Translate

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

memórias literárias - 306 - TÃO MODERNO ...


TÃO MODERNO ...
306
 
Após 40 minutos na fila única do caixa, o gerente grita para os clientes:
- Infelizmente o sistema caiu e não tem previsão de voltar. Pedimos que voltem outra hora.
Um cliente, aborrecido, diz:
- Mas só quero levar esse pacote de sulfite, são R$ 8,00, já estou com o dinheiro contado!
- Sinto muito, mas sem sistema não podemos vender nada!
 
 
--------------------
 
O conferencista internacional, ovacionado pelos 2 mil pagantes naquela igreja famosa, prepara-se para falar. Liga seu tablet, aciona o datashow e exibe o primeiro slide. De repente a energia acaba. A igreja não tem gerador próprio. O conferencista grita então:
- Eu lamento, não posso dar-lhes o estudo que preparei. Tudo o que eu iria falar está no tablet e tudo o que iria mostrar está nos slides. Sem energia, sem palestra.
Um participante pagante, aborrecido, diz:
- Mas diga de cabeça o que lembra, não se importe com a ordem ou a estrutura, viemos aqui para ouvir-lhe!
- Sinto muito, mas sem tablet e sem datashow não sei falar nada!
 
 
------------------------
 
O culto começa. O "grupo de louvor" vai à frente. Mandam ligar microfones, guitarras, teclado, datashow e começam a exibir a letra. A energia acaba. Sem um prazo para voltar o diretor de música diz:
- Eu lamento, mas não poderemos cantar ao Senhor e nem levar a igreja a cantar conosco, pois todas as partituras e todas as letras para acompanhamento estavam no computador. Sem energia não dá.
Um cultuante, aborrecido, diz:
- Mas, irmão, tem dois violões aí, estão afinados e prontos para o uso! Toque os cânticos no violão e, se não se lembrar desses, cante um dos conhecidos por todos nós! Viemos para cantar ao Senhor!
Então o músico diz:
- Nossa música é técnica, é de qualidade, sem partitura e sem letra não sabemos tocar nada; não poderemos louvar ao Senhor hoje...
 
 
-------------------------------
 
O crente abre seu celular para ler a bíblia. O celular, já usado e com a memória carregada, tem um problema e trava irremediavelmente. Ele tenta de toda forma ligar, descarregar a memória, formatar, mas sem sucesso. Então diz para si:
- Eu queria muito ler a bíblia. Mas ela está na memória do celular e sem celular não tenho como lê-la. Portanto, fica para outra oportunidade, quando eu tiver dinheiro para comprar outro aparelho.
E o Espírito Santo lhe diz ao coração:
- E as palavras que lhe gravei na mente e na alma, não quer meditar nelas?
O crente então diz:
- Sinto muito, não sei meditar, só sei ler. E para ler preciso de um celular que funcione. Sem celular, sem palavra de Deus.
 
-------------------------
 
Que mundo é esse?
 
Que mundo é esse onde o comércio só sabe funcionar com um sistema complexo e interligado, com conexões bancárias, de almoxarifado, de atendimento, de comércio exterior etc? Ninguém mais sabe escrever num papel o que comprou ou o que vendeu? Ninguém sabe fazer uma conta de cabeça ou dar um troco sem olhar o que o ecrã mostrou? Tem que olhar na tela? Sem sistema, sem comércio? Armazém cheio, loja cheia de gente, mas não se compra e nem se vende sem que se tenha "a senha, o número na testa ou na palma da mão?"
 
Que mundo é esse onde os pastores só pregam com um notebook no púlpito e um datashow ligado? Que pregadores são esses, que usam esquemas prontos, garimpados na internet, fruto de conferências de auto-ajuda ou de outros pregadores tão vazios quanto eles? Que mensageiros de palha são esses que não sabem dizer nada se não olharem para o papel ou entupirem o povo de figuras, de cliparts, de esquemas ou de slides brilhantes com efeitos? Não têm nada no coração? Não sabem ler a bíblia? Não podem pregar de cabeça? Estão vazios? São meros papagaios de pirata, repetindo tudo o que supostos prósperos já falaram?
 
Que mundo é esse onde os músicos só tocam profissionalmente, com equipamentos de última geração, com potências enormes e com performances previamente gravadas? Não sabem tocar um violão sem eletricidade, uma flauta, um piano, nada? Não sabem cantar nada que tenham aprendido para sempre? Não conseguem decorar as próprias letras? São escravos dos equipamentos eletrônicos? Suas letras não podem ser distribuídas em papel e o povo só pode vê-las se olhar na tela ou comprar seu cd? É isso a que chamam de louvor moderno? Tudo de forma eletrônica, tudo automático, tudo plástico e falso? Que glória humana de fumaça de neblina colorida é essa?
 
Que mundo é esse onde os crentes se satisfazem com uma bibliazinha de celular para a sua vida devocional? Não tem espaço para marcar, não tem páginas para anotar, não tem volume para levar, não tem nada, é apenas uma sopa de letras bíblicas no aparelho. Quando quebra, jogam fora e arrumam outra, às vezes igual, outras com música ou com paisagens, mas todas hermeticamente distantes, eletrônicas, que não entram no coração e nem sobem à mente! Não há mais amor pelo livro de Deus, pois qualquer tela abre qualquer bíblia, mas só quando há um aparelho e onde haja eletricidade para movê-lo! Sem energia, sem bíblia.
 
Tempos modernos! Tempos de tanta complexidade e de tamanha burrice! Tempos em que as máquinas fazem tudo e os homens não fazem mais nada! Tempos em que os motoristas não conhecem mais a cidade, apenas seguem um GPS sem alma. Tempos em que não se sabe fazer contas, apenas anotar o que a calculadora determinou! Tempos em que não se guarda mais a Palavra de Deus no coração, mas no computador, e, se o HD pifar, pifou também o alicerce da vida. Tempos em que somos meros escravos da tecnologia, onde não somos mais senhores do saber, onde não buscamos, pesquisamos, descobrimos, aprendemos! Nós não nos deslumbramos com mais nada! Tempos sem alma, sem vida, sem personalidade, sem Deus!
 
Tempos modernos! Preferia o tempo de outrora! Aliás, quando a energia elétrica falhar, somente os que não construíram a sua vida sobre essa tecnologia escravagista, poderão viver, progredir e desfrutar. O comerciante pode usar o sistema, mas tem que saber usar a caneta, o papel e a borracha também. O pregador pode usar a tecnologia, mas só como acessório, não como fundamento; ele tem que ter a palavra na mente e no coração, e tem que ser dele, não copiada de outro. O músico pode usar a tecnologia, mas se tudo falhar, um acústico com um violão surrado faltando cordas e uma alma tocada pelo Espírito Santo deve falar muito mais alto e ter muito maior potência! O crente pode ter a Bíblia no celular, mas jamais subsituir a sua bíblia de estudos, devocional, aquela que o acompanha à presença de Deus, pois com ela ele pode manter-se em contato com a voz de Deus, ainda que não haja energia elétrica. Pode manchá-la com suas lágrimas, pode anotar suas dúvidas, registrar suas experiências, enfim, pode fazer dela sua parceira que nunca pifa.
 
Estes tempos modernos são o pano de fundo para a vinda do iníquo. Um tempo onde ninguém poderá comprar ou vender se não tiver a marca da besta, o seu número na testa ou na mão, isto é, sua senha, seu password, seu login, estar NO SISTEMA. Quem for escravo do sistema sucumbirá com ele. Mas quem for inteligente e crente não ficará refém de um sistema que castra a inteligência, mas o usará (e não será usado).
 
Que possamos refletir com cuidado no mundo moderno no qual vivemos. Que não sejamos escravos dele, que não construamos a nossa espiritualidade em equipamentos que não funcionam sem energia elétrica. Que não vivamos na dependência de computadores e nem vivamos a olhar para um ecrã, para um monitor. Que os nossos olhos estejam em Deus, e, por causa disso, tenhamos olhos inteligentes, que sabem discernir, aprender, criar, distinguir e resolver.
 
Que Deus nos ajude!
 
Wagner Antonio de Araújo
05/01/2016
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário