CONSOLO NOS SALMOS
No. 55 
670

Olá! Aqui é o Pastor Wagner Antonio de Araújo. Lendo o Salmo 144 deparei-me com a seguinte afirmação: “Que nossos filhos sejam, na sua mocidade, como plantas viçosas. E nossas filhas, como pedras angulares, lavradas como colunas de palácio”. Quanta profundidade neste desejo sincero, expresso por Davi nesta oração em forma de cântico!

Primeiramente ele deseja que os filhos sejam, em sua mocidade, como plantas viçosas. Plantas crescem. Algumas, raquíticas, não se desenvolvem. Outras, contudo, e em maior número, crescem bastante. Elas precisam de muitos cuidados. Quando crescem em demasia para um lado, precisam de poda. Quando estão escondidas à sombra, precisam de exposição ao sol. Quando atacadas por pulgões e pragas, precisam de tratamento. Quando não estão se saindo bem no desenvolvimento, de adubo. Quem lida com plantas sabe que não é apenas semear e deixar crescer ao léo. É preciso cuidar da lavoura. Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. (1Co 3:6). Neste texto o Apóstolo Paulo compara a igreja a uma lavoura bem cuidada. Os filhos o são também. Os pais devem estar atentos. Sou pai de duas maravilhosas crianças. Eles comem, dormem, aprendem a falar, a se locomover, precisam de remédio, de alimentação, de higiene, de segurança. Somos os seus lavradores. Davi pede que os seus meninos sejam assim, viçosos como boas plantas.

O interessante é o pedido que faz pelas meninas. Que elas sejam como pedras angulares. O que são tais pedras? Nas antigas construções costumava-se colocar uma pedra bem na esquina da construção. Então duas paredes ali eram erguidas, formando um ângulo reto. Dali a obra se estendia, seguindo sempre a medida da pedra angular, que deu origem à construção. Aqui está o retrato de uma filha bem criada: uma mulher virtuosa, especial, cujo conteúdo moral, espiritual e operacional será o esteio de uma família. As famílias judias deveriam ter mulheres tementes ao Senhor; do contrário o lar se desestruturaria. Os cristãos são disciplinados a casarem-se com mulheres cristãs, pois estas criarão os filhos e de sua educação dependerá um crescimento fundamentado na fé cristã ou não. A importância das mulheres num lar é extraordinária. Diziam os antigos que “as mãos que embalam o berço governam o mundo.

Vemos que na Bíblia a importância de filhos e de filhas é a mesma, conquanto tenham papéis diferentes. Aos meninos a força da planta, saudável, crescente, produtiva, que traz fartura, sustento e crescimento. Às meninas o papel de sustentáculo da família, matriz de uma dinastia piedosa e temente ao Senhor. Quantos lares só ficaram de pé porque mulheres heroínas e virtuosas mantiveram as rédeas da carroça? Quantas mulheres suportaram angústias, privações, sofrimentos e contrariedades, para não verem o lar desfazer-se como um navio encalhado em pedras em tumultosas águas! A importância de uma mulher cristã é fundamental.

Que o ouvinte valorize os jovens de sua igreja e de sua família, ajudando-os a edificarem em suas vidas os valores perpétuos e virtuosos; que ajudem meninos a florescerem com vigor e as meninas a firmarem-se como esteios para os seus futuros lares, ao lado de maridos e filhos. Que Deus nos abençoe!


Wagner Antonio de Araújo
28/05/2018
(mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite de sua diretora, irmã Ana Maria Suman Gomes).

sábado, 26 de maio de 2018

memórias literárias - 669 - NO MEIO DA CRISE

NO MEIO
DA CRISE

669
Enquanto o problema é com os outros, todos são a favor: os bloqueios nacionais estão corretos. Quando a febre acomete o filho ou falta o leite para a filha, e, ao encontrar mercados, farmácias e postos fechados, a opinião muda. Mas, ao chegar ao hospital e constatar que não atenderão mais por falta de oxigênio, remédios e geradores de energia, a opinião torna-se radicalmente contrária. O que mudou, a crise ou ESTAR NA CRISE? Certamente que o ditado dos antigos é verdadeiro: "pimenta nos olhos dos outros é colírio". Hoje o Brasil começa a parar completamente. Aeroportos fechados. Estradas poderão ser liberadas, mas não há carros que circulem; não há combustível. Os mercados estão sem abastecimento. As farmácias sem seringas. Os hospitais sem materiais para cirurgia ou hemodiálise. O pouco que há é cobrado a preço de ouro. Na segunda-feira as empresas irão parar. Não há viaturas de soldados ou policiais para cumprirem os decretos que os donos do poder determinam. A rapidez com que se decretou a prisão dos grevistas antepõe-se à lentidão da publicação do fim dos impostos citados, condição única para o fim da paralisação. E mesmo que acabe o estrago já está feito: o Brasil não andará por alguns dias. Assistir a Venezuela no caos era uma coisa; olhar para a nossa cidade e vê-la aqui, ainda que por outros motivos, é outra. Estamos na crise. E dela não há saída fácil. Não haverá locomoção, nem água, nem comida, nem policiamento. O governo não cede e os grevistas foram longe demais para recuar. O que acontecerá?

E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. (Mt 24:6)

Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. (Mt 24:7)

Não escrevo do lado de quem vê a crise como teoria. Eu estou no meio dela. Neste final de semana estaria na Primeira Igreja Batista em Mocóca, SP, para pregar em seu aniversário. O meu carro não teve combustível. Não tenho gasolina sequer para deslocar-me a outro bairro. Os ônibus estão escassos. O domingo será de grande ausência nas igrejas, geralmente frequentadas por pessoas fora dos bairros (o grande diferencial destes tempos modernos). E na segunda-feira não haverá expediente em muitos lugares, um feriado forçado.

Diante disto tudo, o que fazer? Bater em panelas? Ficar à frente da televisão a assistir passivamente o progresso do caos? Entrar em desespero por ver a geladeira vazia e a possibilidade de faltar até água potável (os produtos químicos não chegam às companhias de tratamento e a água irá faltar)? Eu leio na Palavra de Deus o seguinte, sobre CRISES:

Antes, como ministros de Deus, tornando-nos recomendáveis em tudo; na muita paciência, nas aflições, nas necessidades, nas angústias, (2Co 6:4)

O texto diz que somos MINISTROS DE DEUS. Ministro aqui é SERVO, ESCRAVO, SERVIÇAL. Estamos à serviço do Senhor em tudo. Fomos comprados pelo sangue de Cristo. Logo, como ministros de Deus, temos por obrigação fazer o mesmo que os apóstolos fizeram: TORNARMO-NOS RECOMENDÁVEIS EM TUDO. Sim, em tudo. E o versículo cita áreas nas quais devemos nos tornar modelares:

1) NA MUITA PACIÊNCIA - Algo dificílimo em tempos de crise. Mas possível como fruto do Espírito: Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. (Gl 5:22). Nós não temos tal paciência em nossa velha natureza; mas pelo novo nascimento, pela conversão, ela é possível, averiguável e pode crescer, dominando o nosso coração. Devemos ter paciência. Paciência para aguardar dias melhores. Paciência para aceitar uma restrição alimentar, um racionamento caseiro. Paciência para caminhar e para não nos locomovermos. Paciência para esperar o fim da crise. A paciência é um exercício de resignação e de submissão. Na crise, entretanto, ela é fator de sobrevivência. Em Cristo podemos ter tal paciência!

2) NAS AFLIÇÕES - Ouvimos falar dos sofrimentos dos povos mal governados ou com ditaduras; agora podemos sentir na pele um pouco do que eles vivem o tempo todo. Estamos aflitos. Produtores rurais estão a perder tudo. Empresas de cargas orgânicas desesperam-se com os prejuízos. O leite das vacas é derramado sem parar e falta ração. Frangos aos milhões estão morrendo de fome. E logo a fome tomará conta de nossas casas. Temos a impressão que um furacão sem vento, seco, sem chuva ou nuvens, avassalou o país. Talvez este seja muito pior: depois dele talvez nem governo teremos; muito menos ordem econômica... Mas podemos nos comportar como cristãos nesta crise: CONFIANTES. Absolutamente em paz. Completamente crentes de que há um Deus Todo-Poderoso a dirigir a história. A Sua permissão para esta crise pode ser agente corretivo, agente punitivo, agente provador. Não importa. Vinde, e tornemos ao Senhor, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. (Os 6:1)

3) NAS NECESSIDADES - A crise traz consigo a necessidade. Todos estão precisando de algo. Os antigos cristãos primitivos eram reconhecidos como aqueles que acolhiam os rejeitados, doentes, abandonados nas ruas. Numa peste eram os que cuidavam dos feridos ou lhes davam um fim condigno. Chegou a nossa hora. Estamos em tempo de compartilhar. Se necessário, dividir água, gasolina, produtos de alimentação, caronas, remédios. Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão. (Pv 17:17). Não precisamos tomar ofertas para mandá-las para o exterior apenas; teremos vizinhos, parentes, amigos e até inimigos que precisarão de nossa solidariedade. E, talvez, também precisemos da deles. Mas para igualdade; neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade; (2Co 8:14)

4) NAS ANGÚSTIAS - Sim, a crise traz angústia. Um país colossal como o Brasil, com riquezas naturais, belezas de toda espécie e o celeiro da humanidade, administrado por ímpios corruptos, que não têm pejo de roubar e sabotar, não se envergonham de perpetuarem-se no poder, mentindo e mantendo o povo aprisionado em sua ignorância e infâmia. Angústia por ver as escolas vazias, os professores mal pagos, os policiais serem mortos, as igrejas serem tomadas pelo Diabo travestido de falsos pastores, a mídia encampada para apodrecer a moral nas músicas e programas chulos e sexistas. Muita angústia por ver duas gerações criadas sem escrúpulos ou valores morais, onde um selo de evangelho tem sido colado em cada pecado tolerado. Sim. Angústia pelos hospitais fechados, pelos velhos desamparados, pelas famílias que não conseguem adotar e por crianças que crescerão sem lar e sem pão. Angústia pelo domínio do mal e pela injustiça das autoridades. Angústia por ver a verdadeira igreja de Cristo desaparecendo no meio das instituições que levam o seu nome. Mas na angústia clamamos ao Senhor. Ele nos ouve. E consola! Dá-nos auxílio na angústia, porque vão é o socorro do homem. (Sl 60:11). Dá-nos auxílio para sair da angústia, porque vão é o socorro da parte do homem. (Sl 108:12)

Hoje é 26 de maio de 2018. O país não suporta mais uma semana de impasse. Mas não haverá solução de curto prazo. Deus espera que os crentes verdadeiros dêem testemunho: que se comportem como MINISTROS DE CRISTO, e que sejam modelares NA MUITA PACIÊNCIA, NAS AFLIÇÕES, NAS NECESSIDADES E NA ANGÚSTIA.

Deus nos dará graça para suportar e vencer.

Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo (Jo 16:33)

Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. (Ap 2:10)

Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. (1Co 15:57)