Translate

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

memórias literárias - 256 - PRÁ QUÊ FAMÍLIA?

"PRÁ QUÊ" FAMÍLIA?
 
Milú (empregada-virou irmã), mamãe, eu e papai, em 1985)
eu, meu pai e o meu irmão Daniel, em frente
à nossa casa, em 1973

Daniel e eu, numa foto de 2003
 

256
 
Quando Deus criou Adão, deu-lhe a incumbência de nomear a todos os animais que existiam. Adão sentia-se só, e procurou dentre todos algum que lhe fosse compatível, sem, no entanto, encontrar. Quando se procura alguém e nada se encontra, a solidão duplica. Acredito que Adão estava muito triste. A tristeza do homem, quando justa, toca o coração de Deus. Assim, o Senhor tomou as dores de Adão.
 
O Senhor aplicou um sono profundo sobre o homem. Adormecido, teve uma de suas costelas retirada. Com a costela Deus construiu uma mulher, certamente a mais linda do mundo (também porque única...), e um autêntico milagre do maior cientista de todos os tempos. Se disséssemos, há alguns anos atrás, que Eva surgiu de uma costela, os cientistas ririam. Hoje eles não só admitem a hipótese, como querem repetir a façanha em seus laboratórios, com partes ainda menores do corpo humano! Werner Keller estava certo em sua afirmação: "E a Bíblia tinha razão".
 
Deus poderia ter usado algum osso ou parte da cabeça de Adão. Entretanto, simbolicamente, tal atitude poderia favorecer algum pensamento feminista de domínio, onde a mulher submeteria o homem às suas ordens e necessidades, e esse não era o projeto de Deus para a família. Também poderia ter usado algum osso da perna, do pé, mas não o fez. Também isso seria um símbolo de poderio, de domínio tirano, onde o homem teria em sua mulher uma mera subalterna serviçal. Deus fez tudo certo, tudo perfeito: tirou uma costela, um osso do meio, que fica ao lado do coração. Assim o homem se lembraria de que a sua companheira fora criada para estar "ao lado" dele. Nem dominá-lo e nem ser subjugada, mas acompanhá-lo, estar ao lado, na caminhada.
 
Agora homem e mulher estavam prontos para construirem o maior projeto de civilização de todos os tempos: a família. Sim, a família, essa instituição que foi tão sacrificada e perseguida nos anos 70 e 80, com certos psicólogos fazendo testes de novos sistemas e estragando toda uma geração, e agora, com um "mea culpa" claríssimo, esses mesmos falsos mestres reeducam os deseducados solitários, dizendo-lhes: "Família é de fato algo importante". Sim, família, essa porta de esperança, esse oásis no deserto do mundo, esse refúgio às vicissitudes da vida, é mais que importante. FAMÍLIA!  Mas,
 
"PRA QUÊ"  FAMÍLIA?
 
01) PARA POR FIM À SOLIDÃO - Deus disse que não seria bom manter o homem solitário. Assim, criou a mulher para ser-lhe companheira. E que criação maravilhosa, que obra-prima! O homem é um ser sociável, mas também é um ser espiritual, partilhador, que precisa de alguém com quem conversar intimamente, alguém com quem partilhar as alegrias, as tristezas, as vitórias, os fracassos, os projetos, alguém que interaja com ele, que o constranja, que o elogie, que lhe dê carinho e atenção, com quem possa relacionar-se fisicamente. Assim, no projeto de Deus, a mulher é exatamente a resposta divina à solidão do homem (há alguns poucos chamados por Deus para o celibato, que são pessoas capacitadas por Deus para caminharem completos, sem a necessidade de um companheiro ou uma companheira, mas isso é um dom especial, é uma exceção). Há um vazio no coração do homem, e esse vazio tem o tamanho de uma mulher. E há também um vazio no coração da mulher, vazio do tamanho de um homem*. Colocar-se um homem para ser par com outro homem é errado, é contra a natureza criativa, nem tampouco uma mulher por companhia de outra mulher. Amigos, sim; casais, não! Aliás, homossexualmente não há casais. Deus criou tudo de forma perfeita e harmoniosa, e fez a mulher para ser companheira do homem. Como é lindo quando homem e mulher se descobrem, se aceitam, se adequam, se mobilizam, se dispôem a caminhar juntos! Deus resolveu a solidão, instituindo a família!
 
2) PARA A PROCRIAÇÃO - Ao criar o par, Deus ordenou que crescescem e se multiplicassem, que se reproduzissem em outros seres semelhantes, gerados de dentro deles, como fruto do amor recíproco. E como é lindo olhar nos olhos de um filho e ver o rosto de seu pai; olhar para uma linda moça e lembrar-se do retrato da mãe dela, em idade similar! O milagre da vida está na reprodução que podemos ter de nós mesmos em seres autônomos, gerados de nós mesmos, confiados ao casal para um período de preparo! Pais que formam os filhos para a paz! Pais que amam os filhos na medida certa, nem demais e nem de menos! Pais que ensinam as Sagradas Letras às crianças! Pais que exercem os seus papéis com dignidade e responsabilidade! Deus quis que o homem criasse outras gerações, e quantas mais haverá até a volta de Cristo? Não é apenas o gerar biologicamente que procria e reproduz, mas criar adotivamente também é um ato de procriação e amor! Os filhos adotivos deveriam ser agradecidos aos seus pais, que optaram por tê-los, e se sentirem confortados ao terem Jesus Cristo como "Patrono dos Adotivos": Jesus teve em José o seu pai adotivo por excelência!
 
3) PARA A PARCERIA - Sim, homem e mulher foram criados para serem parceiros, e não concorrentes! Há casais que concorrem entre si, numa disputa idiota e infantil, para ver quem ganha mais dinheiro, quem recebe mais diplomas, quem consegue maior sucesso, quem conquista mais os filhos, quem obtém os melhores elogios, quem vive mais que o outro. Não foi para ser concorrentes que Deus fez homem e mulher, mas "parceiros"!  E esse é o propósito de Deus na vida da mulher: realização na missão do esposo, mesmo que tenha uma vocação e uma carreira paralela! Lembremo-nos da criação: o Senhor criou a mulher para ajudadora, e a mulher certa aprecia e apóia a carreira do esposo certo! Não há conflitos! Um complementa o outro, mas a carreira do marido é para a esposa a sua alegria! Que bonito uma esposa festejando uma vitória do marido! Que bonito uma namorada feliz com a vitória esportiva do namorado! Casados, na educação dos filhos, a parceria faz com que o lar seja harmônico: à esposa compete a educação, o cuidar, o ensinar das sagradas letras. Ao marido cumpre dar segurança, trabalhar e suar duro pelo sustento. A mulher é coração, é emoção. O homem é razão, é lei, é decisão. E assim ambos se completam. A falta de exemplos claros de pai e mãe gera os conflitos existenciais em muitos garotos e garotas, levando-os, não raras vezes, ao homossexualismo, pois não conseguem se identificar com mães ativas e pais passivos, porque são contra a natureza, e assim estabelecem-se confusões em suas mentes em formação. PARCERIA: É isso que a família deve concretizar!
 
4) PARA A ESTABILIDADE - "O que Deus uniu, não separe o homem"; "até que a morte os separe". Frases bonitas, bíblicas, mas que estão caindo em desuso, até entre evangélicos! Hoje casa-se com uma ficha de separação em branco na mala de lua-de-mel. Casamento virou "utopia", "compromisso de ninguém", nos dizeres do poeta. Que tristeza ver pessoas que tinham um testemunho tão bonito, colocando tudo a perder, por quebrar a aliança feita junto do Senhor, numa igreja e diante do povo! Mas não foi sempre assim. Aliás, o Senhor disse que o divórcio só poderia existir quando houvesse adultério. E que o divórcio se justificava apenas pela "dureza dos corações". Hoje, contudo, casais se separam "porque ele ronca", "porque os nossos gênios não combinaram", "porque eu escolhi mal", "porque agora eu sei realmente o que eu quero", "porque preciso de novas experiências". E os filhos que se virem! Filhos jogados de um lado para o outro, com dois, três, e até quatro lares diferentes, com pais, padrastos, madrastas e mães, uma confusão! Mas o divórcio por adultério é a exceção. Deveriam ter escolhido melhor no período de namoro, deveriam ter aplicado os princípios corretos do "quem ama, espera!", talvez não estivessem juntos obrigatoriamente hoje. Mas falemos sobre todo o resto: ESTABILIDADE. Gosto muito das frases que Rute falou para Noemí, quando esta lhe ordenou deixá-la, pois não tinha mais filhos para dar à Rute, que enviuvara há pouco. A moça disse as históricas palavras: "Não me instes a deixar-te, porque onde fores, irei eu, onde pousares, ali pousarei eu, onde morreres, ali morrerei eu e serei sepultada. Que outra coisa, além da morte, não me separe de ti". Sim, frases que podem e devem ser aplicadas ao casamento cristão. Assim é o casamento segundo Deus. Algo estável. E isso faz com que marido e mulher trabalhem com prazer! Podem planejar à longo prazo, sentem tranqüilidade, não estão correndo riscos! Podem financiar uma casa em vinte anos, podem pagar seguro e previdência privada, podem planejar viagens e festejos, podem construir a terceira idade com prazer. Como é bom saber que a família é uma âncora, que não afunda, que não quebra, que não arrebenta! Deus criou a família para servir de pedra firme, de rocha, num tempo de areias movediças e terrenos esburacados!
 
Sim, a família é um projeto de Deus. Foi pra sermos felizes que Deus a criou. E quando somos resgatados por Cristo somos também restaurados à posição de família conforme o desejo original de Deus. Homem e mulher. Pais e filhos. Deus e seus filhos. Como é lindo!
 
Que Deus abençoe as famílias de nossa igreja, e de todo o nosso país imenso! Como diria o querido Pr. Dr. Nilson do Amaral Fanini, "DEUS SALVE A FAMÍLIA!"
 
 
São Paulo, 04 de maio de 2003
Pr. Wagner Antonio de Araújo
Igreja Batista Boas Novas, Osasco, SP
 
mensagem proferida no púlpito da igreja, na manhã do dia 04 de maio de 2003, no lançamento das comemorações do MÊS DA FAMÍLIA.
 
 
 
* O exemplo de vazio no coração do homem não anula a ilustração evangelística

Nenhum comentário:

Postar um comentário