Translate

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

memórias literárias - 315 - ATOLADO NA AREIA



ATOLADO NA AREIA
315
Certo turista, inexperiente, visitou Ilha Comprida (SP) e resolveu desbravar suas praias. Disseram-lhe para ter cuidado, mas ele não teve.

Seguiu pela areia por alguns quilômetros. Como já começava a escurecer, decidiu deixar a aventura para outro dia e buscou uma saída. Não havia nenhum povoado. Achando uma saída decidiu seguir por ela. Mas, ao invés de sair, acabou encalhado na areia. Quanto mais acelerava, mais atolava. As rodas giravam, o carro gemia, e ele afundava.

Desesperado, tentou dar marcha à ré. A situação piorou. Saiu do carro e tentou empurrar, mas o carro não se movia.

Passou a gritar. Porém, ninguém o ouvia. Seguiu à pé pela trilha e buscou um povoado, onde pediu ajuda a duas pessoas. Os três empurravam o carro, sem sucesso. Foram embora, deixando-o sozinho e desesperado.

Voltou à vila e implorou por socorro. Encontrou um trator a alguns quilômetros. Ao chegar, o tratorista amarrou uma corda ao pára-choque e desatolou o seu carro. Alegre e agradecido, pensou: “eu jamais conseguiria sair sozinho daqui!”

Esta cena nos faz lembrar a vida de cada um de nós. Achamos que conhecemos tudo, sabemos tudo, porém atolamos nas areias das decisões erradas. Destruímos nossa auto-estima, nossos planejamentos e sonhos.

A Bíblia diz: “Elevo os meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra”. (Salmos 121.1-2). A nossa vida é como o carro que atolou e nós somos como o rapaz: incapazes de sair e continuar. A única alternativa é buscar socorro, mas não com qualquer um. Devemos buscar a Deus, o dono do trator. Ele disse em Mateus 11.28: “Venham a mim, vocês que estão cansados e sobrecarregados; eu lhes darei alívio!”

Desencalhe a sua vida! Peça a Jesus Cristo, em oração, para que lhe socorra. Ele o fará e lhe tirará do atoleiro.

Wagner Antonio de Araújo

obs:
este texto virou um folheto, disponível aqui:

Nenhum comentário:

Postar um comentário