Translate

sexta-feira, 20 de março de 2015

memórias literárias - 157 - QUE BRASIL MINHA FILHA ENCONTRARÁ?




 
QUE BRASIL
MINHA FILHA
ENCONTRARÁ?
157
Em julho, se Deus permitir, virá ao mundo a minha filhinha. Oramos por isso, desejamos isso!
 
Porém, que Brasil essa menina irá encontrar?
 
Reflito sobre algumas realidades que vivemos hoje, em março de 2015.
 
Tramas de novelas criadas para a divulgação e disseminação de idéias avessas ao cristianismo: casais de lésbicas velhas, homens gays namorando, exploração das possessões espirituais e rituais espíritas, a legalização e a necessidade do aborto legal e desejado, o ensino de técnicas para se manter duas ou três mulheres ou cinco ou seis homens para o relacionamento, o deslumbramento da vida de filhos com pais separados etc.
 
A mesma sociedade que critica e protesta contra os crimes hediondos ou contra os terroristas islâmicos que matam com crueldade, faz vistas grossas com as divas da televisão que dizem, sem pejo e sem medo, que abortaram seus bebês e que o fariam quantas vezes desejassem. Mulheres que se tornaram ícones das novelas, apresentadoras de TV, mestras e políticas defendem a matança dos inocentes no ventre, como algo tão banal quanto tirar um tumor ou arrancar uma amígdala!
 
Criminalidade absurda e absorvida: homicídios e latrocínios crescem sem trégua, sem qualquer esperança de solução. O dinheiro público roubado é distribuído a políticos e pessoas influentes, que, conquanto criminosas, continuam poderosas, populares e eleitas. A justiça, que deveria punir os criminosos, acaba por ter um de seus juízes tomando o bem do próximo de forma trágica e pública. As grades das casas cada vez mais altas e as cadeias cada vez mais cheias; contudo, as cadeias estão se tornando postos de negócio e os lares as verdadeiras prisões, muitas vezes invadidas pelo crime.
 
Mentiras aceitas e frustrações concretizadas: jovens que acreditaram na Pátria Educadora descobriram uma pátria lesadora: não conseguem a matrícula em suas faculdades. Ou o site do ministério da educação não completa a matrícula, ou a faculdade não está mais qualificada ou o curso não é mais prioridade para o financiamento. As cômicas PRONATEC estão fechando as portas porque não há mais dinheiro para financiá-las. E os professores em greve, ganhando misérias, não encontram mais estímulos para ensinar um populacho que foi criado sem respeito às autoridades, sem valorização do estudo e sem dar qualquer significado ao cultivo da cultura. Enquanto um universitário que consumiu 5 longos anos de estudo e outros 5 pagando o financiamento ganhará um salário insuficiente e, quase sempre, fora da sua área escolhida de atuação, um moleque que chuta bola ou uma mulher que tira a roupa em público, ou um gay que extravasa sua sensualidade e humor nas mídias ganhará centenas de vezes mais de salário, comissão, propaganda e fama.
 
Igrejas falsas com pregadores nojentos. Igrejas lotadas! Um apóstolo cospe num copo de água mineral barata e faz uma mulher bebê-lo, fingindo ter sido curada da esterilidade. A mulher soa o nariz na toalha e esfrega no rosto das incautas que se reúnem sob sua tutela. Multidões se expremem nos cultos dessa gente falsamente chamada evangélica, para ouvir cantores gospel que não são crentes (divorciados, adúlteros, mafiosos e incrédulos), pregadores que prometem mentiras recorrentes (cura completa, prosperidade absoluta, vitória em tudo). Quanto mais mentem, mais a gentalha é atraída. Quanto mais bizarros os cultos, mais exercem os papéis de xamãs ou de pajés desse grande vale tupiniquim. Pregadores e cantores a cada dia são denunciados por atos imorais, vídeos gravados e descobertos em celulares roubados, encontros privados com políticos de prestígio, e quanto mais a sujeira fede, mais poder e dinheiro obtêm.
 
Oh, Brasil, até quando? O que o pecado fez de você! Oh, brasileiros, por que tanta cegueira? Onde estão os poucos valores que cultivamos pelos anos que vivemos como Nação? É uma pena que não tenhamos boas tradições para evocar. Colonizados como colônia penal, divididos para dar lucro a espertalhões, usando mão de obra escrava por séculos e dizimando os autênticos proprietários das terras, os índios, não sobrou muito para lembrar, exceto uns poucos momentos de lucidez localizada em um ou outro lugar.  A lei do mais esperto, do mais corrupto, do mais malandro, do que grita mais alto, do que usa da espingarda, do que compra o poder, do que corrompe o juiz do que não tem pejo na língua, do que mente deslavadamente, é tudo o que sempre tem vencido.
 
Enquanto o país não abrir o coração para Deus e para a Sua Lei será sempre a troca de seis por meia dúzia. Mudam-se as siglas mas o pecado será o mesmo. Mudam-se os clientes mas os fornecedores continuarão os mesmos.
 
Que país minha filha terá? Que Nação ela habitará? Acredito que está chegando o tempo da "SITUAÇÃO NOÉ". Sim. Numa sociedade absolutamente bizarra, maldita e corrompida, do período chamado antediluviano, conta-nos a Bíblia sobre esse tal Noé. E diz dele: "era homem justo e íntegro, andando com Deus" (cf . Gn 6.9).
 
Noé destacou-se como justo diante de um mundo injusto. Era alguém que não se vendia, que não seguia a multidão, que não mudava de opinião a cada propaganda mais eficaz. Ser justo é ter valores íntimos, é ter conceitos sobre certo ou errado. E não firmados em moralismo barato. Ser justo é concordar com aquilo que Deus considera certo e ser contra aquilo que Deus considera errado. E isso para os outros e para consigo próprio. A Escritura Sagrada afirma que "não há um justo sequer", mas "justificados por meio da fé temos paz com Deus", e isto só pode vir através de um relacionamento efetivo com Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, que se revela em Sua Palavra, a Bíblia Sagrada.
 
Também destacou-se por ser uma pessoa íntegra. Era um homem por inteiro, um homem que não tinha duas caras, que não fingia, que não dava brechas para que as fraquezas o consumissem. Ser íntegro é não manter relacionamentos duplos, não ter sexualidade inconforme com a vontade divina, é ser fiel no casamento e com as pessoas que lhe são preciosas. Ser íntegro é guiar-se por valores interiores, por princípios, e não por dólares, por audiência  televisiva ou por vitória em eleições. Ser íntegro é não se vender, não aceitar suborno, não fazer o jogo do poder, não submeter-se a comportamentos que lhe deixarão comprometido. Tal integridade não existe no homem pecador, pois a bíblia diz que "todos juntamente se corromperam", mas anuncia gloriosamente que "se alguém está em Cristo é nova criatura", e que  "as coisas velhas já passaram e que tudo se fez novo".
 
Noé destacou-se naquele mundo corrompido porque andava com Deus. Sim, ele admitia crer em Deus num mundo que não cria. Admitia ser guiado pela presença divina quando todos se guiavam pela consciência popular, pelos costumes, pelas convenções locais, pelas conveniências sociais. Andar com Deus é ousar ir de encontro ao que todos esperam, quando é tão fácil andar sem Deus. Neste Brasil do século XXI andar com Deus pode significar ser contra a tudo aquilo que a vasta maioria do povo defende como bom. Significa fundamentar-se no dito antológico: "em seus passos o que faria Jesus?" Significa cuidar do corpo, da mente, dos relacionamentos, da família, do trabalho, do planeta, da alma, usando critérios revelados na Bíblia como autênticos, e não guiados pelas mentiras que a sociedade cria, inventa e reinventa para iludir as pessoas.
 
Meu Brasil brasileiro: volte-se para o Senhor! Converta-se a Cristo! Leia a Bíblia! Afaste-se da multidão, aproxime-se do Calvário! Conheça a história do Senhor e entenda que em breve Jesus Cristo voltará! Será um dia triste para quem seguir a vasta multidão, mas feliz para os ousados, que buscaram a Deus.
 
Minha oração pelo Brasil que minha filha irá encontrar, e pela Pátria que ela ajudará a construir, caso o Senhor Jesus não venha antes.
 
Wagner Antonio de Araújo
13/03/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário