Translate

domingo, 11 de dezembro de 2016

memórias literárias - 383 - CARTA AO PASTOR HEREGE

CARTA AO
PASTOR HEREGE
 
383
Querido Pastor Batista Famoso:
 
Já faz algum tempo que tenciono escrever-lhe. Hoje tive essa oportunidade e sinto-me feliz.
 
Escrevo-lhe para agradecer-lhe do fundo do coração tudo o que tem ensinado a todas as pessoas através de seus textos e de seus sermões. Assisto a todos eles na internet e leio tudo o que o senhor escreve. Confesso que no início eu tinha restrições. Mas como o senhor é batista (eu também sou) e como muitas organizações denonimacionais e a pessoas inteligentes lhe devotam grande consideração e respeito, entendi que o senhor era mesmo uma pessoa relevante e passei a lhe ouvir. Minha vida mudou.
 
Eu lhe agradeço, pastor, por ter me ensinado que Deus é promíscuo. Achei brilhante a sua análise, dizendo que Deus diz ao povo de Israel que eles eram um povo exclusivamente dele, mas que ele não era um deus exclusivo deles. O senhor foi brilhante. Incluiu toda e qualquer adoração, todo e qualquer culto, toda e qualquer filosofia religiosa como válida. Como fui ignorante! Eu pensava que Deus era exclusivo de quem o adorasse em nome de Jesus e do jeito que a Bíblia ensina. Hoje a minha mente compreende que qualquer adoração sob qualquer nome pode ter relevância para esse Deus que só é fiel ao seu amor! E daí que ele é polígamo espiritualmente?
 
Também lhe agradeço por me fazer enxergar a cena nada santa entre Jesus e a mulher samaritana. Aquela conversa ao pé do poço era, de longe, muito suspeita. Mas quando o senhor disse que Jesus deu uma palavra insinuante para ela, convidando-a para um relacionamento e que ela topou, e que, depois disso Jesus direcionou a conversa para um lance de espiritualidade, aquilo foi o máximo. Passei a imaginar os apóstolos atônitos ao verem o seu mestre quebrando todos os tabus e virando todas as esquinas, buscando incluir a todos debaixo de seu amor, independentemente dos métodos ou das fórmulas. Foi fantástico verem-nos quase abandonando a Cristo, cheios de moralidade. Que bom que o resultado foi a confissão de que Jesus seria o salvador do mundo, e não apenas o rei de Israel, conforme os bitolados discípulos declararam através de Natanael!
 
Pastor, sou tão grato pela mensagem que colocou Hitler e Herodes na mesa do Céu! Eu nunca os aceitaria partilhando a mesa do reino de Deus. Eu sempre acreditei que os pecados hediondos que eles praticaram eram grandes demais. Mas quando o senhor falou que o cordeiro de Deus tirou o pecado do mundo e que isso fez Deus olhar para todos os homens independentemente de pecarem ou não, de se arrependerem ou não, isso me transformou! Espero ver no céu não apenas esses dois, mas Mussolini, Jezabel, Caim e até Satanás. Afinal, a vontade de Deus é que ninguém se perca; nem o próprio Satanás. Espero até que crentes lá estejam, por mais retrógrados que sejam!
 
Também agradeço aquela mensagem onde o senhor diz que Jesus subiu ao Céu para livrar os próprios discípulos dele mesmo. Sim, porque senão eles não iriam amadurecer. Jesus já tinha feito tudo o que podia e agora era hora de cortar essa ligação de dependência e caminhar para uma maturidade individual sem ele. Puxa, um Deus que cansou de fazer milagres e que espera que os próprios humanos façam a sua parte! Isso me transformou! Antes eu vivia na dependência da oração e da manifestação de Deus; mal sabia que Deus já havia liberado para mim toda e qualquer experiência e que não interviria quase nunca!
 
Aliás, também fico muito feliz porque quebrei todos os meus tabus. Eu considerava o homossexualismo um pecado muito grave, bem como o aborto. Mas o senhor mostrou-me que são apenas visões diferentes da nossa sexualidade e que cada um de nós faz a sua. Mostrou que, conquanto assumamos certos conceitos, todos têm direito de ter os seus e viverem plenamente a sua humanidade, e isso não significa pecado. Puxa, pastor, como eu era crítico! Hoje eu nasci de novo com tamanha transformação conceitual! Muito obrigado! Que bom que o Inferno é um conceito retrógrado e que superamos essa besteira, fruto de má interpretação dos textos gregos!
 
Por fim, quero lhe agradecer porque através de suas mensagens eu deixei a igreja. Sim, porque sinto maior sintonia com tudo o que o senhor prega aqui fora, no mundo exterior, onde Jesus se sentiria plenamente feliz, ao lado de prostitutas e de gente descolada. Sinto-me bem nas baladas, na bebedeira e nas casas noturnas, nos clubes de esporte e nas torcidas organizadas. Hoje estou plenamente realizado e não me sinto responsável em pregar nada pra ninguém, porque, no final, estaremos todos na mesma mesa do reino de Deus. Deus é um pai amoroso e gosta que seus filhos curtam a vida, independente de seus conceitos, vida espiritual e moral. Hoje eu sou muito feliz! Claro, preciso maneirar nas drogas, na bebida e na orgia, mas eu chego lá!
 
Obrigado por tamanha transformação, querido pastor!
 
Do seu leitor e admirador
Incauto Volúvel Rolando da Rocha
 
-----
 
obs: Este texto é irônico e fictício. Foi construído em cima das prédicas de um popular pastor batista paulista, que figura nos programas de TV, nas livrarias ditas cultas e no burburinho da comunidade teológica. Seus conceitos estão ligeiramente expressos aí. Ele nos brindou nos últimos dias dizendo que "água viva", no conceito da mulher samaritana, era uma cantada de Jesus para transar com essa mulher. Água viva seria sinônimo de sêmen.
 
Para ele o meu lamento. E a lembrança do que a Bíblia diz sobre os escândalos:
 
E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. (Rm 16:17)
 

Wagner Antonio de Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário