Translate

sexta-feira, 19 de maio de 2017

memórias literárias - 452 - INTEGRIDADE


INTEGRIDADE

 

 
452
 
Essa tal de integridade anda escassa no Brasil. Talvez no mundo.
 
Qualquer um tem direito de ser quem o que quiser e pensar como desejar. Porém, se ao longo da vida faz mudanças bruscas, sem a justificação de uma conversão ou de uma legítima motivação, a imagem que transmite é de que não é uma pessoa íntegra.
 
Pior que isso é quando na frente das câmeras porta-se de uma forma e, por trás, vive uma outra realidade. Hoje, estarrecidos, os brasileiros enxergam o quanto os políticos são corruptos. Nesse mar de lama contemplam pessoas que, sob uma câmera oficial, falam bonito, falam o que todos gostam de ouvir, seja para os de direita, seja para os de esquerda. Eles sintetizam um desejo nacional e polarizam a popularidade. Porém, quando filmados, gravados ou descobertos por detrás das câmeras, o resultado é terrível: são exatamente iguais, corruptos e devassos.
 
A Bíblia já falava sobre isso há muito tempo. O profeta Jeremias já dizia a Israel: Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor! (Jr 17:5)
 
Quando tornamos uma pessoa a quem admiramos nosso ídolo, cedo ou tarde descobriremos que ele não é realmente tudo aquilo que nós idealizamos. Mais grave ainda é quando ele é um enganador, que simula na nossa frente uma realidade que não lhe diz respeito. Jesus disse isso dos fariseus, quando exclamou: Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia. (Mt 23:27)
 
Há pastores que são um blefe perfeito. Nos púlpitos são verdadeiros anjos de gravata. Falam os oráculos divinos e simulam um poder e uma fé absolutamente verdadeira. Posteriormente, quando descobertos em suas vidas privadas, mostram que não passavam de hipócritas e mentirosos. Nesse rol está aquele pastor pentecostal, que, ao gravar com sua esposa um programa, aborreceu-se e xingou-a no áudio. Não sei como o material veio parar na internet. O outro, filho que leva o nome do missionário seu pai, dono de uma das maiores denominações neopentecostais do país, foi descoberto num caso de sedução a moças, com conversas prá lá de impróprias para uma pessoa de bem. Um outro foi filmado com uma amante, flagrado pelo marido dela. Coisas como essa geram um escândalo tão profundo, que afastam os incrédulos do evangelho e tornam insustentável a vida de muitos crentes escandalizados. Por isso a Bíblia afirma: Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem! (Mt 18:7)
 
E antes que uma porção de pedras sejam atiradas nestes citados acima, seria bom que fizéssemos uma análise de nós mesmos. O que seria de nossa imagem pública se fôssemos gravados ou filmados em nossa vida privada, em nossos negócios particulares, em nossos relacionamentos afetivos, em nossa vida espiritual? Por exemplo, uma câmera em nosso quarto: flagraria a imagem de uma pessoa crente, que tenha ou não família, ou o comportamento idêntico aos não cristãos? Se uma câmera nos filmasse ao volante do automóvel no trânsito, será que a linguagem que usamos poderia ser reproduzida no púlpito de uma igreja ou numa reunião entre os nossos familiares? E a nossa vida financeira, seria de fato uma vida de honestidade ou há coisas ilícitas que praticamos para benefício próprio ou de terceiros? Como diria a personagem Luna dos desenhos infantis, "são tantas perguntas!"
 
A coisa mais linda é um crente ser flagrado em sua vida privada comportando-se como um crente. Um homem de Deus tem vida honrada na frente dos outros e na sua vida privada. Que coisa linda quando os políticos da época buscaram flagrar Daniel numa ilicitude nacional. Foram até a sua casa para testemunhar o fato. E testemunharam. Não, ele não estava com uma mala de dinheiro, não estava xingando os mais variados palavrões e nem amotinando-se contra o poder. Vejam o que acontecia: Então aqueles homens foram juntos, e acharam a Daniel orando e suplicando diante do seu Deus. (Dn 6:11) Passou pela provação de ser punido por ser um homem crente; mas Deus o libertou e fez dele um exemplo: Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará. (Sl 37:5).
 
 
No início do livro ESTE MUNDO TENEBROSO volume 1, Frank Perretti conta a estória de dois anjos que corriam para a pequenina igreja da cidade. Havia uma bem grande, mas não a procuraram. Passaram pela parede da igreja e encontraram, entre um banco e outro, um pastor sofredor e lutador, que, de joelhos, rogava a graça de Deus pela sua igreja e pela conversão da sua cidade. Os anjos dizem: "É por causa dele que estamos aqui". Ah, quantos que me lêem, sejam pastores, sejam leigos, sejam homens, sejam mulheres, sejam jovens, sejam crianças, poderiam também ser flagrados pelo Céu a orarem? Então me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. (Dn 10:12)
 
"Oh, Deus, peço a Ti que eu tenha integridade! Que eu seja o mesmo na frente dos outros e na ausência de todos! Que a minha fé não seja hipócrita, mas séria e verdadeira! Peço-Te que me ajudes a vigiar, para que eu não entre em tentação. Que eu não escandalize a ninguém, seja por palavras, por atos ou por pensamentos. Que a minha vida seja íntegra, que eu seja verdadeiro e que o Teu Nome seja honrado no meu viver. Em nome de Jesus, amém."
 
Wagner Antonio de Araújo

19/05/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário