Translate

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

memórias literárias - 595 - APARENTE COMUNHÃO

APARENTE
COMUNHÃO
 

 
595
 
Sou muito grato por cada leitor que me dá a honra de sua preciosa e caríssima atenção. Só Deus poderá recompensar à altura. Espero contar sempre com a sua atenção tão valiosa. Sei, contudo, que, no universo de contatos, muitos não são realmente pessoais.
 
Antigamente não havia tanta facilidade de comunicação. Uma carta, por exemplo, levava dias para chegar, senão semanas! Depois, com o telefone, os contatos tornaram-se mais próximos. Nem todos tinham automóveis; assim, os deslocamentos ou eram feitos à pé, ou no lombo do animal, ou através de trens, ônibus, barcos e aviões. Ter carro era luxo. Com a indústria de automóveis e a popularização do transporte, as distâncias encurtaram-se. Apareceu então o telex, o e-mail, as redes sociais. No Brasil o whatsapp é o mais popular de todos os softwares de comunicação rápida. Nele as pessoas estão teoricamente conectadas 24 horas por dia. Basta um chamado e a outra pessoa atende. Não é maravilhoso manter-se em comunhão e em companhia por todo o tempo?
 
Infelizmente o que parece não o é, de fato. Os contatos on-line por internet não são, nem de longe, o que se propõem ser! A maior parte deles são apenas endereços, nada mais. Mesmo os grupos familiares, os grupos de amigos e de classes, não são mais do que comunicações de massa com distribuição de toneladas de materiais de mídia. Há muitos contatos e poucas pessoas; muitas curtidas e poucos sentimentos verdadeiros. As saudações diárias, as imagens e compartilhamentos diuturnos que circulam não são capazes de criar amizades ou de operar a autêntica comunhão. Quem entra e espera comunhão acaba por frustrar-se e manter-se na amizade de mão única! As pessoas nem se telefonam mais!
 
A Bíblia já ordenava há anos atrás: Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. (Hb 10:25) . Há pessoas que se utilizam de cultos transmitidos pela internet por falta de locomoção ou distância intransponível de igrejas. Não é destes que falo. Falo daqueles que substituiram a comunhão pessoal pela virtual. De que forma as pessoas assistem em privado a uma pregação ou ouvem hinos pela mídia? Comendo pipocas, lavando louças, fazendo as unhas, escovando os dentes ou fazendo outras coisas. E como deveria ser feito, se o ambiente fosse eclesiástico?  (à moda antiga, porque o que chamam de igreja hoje está muito distante do que de fato deveria ser) Se fosse no culto, ao vivo, ouviríamos a pregação ou a canção com reverência, sentados, prestando atenção, em atitude de oração, em comunhão com os irmãos. Um é o culto pessoal, na igreja ou num lar; outro é o culto midiático, feito como um programa de TV: um show para entretenimento com alguma coisa que se aproveita; nada mais.
 
As amizades estão também por aí. Milhares de "amigos" no facebook, centenas de nomes no whatsapp, mas a maioria é apenas virtual. Poucos realmente se importam uns com os outros. Há tantos pedidos de oração e tão pouca oração feita de fato! Quem sente falta dos demais e mostra isso? Às vezes amigos estão a quinhentos metros de distância, passam pela nossa frente, sabem que estamos próximos, mas não têm interesse algum em visitar-nos, em serem encontrados pessoalmente, preferindo viver na fantasia virtual. E somos assim com os demais também. Se peneirarmos as amizades, pouca coisa sobra. E se alguém nos peneirar será que sobraremos na lista de alguém? 
 
Amor tem que ser pessoal. Amor custa caro, exige sacrifício, presença, doação, preocupação. Amor e comunhão reais devem ser expressos de forma pessoal, não apenas por ruídos de máquina ou sinais escritos de caixinhas eletrônicas. Igrejas devem comer "um saco de sal juntas", aprender a conviver, a suportar, a superar. Famílias devem cearem juntas, passearem juntas, e, não raras vezes, brigarem juntas. Somos humanos e o convívio é como um par de sapatos a lacear: às vezes machuca, mas depois tudo se ajeita. Amigos precisam olharem-se nos olhos, partilharem um passeio, uma visita, um pedaço de pão. A distância que nos protege dos atritos comuns da convivência também mata as relações e o afeto. Falo dos que podem, não dos que estão, de fato, privados pela distância ou condições.
 
Se Jesus aqui estivesse em pessoa a conviver conosco, Ele não substituiria o lava-pés por um lava-visor de celulares.  Para Ele gente junta em Seu Nome é a única receita de autêntica comunhão verdadeira.
 
Tenho muito carinho pelos meus contatos, que me dão a alegria de sua leitura a cada dia. Agradeço a Deus pela vida de todos. Mas sei que muitos se limitam a ler uma ou outra linha, sem aprofundamento pessoal.
 
A quem deseja mais que isso, aconselho a fazer o que faço: escolher uma dúzia de pessoas, da família ou de seu convívio, transformando-as em amigos de verdade. Eles valerão muito e não serão apenas uma lista de nomes piscantes no aparelho de celular. Eles não serão descartáveis como agendas velhas.
 
Wagner Antonio de Araújo

12/01/2018

memórias literárias - 594 - NÃO QUERO SER ESCÂNDALO - Série: CONSOLO NOS SALMOS No. 38

NÃO QUERO SER
ESCÂNDALO
 



Série:
CONSOLO NOS SALMOS
No. 38


594
 
Olá! Aqui é o Pr. Wagner Antonio de Araújo. Hoje meditaremos no texto que se encontra no Salmo 69.6: “Não sejam envergonhados por minha causa os que esperam em ti, ó Senhor, Deus dos Exércitos; nem por minha causa sofram vexame os que te buscam, ó Deus de Israel”.
Eu era um crente novo, recém-convertido. Fui assistir a um jogo de futebol com os jovens da igreja. Eles xingavam mais do que eu antes de me converter a Cristo. Eles não só falavam palavrões como se iravam com grande raiva. Eu pensei: “Então é assim que os jovens crentes agem? É diferente do que eu fazia lá no mundo: é pior!” Fui falar com um pastor. Ele, experiente, vivido, disse-me: “Nós não devemos olhar para os homens, mas para Deus. Não devemos firmar a nossa fé em pessoas que são pecadoras e imperfeitas. Devemos olhar só para Jesus, pois Ele nunca nos decepcionará.” Aquele conselho salvou a minha vida e tornei-me vigilante.

Infelizmente eu também quase fui motivo de escândalo por algumas vezes. Mas o Senhor preservou-me!  Lembro-me no trânsito, nervoso com uma fechada de um carro, pareei o meu veículo,  abri o vidro e ouvi o motorista a dizer: “Perdão, pastor, não queria fazer isso”. Eu fiquei vermelho. Ele me conhecia e eu nem fazia idéia de quem ele era. E se eu falasse coisas impróprias? Cheguei à seguinte conclusão: todos estão a olhar para nós, aguardando qual será a nossa reação diante da vida, dos fatos, dos aborrecimentos, das injustiças. O meu ex-pastor Manoel Waldemur, dizia sempre: “O crente não se conhece pelas ações, mas pelas reações”. E ele tinha razão. Então tomei algumas decisões:

1) Decidi vigiar a minha língua, para que de minha boca somente saíssem palavras que glorificassem a Deus. Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós. (Tt 2:8)

2) Decidi vigiar as minhas reações, buscando tranqüilidade diante das tribulações, esperando em Deus, que sempre tem o melhor. Ouvistes qual foi a paciência de Jó, e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso. (Tg 5:11)

3) Decidi vigiar os meus pensamentos. Não posso impedir um pássaro de pousar em minha cabeça, mas posso impedi-lo de fazer um ninho. Assim, se um pensamento mau passar pela mente, posso afugentá-lo com a graça do Senhor. Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. (Fp 4:8)
Que o querido ouvinte tome a mesma decisão que eu tomei: buscar na graça de Deus as forças para jamais escandalizar a ninguém. Que Ele nos abençoe. Amém.
 

Wagner Antonio de Araújo
mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite da irmã Ana Maria Suman Gomes). 

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

memórias literárias - 593 - PECADO CONFESSADO - SÉRIE: CONSOLO NOS SALMOS No. 37

PECADO
CONFESSADO
 

 
Série:
CONSOLO NOS SALMOS
No. 37

Olá! Aqui é o Pr. Wagner Antonio de Araújo. Você já fez coisas erradas e arrumou uma boa desculpa para não levar a culpa? É interessante que julgamos os políticos criminosos, chamando-os de corruptos. Outro dia um homem comerciante criticava o político do noticiário. Quando fui pagar a minha despesa pedi uma nota fiscal. Ele perguntou-me: “No mesmo valor ou quer mais alta? Assim poderá pegar um dinheiro melhor no seu empregador”. Expliquei-lhe que não estava comprando algo para a empresa, mas para mim. E disse-lhe que se eu lhe pedisse uma nota maior seria tão ladrão quanto o político contra quem ele falava naquele momento. Isto para não dizer a ele que via um bom representante da mesma corrupção da qual sofria o vendedor. Esse comerciante era idêntico ao político, só que roubava e ajudava a roubar em proporção menor.. Em essência era a mesma coisa.

Lemos no Salmo 51.4: “Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos.” Davi sabia muito bem do que falava. Ele adulterara. Para justificar uma gravidez indesejada por parte da sua vítima, envolveu o marido dela num combate de guerra, onde sucumbiu, caindo morto. Assim pôde chamar a viúva e contrair núpcias com ela. Deus viu. Deus puniu. Trouxe-lhe a morte do bebê. Além disto acabou com a sua paz familiar: a espada ceifou muitas vidas em sua casa, além de trazer-lhe tristeza e sofrimento. Ele pecara contra o falecido marido da esposa, mas, acima de tudo, pecara contra Deus. Qual a solução? Confessar. É assim que devemos fazer. Não só confessar, mas nos arrependermos de todo o coração. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. (1Jo 1:9)
Cristo pagou na cruz do Calvário o preço do nosso pecado. Ali, pendendo e sofrendo, sangrando e agonizando, Ele foi punido por nós. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. (Is 53:5)
Há perdão disponível em Jesus. Para tanto é necessário reconhecimento do seu erro. Desculpas não resolvem para com Deus. Lançar a culpa sobre Eva não fez de Adão uma vítima; ele foi um réu. Mas pedir perdão com grande arrependimento fez de Davi um soerguido, um sobrevivente, um restaurado. Tanto foi assim que Jesus Cristo é chamado de “Filho de Davi”. Seja o querido ouvinte também alguém sincero, leal e corajoso, que reconhece os seus pecados e, arrependido, muda de vida. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. (Pv 3:6) Que Deus nos abençoe. Amém.
 

Wagner Antonio de Araújo
mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite da irmã Ana Maria Suman Gomes). 

sábado, 23 de dezembro de 2017

GRATIDÃO IMENSA



Ao longo de 2017 todos vocês receberam cordialmente os meus e-mails. Neles eu noticiei os fatos acontecidos na Igreja Batista Boas Novas do Rodoanel em Carapicuíba, compartilhei a minha literatura, enviei links para vídeos, áudios e avisos sobre a rádio que mantenho. Sou grato pelo amor e pelo carinho de todos.
 
Desejo-lhes com absoluta sinceridade as mais ricas bênçãos do Senhor nosso Deus. Desejo-lhes um Natal com Jesus Cristo, o Filho de Deus, encarnado, Salvador, o Emanuel. E um ano novo de santidade ao Senhor. Que 2018, se chegar, traga um tesouro incomensurável de boas notícias e de bênçãos divinas.
 
Pastor Wagner Antonio de Araújo
servo de Deus, a servir atualmente na
Igreja Batista Boas Novas do Rodoanel em Carapicuíba, São Paulo, Brasil
sócio 001 e presidente da OPBCB -
Ordem dos Pastores Batistas Clássicos do Brasil
Diretor e produtor da Rádio Naftalina Web
Mantenedor das seguintes mídias:
 
 
 
 
 
 
 
 
 

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

memórias literárias - 592 - SODOMA, NOÉ, PAROUSIA

SODOMA,
NOÉ,
PAROUSIA
 

 
592
 
A Folha de São Paulo traz matéria nesta terça-feira, cujo título "Contra a monogamia, jovens procuram relacionamentos não convencionais". Ali a jornalista Rachel Botelho explica o que está acontecendo. A juventude, frustrada com o casamento de aparência de seus infiéis pais, decidiu amar a muitas pessoas e não dar exclusividade a ninguém. Aliás, decidiu entrar em relações de POLIAMOR, onde vários amam vários, independentemente de serem casais heterogêneos. Segundo a jornalista, é a concretização dos ideais dos anos sessenta, do amor livre.
 
Elaine e eu casamo-nos em 2011, sob o compromisso de que seríamos uma família segundo a Palavra de Deus. Eu o esposo, marido, provedor, líder espiritual, cabeça do lar. Ela a esposa, a mulher, a administradora do lar, submissa ao esposo, andando lado a lado com o cônjuge. Decidimo-nos em oração pedir filhos a Deus e Ele nos concedeu dois até aqui. Estes são criados à luz das Escrituras Sagradas, onde devem obediência e submissão aos pais e respeito para com todos. Se Jesus Cristo não voltar antes esperamos que eles tenham em nós o referencial de cristianismo, de família, de honradez, de amor e de honestidade. Cremos que uma criança criada num ambiente de cristianismo real terá todos os motivos para manter-se fiel ao Senhor, sem cair no canto da sereia, nas alternativas deste presente século. Serão livres, sabemos. Não podemos crer por eles. Mas, no que depender de nós, jamais poderão dizer: o casamento e a fé de nossos pais nos frustraram.
 
A mente humana deste século, no mundo ocidental, abortou Deus de seus conceitos. Assim, não se diz: Deus criou a família monogâmica heterossexual. Não havendo Deus em seus conceitos, não há compromisso com formato familiar algum. O homem sente-se livre de prestar contas a alguém e cria os seus próprios conceitos. Quer dizer, ele pensa que cria; o que não percebe é que segue a criação de Satanás, cujo interesse sempre foi o de agredir a criação divina, a sexualidade normal, a fidelidade familiar.
 
Foi assim nos dias de Noé. E o povo não se apercebeu do juízo iminente, até que a arca, barco gigante feito em cima da terra, passou a navegar sobre a enchente avassaladora, levando consigo apenas o íntegro Noé e a sua família. Era tarde demais para o povo que ficou de fora. Jesus Cristo cita este juízo para afirmar: E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. (Mt 24:37)
 
Foi assim nos dias de Sodoma e Gomorra. Eram cidades libertinas, homossexuais, indecentes, generalizadamente pecaminosas. Anjos empurraram a Ló, o sobrinho de Abraão, para fora daquele antro. E então o juízo veio sobre todos os seus habitantes. Então o SENHOR fez chover enxofre e fogo, do SENHOR desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; (Gn 19:24)
 
Será assim na PAROUSIA, palavra grega que significa chegada e presença. Ela alude à volta iminente do Senhor, primeiro para arrebatar a Sua igreja, tirando-a deste pulgueiro satânico, que aumentará descomunalmente a sua pecaminosidade. E, então, com a Igreja de Cristo fora deste campo maligno, o juízo divino sobrevirá de forma intensa, definitiva e justa. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. (2Pe 3:10)
 
O pecado intensificará a sua ação. Satanás é convidado à refeição do mundo (e há até pastores que colocam para ele uma cadeira no Céu!). Nossos produtos de consumo (provedores de internet, sabão em pó, canais de TV, perfumes diversos) não se contentam em vender os seus serviços; eles querem identificar-se com o pecado e serem seus apoiadores contumazes. Defendem, tecem apologias, divulgam, distribuem, vendem e criam uma narrativa de virtude ao mais crasso defeito. E o povo, entorpecido, aceita, consome, sorve, assiste. A juventude, sem parâmetros, frequenta igrejas que não pregam o evangelho, que permitem o POLIAMOR, que dão flores aos que cospem na cruz de Cristo.
 
São os tempos difíceis, preconizados pelos apóstolos em seus ministérios pastorais. São os tempos do fim, anunciados pelo Senhor. É tempo de vigiar, de orar, de aguardar, de obedecer ao Senhor. Os argumentos em prol do pecado já são ensinados nos púlpitos das igrejas; é preciso vigilância diuturna e obediência à Palavra (e escolher bem a tradução que se usa, porque as gráficas estão colocando falsas bíblias nas mãos do povo).
 
Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem. (Lc 21:36)
 
Wagner Antonio de Araújo

19/12/2017

memórias literárias - 591 - ADAPTAR-SE AO SENHOR - SÉRIE: CONSOLO NOS SALMOS No. 36

ADAPTAR-SE
AO SENHOR

 
Série:
CONSOLO NOS SALMOS
No. 36

591

Olá! Aqui é o Pr. Wagner Antonio de Araújo. Nestes dias de incertezas, onde a religião inventa moda para segurar os seus fiéis, o que mais vemos é a troca do verdadeiro e autêntico evangelho por um outro, adaptado para o homem do século XXI. A mensagem de Deus tornou-se a de um pedinte, de alguém que está desesperado por fiéis, que quer segurar de qualquer maneira alguém na membresia de uma igreja, que é um ser dotado de amor sem fim e de paciência inesgotável, um deus bonachão e fraco. Ou seja: Deus tem que se adaptar ao ser humano se quiser algum fiel.

Mas o salmo que escolhemos hoje diz exatamente o contrário. Assim lemos no Salmo 17.5: “Os meus passos se afizeram às tuas veredas, os meus pés não resvalaram”.  Jesus Cristo afirmou: Porfiai por entrar pela porta estreita; porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão. (Lc 13:24)
A Bíblia ensina que não é Deus que se adapta ao coração entorpecido do homem. Deus não se rebaixa às fraquezas humanas. Quando Moisés olhou uma sarça que ardia e não queimava desejou saber que fenômeno maravilhoso era aquele. Ele não conhecia a Deus. Ao chegar-se para uma contemplação mais de perto, o que foi que ouviu da parte do Senhor? E disse: Não te chegues para cá; tira os sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa. (Ex 3:5) Ou seja: Deus não se adaptou a Moisés; Moisés é quem teve que adaptar-se ao Senhor.

Jesus Cristo disse que as Escrituras Sagradas eram a verdade e não poderiam falhar. A Escritura não pode ser anulada, (Jo 10:35). Dessarte é necessário que nós a conheçamos a cada dia, que nos aprofundemos em seu estudo, para que os nossos passos, a nossa vida, os nossos costumes, as nossas decisões, se amoldem á vontade do Senhor. Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra. (Sl 119:9)
Não acredite em mensagens de conveniência, de auto-ajuda, de prosperidade e de felicidade, pregadas por mensageiros desleais para com as Escrituras Sagradas. Jesus Cristo afirmou: Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (Jo 14:6)
Prezado ouvinte, molde a sua vida pela orientação bíblica e deixe-se conduzir pelo Espírito do Senhor. Ele sabe exatamente o que é melhor para nós e nos dará bênçãos através desta obediência. Que Ele nos abençoe. Amém.
 

Wagner Antonio de Araújo
mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite da irmã Ana Maria Suman Gomes). 

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

memórias literárias - 590 - O NATAL DA LUNA

O NATAL
DA LUNA
 
590
 
Não vou colocar figura para não ter problemas com direitos autorais.
 
SHOW DA LUNA é um seriado muito popular no Brasil para crianças pequeninas.
 
Luna e Júpiter são filhos de um casal que os cria no conhecimento puramente científico. Luna é popular por fazer perguntas diversas. Não há Deus em suas indagações; não há Deus nas respostas que encontra (porque, de fato, não vai à fundo em suas descobertas e nem tem pais que lhes dê o conhecimento verdadeiro).
 
Um episódio foi veiculado hoje. O NATAL DA LUNA. Imaginei que os seus pais desconstruiriam qualquer imaginação natalina, qualquer idéia de Papai Noel. Seria coerente com o posicionamento ateu desta série. No entanto Luna e seus amigos exploram o Natal, partindo das questões básicas infantis: por que o Papai Noel tem roupas quentes, por que ele toma chocolate quente, onde ele mora, como o surpreenderemos na noite de Natal. O episódio faz o mesmo que todos os outros: ela e os amigos entram na imaginação e vão em busca das respostas. Nos demais, científicas; neste, em fábulas natalinas. No final todos comemoram o Natal com a concepção mundana: comida, bebida, família, brincadeiras, presentes. E isto é  NATAL.
 
SHOW DA LUNA provou, para mim, não ser um seriado de princípios. Ou deveria assumir a resposta científica ao problema dos presentes de Natal (Papai Noel é o próprio pai dela) ou então deveria incluir o único e grande motivo autêntico do Natal: JESUS CRISTO. Se ignora Jesus Cristo, deveria ignorar o Papai Noel. Mas como o projeto do Diabo é autenticar as fábulas e desconstruir a Verdade (Papai Noel existe e Jesus Cristo é um blefe), SHOW DA LUNA ensina a mentira com ares de ciência. A ciência passou longe de tudo isso! A verdadeira ciência conhece o DNA de Deus e não ignora a pessoa do Senhor Jesus Cristo. A falsa ciência não apenas o ignora, como credencia fábulas em detrimento da verdade.
 
JESUS CRISTO não serve para o Natal da LUNA.
 
Logo, LUNA não serve para ajudar a construir valores para os meus filhos.
 
LUNA abortou Jesus Cristo de sua narrativa. Elaine e eu abortamos LUNA das coisas que oferecemos aos nossos filhos.
 
Wagner Antonio de Araújo

17/12/2017

memórias literárias - 589 - SERVIR COM ALEGRIA

SERVIR
COM
ALEGRIA

 

 
589
 
Servi ao Senhor com alegria; e entrai diante dele com canto. (Sl 100:2)
 
O autor do texto bíblico afirma que nós devemos servir ao Senhor com alegria. Também diz que devemos entrar em Sua presença com canto. Cabe-nos perguntar: que alegria é essa que nos faz cantar diante de Deus?
 
O vocábulo alegria vem do latim ALACRITAS, cujo significado é animado, vivaz, contente, de ânimo leve. FELICITAS, do latim FELIX, também contribuiu na construção de seu significado. Em suma: alegria é estar animado, contente, com o coração leve e sentindo-se muito bem.
 
O texto bíblico diz que deveríamos servir ao Senhor com alegria. Mas nem sempre estamos alegres. Às vezes (e, infelizmente, comumente...) somos vítimas de situações que nos causam grande tristeza e aborrecimento. Ao invés de nos sentirmos animados, caímos num desânimo profundo. A nossa vontade é de dormir, de fugir, de desaparecer. Quando estamos tristes não temos vivacidade, e sim travamento, depressão física e psicológica. No ataque da tristeza o coração torna-se pesado, não leve e solto. Algumas pessoas tentam ludibriar a tristeza, entorpecendo-se de substâncias alucinógenas, de álcool, de folias e prostituição, pensando que isso lhes arrancará a tristeza. Ledo engano! Terminada a euforia o problema volta dobrado!
 
O autor do Salmo diz que devemos servir ao Senhor com alegria. E como fazê-lo? Alegrai-vos no Senhor (Filipenses 4.4). A alegria com que nos vestimos no serviço ao Senhor não se origina de realizações humanas, de conquista de prêmios, de ganhar dinheiro, comprar propriedades, casar-se, ter filhos.  A alegria que deve superar toda e qualquer outra, inclusive compensar a sua ausência é a alegria NO SENHOR. Isto significa que não vem de nós, vem dEle! Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (Jo 15:5). Ela é muito mais profunda do que um instante de contentamento; é algo que caracteriza uma posição eterna! Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; (Rm 12:12)
 
Servir ao Senhor com alegria vem do próprio Deus. Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força. (Ne 8:10) Esse estado de espírito não é uma possibilidade; é um dever e uma determinação pessoal. Se deixarmos as tristezas, as dificuldades, as injustiças soarem alto em nossa alma, o serviço que prestamos a Deus será triste e sem alegria. As vozes do Inferno e das dores humanas não podem ecoar mais forte do que a voz do Emanuel, que é DEUS CONOSCO ou DEUS EM NÓS. Isto é o que signfica ENTUSIASMO (IN THEOS, EM DEUS). Deus em nós! E se isto não gerar em nós uma alegria independente, que não olha as circunstâncias, que não sucumbe às dificuldades, que não estaca diante das injustiças que sofremos (até no próprio serviço do Senhor), então o problema está em nossa comunhão e, talvez, em nossa falta de salvação. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. (1Jo 1:7)
 
O Pastor José Vieira Rocha contou-nos sobre um senhor idoso, que frequentava a igreja onde foi criado, no interior de São Paulo. Esse homem, ao chegar à porta do templo, colocava a bíblia bem segura junto ao peito, vestido com o seu terno, e olhava para o auditório. Ficava ali algum tempo, enquanto escolhia o lugar onde se assentaria. Depois, olhando firme, seguia pelo corredor, andando a passos cuidadosos, pois estava "na Casa do Senhor". Chegado ao banco, ajoelhava-se, fazia a sua oração silenciosa e, assentando-se, cultuava a Deus. Isto aconteceu há setenta anos e o Pastor Vieira jamais esqueceu-se. Trata-se de um caso autêntico de alguém que vinha à igreja para "SERVIR AO SENHOR COM ALEGRIA", alegria espiritual que contagiou a todos que o conheceram.
 
Está você servindo ao Senhor com alegria? Ele tem sido mais importante para você do que os problemas, as injustiças e as dificuldades? Pois saiba que há uma fonte inesgotável de alegria e regozijo espirituais, esperando pelos sedentos servos do Senhor. Se formos a ela, fonte cristalina, Jesus Cristo, dessedentaremos a nossa alma e teremos a autêntica alegria que se expressa num culto grato ao Senhor.
 
Que Ele nos abençoe.
 
Pr. Wagner Antonio de Araújo

17/12/2017

sábado, 16 de dezembro de 2017

memórias literárias - 588 - DEUS VÊ OS JUSTOS - SÉRIE: CONSOLO NOS SALMOS No. 35

DEUS VÊ
OS JUSTOS
 

 
Série:
CONSOLO NOS SALMOS
No. 35

588

Olá! Aqui é o Pr. Wagner Antonio de Araújo. Nós bem sabemos que não há nenhum justo. Desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundos: não há quem faça o bem, não há sequer um. (Sl 14:3). Contudo, o Salmo 34.15 assim se expressa: “Os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos ao seu clamor”. Quem seriam estes justos?

Não seriam os perfeitos. Estes não existem. Desde que o pecado entrou no mundo os homens tornaram-se réprobos. Todos eles. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; (Rm 3:23)
Mesmo assim a Bíblia fala sobre a justiça de Noé. Estas são as gerações de Noé. Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus. (Gn 6:9) Diante disto perguntamos: quem seriam estes justos?

São aqueles que, mesmo pecadores, mesmo imperfeitos e réprobos, buscam a Deus com humildade, com contrição, com honradez e com seriedade. Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito. (Sl 34:18)

Assim, diante do exposto, quero afirmar que Deus vê aqueles que amam a Ele de todo o coração e está atento ás suas súplicas, ao seu clamor, às suas orações. Ele não os ignora, como fazem os políticos ao clamor de seus eleitores. Ele não os despreza, como fazem os artistas depois de atingirem a glória e a fama. Deus é justo, Deus é correto e leva em consideração cada súplica e cada clamor daqueles que O amam de verdade. Ele está com os ouvidos abertos ao clamor deles.

E a resposta? Por que tarda a vir? Porque Ele tem um propósito por trás de cada sofrimento, de cada demora, de cada dificuldade. Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois. (Jo 13:7) Há coisas que só entenderemos mais tarde, quando muito tempo tiver passado. Eu, por exemplo, queria casar-me com moças em minha juventude. Deus não permitiu. Na época eu pensava: “Por que Deus não me ouve?” Ledo engano! Deus não apenas me ouvira, mas atendera-me de forma perfeita, melhor e extraordinária. A resposta, contudo, só veio quando eu fiz 45 anos: casei-me com a mais linda, honrada e virtuosa mulher que conheci, Elaine Okada de Farias Araújo. Eu concluí que o meu clamor fora ouvido e que a resposta veio não tarde demais, mas na hora certa.

Saiba, gentil ouvinte, que Deus atende ao clamor dos justos. Se formos crentes comprometidos com a Sua vontade, tenhamos certeza: os nossos clamores não ficarão sem resposta. Que Deus nos abençoe! Amém!
 

Wagner Antonio de Araújo
mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite da irmã Ana Maria Suman Gomes). 

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

memórias literárias - 587 - O QUE LÊS?

O QUE LÊS?

587

E, correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías, e disse: Entendes tu o que lês? (At 8:30)

Em 2010, quando viajava entre Itália e Inglaterra, tomei um vôo regional. Após instalar-me na poltrona, contemplei os passageiros. Com raras exceções vi quase todos com um livro em mãos, lendo em silêncio. Numa sociedade altamente tecnológica, com o advento dos e-books e celulares, contemplar um público leitor foi um consolo.

É preciso que se analise duas questões quanto a leitura. A primeira: você lê? Sim, uma pergunta que os institutos de pesquisa fazem constantemente. Quantos livros o brasileiro lê por ano? Em 2016 a média de livros lida pela população foi de 4,96 livros (sendo que a maioria por exigência escolar). Porém, para tristeza dos escritores, 44% das pessoas não lê e 30% delas nunca comprou um livro.  Muitos lêem um pedaço, o final, a introdução, quase nada. Você, que lê o meu texto, já é um herói nesta tragédia nacional; digo-lhe que, dos textos que envio, a grande maioria não lê nada! Tenho o hábito da leitura desde a primeira série do primário. Não termino o ano feliz se não consegui ler 50 livros. Conheço leitores que chegaram a 200 livros no período, mesmo sendo trabalhadores e estudantes.

A segunda questão é: o que você lê? O brasileiro lê, principalmente, sobre futebol. Então, seguindo na mesma média, notícias de celebridades. Romances seguem logo atrás e depois, por último, os livros realmente importantes. Conquanto tenhamos ano após ano batido recordes de produção de bíblias, os cristãos raramente leram a Bíblia uma vez inteira e geralmente só lêem algum texto de Salmos ou do Evangelho. Com o advento do famigerado datashow, igrejas não exigem mais que os seus membros portem exemplares da bíblia em papel; tudo é eletrônico, por celular. O hábito da leitura bíblica tornou-se raridade. Quanta diferença dos meus mestres! O Irmão Sebastião Emerich leu-a 353 vezes na vida. O Pr. Timofei Diacov mais de 120 vezes. O Pr. Josué Nunes de Lima conhecia textos com uma profundidade incrível. Não tive o ano em que tenha superado 6 leituras bíblicas inteiras, infelizmente (ainda!)

É preciso ler mais! É preciso parar com essa bobagem de e-books que desaparecem quando o tablet ou celular avariam, de ter apenas livros virtuais. Livro tem que ter cheiro, peso, espessura, cor, volume. Livro é companhia, é amigo, é um mundo de conhecimentos. O Apóstolo Paulo, que não contava com livros em nosso formato atual, pediu com insistência: Quando vieres, traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos. (2Tm 4:13). Pergaminho era um couro de caprino ou ovino que servia como papel e durava muito. Seu nome vem da cidade de Pérgamo, onde a técnica foi desenvolvida. Eram os livros. Havia também os papiros, os rolos, as tabuinhas. Hoje temos as revistas, os livros, os audiobooks, tantas possibilidades! É necessário ler e ler bem! A irmã Esmeralda, membro de nossa igreja, chamada à leitura pública, lia com extrema dificuldade há dois anos. Hoje, contudo, dá gosto de ouvi-la: ela, através das leituras públicas, aperfeiçoou-se e passou a ler bem!

Mas é preciso escolher as leituras. Não basta tomar uma revista de banalidades, de vida de celebridades, de piadas, de terror, de romance ou de vâs filosofias e colocar-se a ler, ler, ler. Más leituras corrompem mentes famintas. Coloque-se um livro de racismo, de terrorismo, de pornografia ou de satanismo nas mãos de pessoas frágeis e teremos a construção de um ser doentio. Também não basta ler os best-sellers, a literatura barata de livraria de aeroportos, dos gurus da famigerada auto-ajuda, que escrevem o óbvio com ares de descobridores da roda. Se auto-ajuda funcionasse eles não lançariam mais novidades; uma só teria resolvido o problema da existência humana!  Leituras devem ser substanciosas, acrescentadoras, viagens de descobrimento. Papai deixou para mim um livro, adquirido na década de 50; um único exemplar da coleção "TRÓPICO", da antiga Maltese. Procurei os demais exemplares e encontrei-os. Uma riqueza! A cada duas páginas a enciclopédia apresenta um tema diferente, abordando-o desde a origem, descrição, até a utilização e importância. Temas diversos: a invenção do guarda-chuva, a guerra de Tróia, o descobrimento da penicilina, a Lei de Talião. Lerei com os meus filhos, se Deus permitir, quando eles crescerem!

Mas, acima de tudo, porém, esteja a nossa leitura contínua, reverente e em oração, das páginas da Bíblia Sagrada, a Palavra de Deus. Jesus diz: Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; (Jo 5:39); Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. (Jo 17:17). Paulo diz a Timóteo, sobre a Bíblia: Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá. (1Tm 4:13). E Deus diz a Josué: Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido. (Js 1:8). Quem medita na Bíblia é transformado de glória em glória, estampando na face o brilho da glória de Deus. E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a sua face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório. (2Co 3:13). Nós exibimos no rosto os efeitos da Bíblia em nossa vida. Aleluia!

Termino este texto perguntando: quantos livros você leu neste ano? Que tipo de literatura lhe alimentou nestes meses? E a Bíblia, leu-a como deveria?

Que Deus ajude a cada um a tornar-se um leitor ávido e produtivo, detentor de cultura e conhecimento, e que se torne um poço de virtudes e de sabedoria, jamais se esquecendo do Livro dos livros, a Escritura Sagrada. Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra. (Sl 119:9)

Wagner Antonio de Araújo


15/12/2017

memórias literárias - 586 - MENDIGAR O PÃO - SÉRIE: CONSOLO NOS SALMOS No. 34

MENDIGAR
O PÃO


Série:
CONSOLO NOS SALMOS
No. 34

586

Olá! Aqui é o Pr. Wagner Antonio de Araújo. Gostaria de abordar um texto dos salmos, muito expressivo e que afirma categoricamente uma verdade: o crente não mendiga o pão. Está no Salmo 37.25: “Fui moço, e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão”. 

Estaria este texto em contradição com o que o Apóstolo Paulo falava sobre o seu ministério? Ele disse: Em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez. (2Co 11:27) 


A resposta é NÃO. É importante que entendamos uma questão: há duas alianças na Bíblia: uma feita entre Deus e Israel, baseada em obediência e em sacrifícios, visando a formação de uma nação sacerdotal. A outra aliança é aquela que foi feita no sangue de Jesus Cristo, através do Seu sacrifício, substituindo a anterior que, por desobediência judaica, foi rompida. A primeira aliança visava uma terra prometida temporal, localizada na Palestina; a segunda aliança fala de uma Nova Jerusalém numa Nova Canaã celestial. A primeira estava baseada em bens materiais e prosperidade pessoal como evidência da bênção divina; a segunda fala de recompensas nos céus e de não se ajuntar tesouros aqui neste mundo. Na Velha Aliança as recompensas eram temporárias e terrenas; na Nova Aliança a salvação é a dádiva e a duração é eterna. Por isso dizemos: Davi viveu numa aliança diferente da nossa. A aplicação da prosperidade pura e simples não funciona para quem vai para o céu. Paulo disse: Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes. (1Tm 6:8) E Jesus afirmou: E, levantando ele os olhos para os seus discípulos, dizia: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus. (Lc 6:20)


Diante disto perguntamos: tem este texto relevância para nós? Sim, e como! Um crente não mendiga porque sempre procura trabalhar com as próprias mãos e ganhar o seu pão. Se o trabalho fica escasso então os crentes, com o amor do Senhor, repartem o que têm e ajudam este pobre necessitado a caminhar a etapa difícil que está vivendo. E se for idoso ou com necessidades especiais a igreja o auxilia, o ajuda e o socorre, pois é o amor do povo de Deus expresso através de atos de compaixão e de solidariedade. Costumo afirmar que ninguém é solitário na igreja. Alguém que não tenha família encontra no meio do povo de Deus muitos pais, mães, irmãos, irmãs, conselheiros, professores e filhos. Oh, como é bom servir ao Senhor! O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus. (Fp 4:19)



Que Deus nos abençoe imensamente. Amém.



Wagner Antonio de Araújo

mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite da irmã Ana Maria Suman Gomes).