Translate

sábado, 17 de setembro de 2016

memórias literárias - 362 - AMOR VOLUNTÁRIO

AMOR VOLUNTÁRIO


AMOR
VOLUNTÁRIO
 
362
Minha filha de um ano e um mês, Rute Cristina, tem reações súbitas que me trazem grande contentamento. Duas delas aconteceram ontem.
 
Ao ser colocada pela mãe sobre mim, que dormia na minha "poltrona do papai", ao invés de chorar e pedir colo novamente, sorriu, gritou e "papai!", vindo abraçar-me.
 
A segunda foi na sala, quando nos preparávamos para a oração final antes de nos deitarmos. Ela, que brincava com seus bonequinhos, levantou-se, correu até onde eu estava, abraçou-se às minhas pernas e novamente gritou "papaiii", sorrindo e tirando um par de lágrimas deste pai chorão.
 
Fomos deitar. E Elaine, que afirma sermos nós, os pastores, munidos de uma visão de mundo diferente, no sentido de buscar aplicações do quotidiano para a vida cristã, saiu-se com esta pérola:
 
- "Sabe, lindo (ela me chama de lindo...), eu creio que esta é uma das razões porque Deus nos oferece a salvação, sem impô-la. Se você tomasse a Rute no colo, obrigando-a a lhe abraçar, forçando-a a chamar-lhe de papai, poderia até conseguir, mas não lhe daria o prazer e a satisfação que sentiu ao recebê-la voluntariamente. Eu creio que é por isso que Deus espera ser adorado e fica feliz quando voluntariamente nos oferecemos a Ele."
 
A profundidade desta meditação deixou-me atônito e feliz. Atônito porque, diferentemente do que ela costuma afirmar, não são só os pastores que têm a aplicabilidade das coisas da vida em questões de fé. Todos os crentes podem ter. E ela o teve de forma muito especial. Feliz, porque me fez valorizar muito a bênção do convite do Senhor, e não apenas conceitos ditos calvinistas de salvação predestinada. Jamais saberemos o limite entre a soberania de um Deus que não pode ser manipulado por nossos atos e da liberdade que Ele nos concede em buscá-lo de boa vontade. Ele quer ser adorado, mas deseja que os homens que O amam optem por isto.
 
Pensei nas vezes em que pude buscá-lo nas madrugadas, onde cantei-lhe na solitude da sala ou do quarto, nas vezes em que desejei estar em Sua presença. Ele não obrigou-me a isto. Ele não determinou essa atitude como se apertasse um botão fatalista. Conquanto Sua ciência e Sua soberania me chamem de forma irresistível (e não posso negar esta realidade), trazer-me aos Seus pés em adoração e em comunhão são coisas que Ele espera voluntariamente de mim (ainda que o conflito dos dois conceitos seja real). Eu creio que quando eu me dirijo voluntariamente a Ele, dizendo: "Aba, Pai", o Seu prazer é semelhante ao meu, ao ver minha pequenina Rute trocar seus brinquedinhos ou o colo gostoso de sua mamãe por um mimo gracioso para comigo. Como fico satisfeito! Tomá-la à força, abraçá-la sem que pudesse sair ser-me-ia fácil; porém, não me traria o gosto de ter sido escolhido naquele momento ímpar. E como fico feliz!
 
Tal meditação de Elaine trouxe-me luz a textos que, doutra forma, acabam por não manifestar o seu dourado sabor:
 
Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará. (Mc 8:35)
 
Porque assim diz o Senhor Deus, o Santo de Israel: Voltando e descansando sereis salvos; no sossego e na confiança estaria a vossa força, mas não quisestes. (Is 30:15)
 
Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste! (Mt 23:37)
 
E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida. (Ap 22:17)
 
Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. (Mt 11:28)
 
Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, (Dt 30:19)
 
Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao SENHOR. (Js 24:15)
 
Bendito seja Deus pelas vontades (geradas pelo Senhor) em nosso coração, para adorá-Lo, e pela devida correspondência nossa em voluntariamente correr aos Seus pés!
 
Aleluia!
 
Wagner Antonio de Araújo

17/09/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário