Translate

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

memórias literárias - 245 - A ESPERANÇA

 
 
 
 
 

 

A ESPERANÇA
 
245 

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor (1Co 13:13)

O Apóstolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, disse-nos que quando tudo terminasse restariam 3 grandes virtudes, 3 bênçãos e atributos da própria existência em Deus: a fé, a esperança e o amor.

A ESPERANÇA é o segundo deles. Esperança significa expectativa, disposição de espírito no aguardo de alguma coisa.

Biblicamente a esperança é uma virtude cristã. Ela é gerada no coração do crente, quando este confia plenamente nAquele que fez as promessas nas quais se creu.”Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.” (Hb 10:23). Esperança envolve fé, credulidade em quem prometeu e no que prometeu: “Em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos;”  (Tt 1:2) A esperança é também escatológica, envolvendo o doce aguardo do Dia de Cristo, Sua volta gloriosa e a ressurreição dos mortos: "Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo;" (Tt 2:13)

Um homem cristão, chefe de família, é um homem movido e direcionado pela esperança. Não uma esperança qualquer, depositada em alguma falsa promessa ou por mera crendice. Um marido cristão bíblico é um homem de esperança firmada em Deus e em Sua Palavra. "Esforçai-vos, e ele fortalecerá o vosso coração, vós todos que esperais no Senhor " (Sl 31:24); "Porque em ti, Senhor, espero; tu, Senhor meu Deus, me ouvirás." (Sl 38:15)

Este homem íntegro é cheio de esperança, uma doce paciência na expectativa do melhor. "Esperei com paciência no Senhor, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor."  (Sl 40:1)

Ele é paciente e aguarda dia após dia a concretização dos ideais pelos quais lutou e orou. "E assim, esperando com paciência, alcançou a promessa." (Hb 6:15)

O homem cristão espera no Senhor, não no homem ou em promessas de pessoas que se julgam poderosas. "Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor nosso Deus." (Sl 20:7). "Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!" (Jr 17:5)

Sua esperança é sempre pelo melhor, nunca pelo pior. Ele não cultiva pensamentos de fracasso, doença e infelicidade. "O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate." (Pv 15:13). Esse homem enche a sua cabeça de bons pensamentos:  “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança” (Lamentações 3.21); "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." (Fp 4:8)

O marido cristão anima, incentiva e encoraja a esposa no exercício de suas funções e na busca de seus ideais. Ele enxerga oportunidades no meio das crises e razões melhores para as aparentes derrotas temporárias. "E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." (Rm 8:28). Ele é capaz de encorajá-la numa calamidade (enfermidade, luto, perda de oportunidades); ele lembra o que Cristo disse a Pedro: "Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois." (Jo 13:7)

O  homem cristão é capaz de amar, compreender, encorajar e despertar nos filhos os melhores ideais e as mais preciosas vocações. "Por cujo motivo te lembro que despertes o dom de Deus que existe em ti pela imposição das minhas mãos." (2Tm 1:6). Ao invés de lançar em rosto as derrotas momentâneas ou as incapacidades circunstanciais, ele caminha ao lado, passo a passo, buscando ajudar, encorajar, apoiar, fortalecer, orientar e animar. Tais filhos veem nesse pai crente um amor sincero e são capazes de progredir em decorrência da confiança sincera depositada. “Mas de vós, ó amados, esperamos coisas melhores” (Hb 6:9a). Exigir sem valorizar produz frustração e revolta. Pais cristãos não dão apenas a bicicleta; eles acompanham os filhos até o momento de tirar as rodinhas de segurança. E depois os deixam ir, acolhendo-os, caso se machuquem.

O marido cristão tem esperança escatológica. A salvação, a ressurreição, a volta de Cristo, são temas constantes de seus compartilhamentos com a esposa e filhos. E ele não apenas comenta; ele afirma e crê de coração: "Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras" (1Ts 4:18). Seus lares são postos de esperança, pequenas miniaturas de boas igrejas, onde há comunhão e graça em todas as suas esferas. "O justo anda na sua sinceridade; bem-aventurados serão os seus filhos depois dele." (Pv 20:7)

Que Deus nos dê, como homens cristãos e maridos bíblicos, um coração, mente e espírito azeitados pela Santa Esperança da nossa Vocação.

"Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder;" (2Ts 1:11)
 
Wagner Antonio de Araújo
 
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário