Translate

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

memórias literárias - 301 - SANTIFICAI-VOS HOJE


SANTIFICAI-VOS
HOJE


301
Disse Josué também ao povo: Santificai-vos, porque amanhã fará o SENHOR maravilhas no meio de vós. (Js 3:5)
 
INTRODUÇÃO
 
Cabia a Josué, filho de Num e imediato de Moisés, levar o povo hebreu para a tão sonhada, esperada e aguardada Terra Prometida. Era a terra de Canaã, habitada por gente que fazia o possível e o impossível para agredir a santidade divina, e por séculos. Deus prometera a Abraão a posse daquela preciosa região e agora os hebreus estavam prestes a possui-la. Por quarenta anos vagaram pelo deserto, até que a geração incrédula que saíra do Egito falecesse completamente, excessão de Josué e Calebe, que foram os únicos que acreditaram no poder de Deus para conquistá-la. Agora Josué iria liderá-los para essa vitória.
 
Sua palavra foi clara, diretiva, absolutamente determinante: "santificai-vos, pois amanhã o Senhor operará maravilhas no meio de vós". Sim, somente com as maravilhas divinas o povo teria condições de conquistar uma terra cheia de exércitos, de pessoas de grande porte, de armas, de fúria, de senso de defesa. Um povo que vagara 40 anos no deserto, sem casa, sem bens imóveis, sem nada, como conseguiria conquistar todo um país que funcionava em sua plenitude? Josué sabia que dependeria inteiramente de Deus e para isso determinou a santificação do povo. E o que seria santificação para eles?
 
Aquele povo, conquanto fosse chamado de "povo de Deus", não vivia realmente de acordo com os ensinos recebidos por Moisés no Monte Sinai. Era chamado de povo de Deus, mas não vivia com Ele. Havia quem adorava imagens de escultura, escondidas na bagagem. Havia quem quebrava a observância do sábado. Havia quem comia carnes imundas. Havia quem traía o próximo em todos os seus sentidos. Havia quem não observava as festividades espirituais. Portanto, era um povo sujo de mente e de coração e Josué sabia que, para que o Senhor operasse as necessárias maravilhas, seria indispensável para o povo uma santificação geral.
 
Aqueles que agiam com imoralidade deveriam romper com isso imediatamente. Quem tivesse ídolos escondidos deveria jogá-los fora sem dó e nem piedade. Quem estivesse imundo, tendo tocado em coisas mortas, deveria purificar-se e obter a limpeza necessária. Quem não estava seguindo à risca a Lei deveria sacrificar ao Senhor e obter a cobertura de seu pecado pelo sangue ritual das ovelhas e cordeiros. Enfim, era necessária uma atitude ativa generalizada por parte do povo para que a necessária santificação abrisse caminho para uma operação em poder, graça e eficácia por parte de Deus.
 
"Santificai-vos hoje" é o que ouvimos também da boca do Senhor para nós, que adentraremos a um novo ano cheio de cananeus a nos esperar. Atravessaremos o Rio Jordão, não o de Israel, mas o Rio Jordão imaginário da mudança de ano em nosso calendário, onde encerramos uma etapa e iniciamos outra. E, lá do outro lado do rio, encontraremos uma Jericó murada, armada até os dentes, defendendo-se de nossa conquista. É o ano novo, repleto de desafios, de dificuldades, de tentações, de esquemas que procurarão a todo custo impedir que o Senhor "opere maravilhas" no meio de nós.
 
Para Josué e o povo, a santificação gerou uma cena épica, pois, após atravessarem o Rio Jordão,  sitiaram Jericó e a derrubaram na cena impressionante do cerco por sete dias e o grito generalisado de todos, culminando na intervenção divina para derrubar todas as muralhas protetoras da cidade. E nós, que iremos atravessar o ano, o que poderemos fazer para nos qualificarmos diante do Senhor e estarmos preparados para que Ele opere maravilhas no meio de nós?
 
Gostaria de sugerir dez atitudes que demonstrarão de forma profunda uma consagração verdadeira de nossa parte para com o nosso Deus, atitudes que, mantidas ao longo de todo o ano, nos trarão retumbantes vitórias, gloriosas batalhas e preciosas conquistas, assim como os hebreus conquistaram a Canaã terreal, instalando-se naquela terra e fazendo dela o seu país.
 
01) NÃO TER OUTROS DEUSES E NEM ÍDOLOS
 
Deus não reparte a sua glória com ninguém. Assim, se queremos que o novo ano seja um "ano aceitável ao Senhor", um ano autenticamente consagrado a Deus, não poderemos repartir o nosso coração com mais ninguém. Isto significa colocar o Reino em primeiro lugar. De forma prática podemos dizer que a igreja, com suas atividades espirituais, evangelísticas e sociais, deverá ocupar o topo de nossa atenção, de nosso amor, de nossa dedicação. Para isso, não poderemos trocar a nossa responsabilidade com as funções que temos, com os ministérios que Deus nos deu com outras coisas privadas, pessoais, de cunho particular, relegando a obra do Senhor para quando for possível. Os cultos devem ter a nossa prioridade. A evangelização deve tornar-se regra e devemos nos envolver nas atividades da igreja durante todo o tempo. Não devemos trocar a confiança em Deus pelo dinheiro, pelos amigos, pelos políticos ou por interesses divergentes. Cristo é o nosso Senhor, não a TV, o futebol, o salão de beleza, o shoping, a construção civil, o lazer, a faculdade, o casamento, a família. Se Cristo não for o primeiro, ele não será nada para nós.
 
02) NÃO TOMAR A FORMA DO MUNDO
 
Por causa de uma capa babilônica os hebreus perderam vidas e tiveram grande derrota. Acã cobiçou a riqueza e a beleza do mundo e isso foi o seu tropeço. Se desejamos a bênção de Deus devemos parar de buscar nos parecermos com ele. O corpo do crente não foi feito para ser um desfile de modas, uma árvore de Natal cheia de luzes. A beleza física não deve ser a nossa busca, com maquiagens, cirurgias, piercings, tatuagens, modas caras. Quem vive de aparências terá um fim triste porque a velhice ceifará qualquer eficácia nos tratamentos. O mundo passa e a sua beleza aparente. Somente aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. Assim, não tomar a forma do mundo significa não querer ser igual, não imitar sua linguagem chula, não cantar as suas toadas imorais, não festejar as suas mentiras, não celebrar as conquistas que agridem ao Senhor. Estamos do mundo mas não somos do mundo. Não devemos ter vergonha de ter uma linguagem sã e irrepreensível, não devemos ter medo de testemunhar de nossa fé com simplicidade e com humildade. Não devemos copiar o figurino de artistas, modelos, cantores ou políticos, mas inspirar-nos nos modelos que a Bíblia nos traz. Mulheres de Deus eram humildes e se trajavam de submissão e oração. Homens de Deus trajavam-se de um caráter irrepreensível e de trabalho dedicado.
 
03) CUMPRIR OS COMPROMISSOS, FAZENDO VALER A PALAVRA
 
Jesus diz que apenas o sim e o não bem esclarecidos e definidos pertencem a Deus. Quem precisa jurar ou assinar documentos para fazer sua palavra valer, tem procedência maligna. A palavra do crente deve lembrar o dito antigo, onde um fio de bigode demonstrava honra e a certeza de que o que foi acordado seria cumprido. Assim deve ser o crente. Ele disse que seguiria a Jesus; deve segui-lo. Ele disse que seria dizimista; deve sê-lo. Ele disse que testemunharia a sua fé; deve testemunhar. Ele disse que faria isso ou aquilo na igreja do Senhor; deve fazê-lo. Ele afirmou que permaneceria casado e que seria fiel; deve sê-lo. Ele disse que trabalharia e sustentaria a sua casa; deve trabalhar. Ele disse que não mentiria para o patrão, para o irmão, para o amigo, para o governo; deve dizer a verdade. Ele disse que oraria e leria a bíblia contínuamente; deve cumprir. Os políticos corruptos, que são a quase totalidade deles nesta Pátria tão sofrida, são um retrato claro da corrupção do brasileiro. Infelizmente os cristãos têm sido tão corruptos e mentirosos quanto os políticos. Se queremos um Brasil diferente e uma igreja diferente, devemos começar por sermos verdadeiros, cumpridores de nossos sins e de nossos nãos.
 
04) CULTIVAR O BEM EM NOSSA VIDA
 
Se desejamos um ano abençoado para nós e para os nossos filhos, devemos cultivar esse ano com uma lavoura qualificada. Olhem para uma estrada e vejam duas propriedades, de mesmo tamanho, com um mesmo rio que atravessa o território. Uma é cultivada, a outra não. A cultivada possui um pomar vasto, uma horta maravilhosa, um gramado belíssimo com campo de futebol e com jardins floridos. Uma casa bem construída, um curral com animais e lindas cercas pintadas e bem cuidadas. A outra propriedade está no meio do mato, cheia de poças fétidas de lama, com cobras, buracos, sem cercas, com mato, mosquitos e todo um campo abandonado. Não há árvores frutíferas e as flores são de mato nativo, não de jardins cuidados. Assim é a vida de quem teme e de quem não teme a Deus. Moram na mesma rua, trabalham na mesma empresa, têm número similar de residentes na casa e ganham os mesmos salários. Porém em uma casa há alegria, há fartura, há crianças bem educadas, há mesa farta, há flores no jardim, há música feliz, há paz e há a presença de Deus. Na outra, ao lado, a casa está caindo aos pedaços, seu chão é sujo, suas paredes descoradas, as crianças xingam e se machucam, o casal brica e se ameaça, não há jardim e o mau cheiro é constante. O problema não está na casa, no tamanho, no lugar, mas em como se cultiva a vida, a família, os bens e a presença de Deus. Uma vive de trabalho metódico, contínuo e confiante; a outra sobrevive de migalhas. Neste novo ano poderemos fazer dos lugares onde vivemos um paraíso cultivado ou um vale sombrio cheio de sombras e violência. Se queremos que o Senhor "opere maravilhas", temos que cultivar "tudo o que é bom, tudo o que é reto, tudo o que é de boa fama, tudo o que gera louvor e virtude". Devemos trabalhar, comer o nosso pão com o suor de nosso rosto, fazer o nosso melhor. Como no antigo filme "So Dear To My heart", da década de 50, "o que importa é o que se faz com o que se tem". Ao invés de cobiçar do próximo, façamos o melhor com o que recebermos.
 
05) MANTER ÍNTIMA COMUNHÃO COM DEUS
 
Deus conhece aquele que ora, aquele que dedica tempo às Escrituras Sagradas, aquele que, ao invés de sair correndo em desespero ou em ataques de fúria, procura a Deus na simplicidade de um lugar quieto onde possa dobrar os joelhos e apresentar as suas causas diante do Senhor. A vida em comunhão é fundamental para que Deus opere maravilhas em nós e através de nós. Deus atende a oração dos que Lhe são fiéis em todo o tempo. Deus está atento às suas súplicas. Quem não anda com Deus, não vive em comunhão não obtém respostas às orações e nem sequer sente que Deus está atento às preces. Mas quem conhece a Deus no seu íntimo sim, vive constantemente observando a mão divina em seus caminhos e em resposta às suas súplicas. Ler a bíblia nos faz ouvir a voz do Senhor. Na bíblia Deus nos fala de forma clara. Aliás, é a única fonte digna da orientação divina. Quem ora fala com Deus e aprende a viver num diálogo constante: enquanto Deus nos fala na bíblia, nós lhe falamos pela oração. Um ano novo feliz e abençoado exige vida íntima verdadeira.
 
06) TESTEMUNHAR A NOSSA FÉ EM TODO O TEMPO
 
Cristo nos organizou como igreja não para que guardássemos a nossa fé como um tesouro pessoal não compartilhado. Se fosse assim os apóstolos teriam morrido com o tesouro e jamais teríamos crido no Senhor dois mil anos depois. Nós, cristãos, fomos incumbidos como semeadores de boas-novas, como mensageiros do Reino de Deus, como arautos da salvação, como proclamadores da vida eterna através do sacrifício de Jesus Cristo. Se hoje há crentes em nosso país é porque alguém teve o amor e a compaixão de compartilhar conosco, com os nossos pais ou com os pioneiros o plano de salvação. Nós somos esses mensageiros. Nem todos pregam, nem todos lecionam, nem todos cantam. Mas todos podemos testemunhar, repartir a nossa experiência de vida eterna e anunciar aos pecadores o caminho para o Pai mediante Jesus. Assim, devemos ao longo do próximo ano semear exemplares de bíblias aos amigos e colegas, e porque não dizer, até aos desconhecidos. Devemos estar munidos de literatura cristã, de folhetos, de livretos, de mensagens, de marcadores bíblicos, para não perder a chance de proclamar Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Devemos convidar pessoas para os cultos e conseguir lares onde celebrar estudos bíblicos e proclamações do evangelho. Se cada um de nós for um arauto da salvação, grandes multidões conhecerão o caminho de Cristo.
 
 

07) AMAR AO PRÓXIMO
 
Se cada um de nós seguir o que João, o Batista, ensinou aos que lhe perguntavam de que maneira deveriam viver daquele ponto em diante, após serem batizados, o mundo seria outro, pois os cristãos resgatariam a beleza do amor sacrificial. Quem tivesse duas roupas, deveria repartir com alguém que não tivesse nenhuma. Quem fosse cobrador, que não pedisse propina ou luvas para fazer o que tivesse que fazer. Enfim, que tivéssemos amor pelo próximo. Jesus chegou a dizer que no juízo ele valorizará quem visitou o enfermo, quem saciou a fome ou dessedentou o sedento, quem visitou o preso ou vestiu o nu. Isto significa que Deus ama aquele que vive e age com generosidade, que procura colocar-se no lugar do outro e sofrer com ele, chorar com ele ou fazer-lhe a companhia necessária. Num mundo perverso como o nosso onde a bondade tornou-se instituição (e toda vez que desejarmos ver um ideal morrer bastará institucionalizá-lo!), as oportunidades pessoais e particulares para ajudar a quem precisa estão diante de nós em todo o tempo: o menino que pede ajuda, o velho caído na rua, o orfanato da esquina, o asilo da beira da estrada, a favela ali ao lado, a família cujo chefe está enfermo. Também em nossa igreja, onde não podemos deixar de unir esforços para dirimir a dor do outro. Igreja é um corpo onde o padecimento de um é o padecimento de todos!
 
08) SABER AGRADECER
 
Se desejamos ver o Senhor operar maravilhas no ano que se inicia, devemos ter a capacidade espiritual e educacional de dizer "muito obrigado!" A atual geração não sabe agradecer. Ela agradece a si por si própria. Basta vermos os programas de TV onde, quando alguém é aplaudido, o homenageado se aplaude também! Isto demonstra que o mundo aplaude a si próprio, algo que é absolutamente divergente do jeito bíblico de ser! Nós não vivemos para nós, mas para Deus e, por Ele, pelo próximo! E devemos aprender a agradecer. Gratidão aos pais (e demostração de forma prática e presente), por ter-nos gerado e criado. Gratidão aos professores que nos ensinaram tantas coisas em tantas áreas! Gratidão por quem nos evangelizou! Gratidão pelos nossos pastores, que cuidaram de nós! Gratidão pelo lugar onde trabalhamos, pelo nosso ganha-pão! Gratidão pelos cuidados divinos em dar-nos o pão à mesa, a roupa para nos vestir, o teto para nos abrigar, a condução que nos leva, o dinheiro que nos sustenta. Gratidão a Deus por nos dar um corpo funcional num lugar onde podemos viver a liberdade! Gratidão por quem passou pela nossa vida e por quem ficou também! Gratidão pelos filhos, pelos netos, pelos sogros, pelos amigos e até pelos inimigos, que nos ensinam a avaliar a nossa vida e nos ensinam a suportar quem é difícil! Quem deseja ver Deus operar maravilhas deve aprender desde já a ser grato constante e definitivamente!
 
09) NÃO PERDER TEMPO COM FUTILIDADES
 
A bíblia fala sobre remir o tempo porque os dias são maus. E de fato o tempo, quando bem utilizado, é longo e suficiente para fazermos tudo o que Deus nos dá para fazer. Quem perde tempo com preguiça, com má administração, com falta de sabedoria, é um mordomo ruim desta dádiva que o Senhor concedeu. Nós não podemos acrescentar um milímetro no relógio do tempo de nossa vida. Deus não nos revela quanto tempo teremos por aqui. Assim, cada minuto é importante, é necessário e, quando bem aproveitado, torna-se parte de uma grande e maravilhosa história. Se queremos ver a mão de Deus no ano que se inicia então que venhamos a investir numa boa disciplina do uso de nosso tempo. Temos que ter tempo para Deus. Temos que dedicar tempo para a igreja. Temos que ter tempo para o trabalho. Temos que ter tempo para a leitura, para o lazer, para a família, para os amigos, para a saúde, para as notícias, para a oração, para a bíblia, para visitar os amigos, para cuidar dos pais, para zelar dos aflitos, para evangelizar, para escrever, para construir, para discernir. Ninguém tem tempo demais que possa jogar fora e ninguém tem tempo de menos, que possa justificar-se por não tê-lo aproveitado bem. Tudo quanto nos vier à mão para fazer, façamos conforme as nossas forças, priorizando sempre o Reino de Deus e toda a sua justiça.
 
10) ESTAR PRONTO PARA MORRER
 
Se queremos ver a mão divina operando maravilhas no próximo ano devemos entender que a vida é uma concessão, é uma dádiva, que é temporária, e que ela só valera a pena se vivida para Deus em toda a sua plenitude. Cristo disse que quem amasse mais a si próprio, mais aos seus queridos ou aos seus bens não era digno dEle. Assim, devemos amar a nossa vida, as nossas coisas, os nossos queridos, mas devemos amar muito mais ao Senhor, o Seu Reino, pensar nas coisas celestiais, vislumbrar pela fé a Canaã Celestial, aguardar a volta de Cristo e fincar as nossas raízes lá no Alto, aéreas, onde Cristo está a nos aguardar. Aqui não é o nosso lar. Como diz o hino, "sou forasteiro aqui, em terra estranha estou, do reino lá do Céu embaixador eu sou; meu Rei e Salvador vos manda em Seu amor as boas-novas de perdão". Se o Senhor nos enviar e quiser que morramos em campo, semeando a Palavra, em amor ao próximo e em serviço de Sua igreja, que assim seja! Devemos dar a Ele o direito de escolher onde viveremos, com quem nos casaremos, onde moraremos, com quem nos relacionaremos, em que lugar trabalharemos, até quando viveremos e de que forma morreremos. Devemos viver o dia de hoje como um constante agradecimento pela vida que passou e uma constante entrega nos braços do Pai. Se outro dia vivermos, será para a glória dEle. Se morrermos, iremos para os seus braços. Quer vivamos, quer morramos, que estejamos sempre com o Senhor!
 
CONCLUSÃO
 
Josué mandou o povo santificar-se, pois atravessaria o Rio Jordão e conquistaria Jericó e a terra de Canaã.
 
Deus nos manda santificar-nos, pois atravessaremos o rio imaginário que nos separará deste velho ano carcomido pelo tempo e nos dará um novo ano, onde teremos uma Jericó desafiadora a conquistar na Canaã onde viveremos, o ano que entra.
 
Para Josué, o povo deveria deixar sua idolatria, imoralidade, contato com mortos, falta de obediência à Lei do Senhor, purificar-se cerimonialmente e qualificar-se para esse precioso momento épico e histórico.
 
Nós também devemos nos santificar à luz da Palavra de Deus. E, à guisa de sugestões, destacamos dez atos práticos que demonstrarão, se feitos com amor e com absoluta fé, o nosso desejo de santificação:
 
1) Não ter outros deuses ou ídolos
2) Não tomar a forma do mundo
3) Cumprir os compromissos, fazendo valer a palavra
4) Cultivar o bem em nossa vida
5) Manter íntima comunhão com Deus
6) Testemunhar a nossa fé em todo o tempo
7) Amar ao próximo
8) Saber agradecer
9) Não perder tempo com futilidades
10) Estar pronto para morrer
 
Certamente que, se observadas essas sugestões ao longo do ano, teremos a bênção de ver Deus, em Sua misericórdia, operar maravilhas em nossas vidas, em nossa casa, em nosso trabalho, em nossa saúde, em nossos alvos, em nossos planejamentos e na salvação de nossos parentes e amigos.
 
FELIZ ANO NOVO!
 
Pastor Wagner Antonio de Araújo
São Paulo, SP, Brasil, 31 de dezembro de 2015, 15:45 hs
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário