Translate

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

memórias literárias - 384 - EU NÃO VOU MUDAR



EU NÃO
VOU
MUDAR
384
Quando fui convertido a Cristo a minha vida mudou radicalmente. Mudou a mente; mudou o coração; mudaram-se os valores; mudou o meu destino. Eu iria para o Inferno, demérito meu (e de todo pecador); hoje vou para o Céu, indignidade minha (e de todo convertido que é alcançado pela graça divina, pelo dom inefável, um presente imerecido). Cristo mudou a minha história!
O mundo evangélico e a mensagem dos pastores mudou desde então. Não falo do mundo neopentecostal, que sequer considero cristão. Falo do mundo evangélico comum. Claro, há exceções, há sobreviventes, graças a Deus. Mas, no geral tudo está diferente.
Agora muitos pastores não crêem em Jesus Cristo como perfeito Deus e perfeito homem. Acham que ele não tinha cromossomos masculinos; era um ETÊ.
Outros dizem que Deus é promíscuo, que se relaciona com vários povos de várias crenças, com diversos tipos de culto e que é completamente inclusivo, desejando e salvando a todos, independentemente de seus pecados, cancelados pelo cordeiro de Deus, que tirou o pecado do mundo. O universalismo entrou pela porta do fundo e tomou o púlpito missionário.
Há os que afirmam que Inferno é a intolerância dos homens na construção de doutrinas meramente humanas. Afirmam que Deus é tolerante, amoroso e que acolhe a todos, jamais condenando alguém. Deus é só amor e complacência. O inferno é a mente de gente que não conhece o amor divino.
Vários colegas não comungam pela fé, mas pela casca e pela instituição: se estiver em alguma coisa chamada cristã, igreja, comunidade, pequeno grupo, e representar soma e crescimento, tanto numérico quanto monetário, então é de Deus. Se participar conferir oportunidade ministerial, trampolim para projeção social e política ou construção de valores que acresçam o poder aquisitivo pessoal ou institucional, será bem-vindo.
Preletores se tornam populares se conseguem transformar os púlpitos em apresentações de stand ups, em cafés filosóficos de pregadores moderninhos, ou em palanques de protestos dos mensageiros progressistas, se cheiram a bíblia como cocaína, se fazem performances que encantam as galeras. Tais preletores são disputados a preço de ouro e cobram o quanto querem, pois agregam público e valor aos eventos. Não importa que digam "tenho fé, apesar de tê-la perdido"; "a volta de Cristo é uma utopia útil". "o Apóstolo Paulo deveria ter estudado na faculdade teológica; vou melhorar o texto confuso dele".
Falar contrariamente à corrente e ao fluxo de pensamento pagão deste mundo evangélico é ser retrógrado, quadrado, conservador, medieval, fundamentalista, medíocre, bitolado, excêntrico, desmedido, intempestivo. Hoje podemos atribuir erros a Deus e defeitos no Novo Testamento. Podemos contestar o dilúvio universal, a passagem do Mar Vermelho ou o milagre da multiplicação dos pães. Podemos até dizer que Jesus não foi bem gerado pelo Espírito Santo, mas sim concebido numa relação revestida de divindade com alguém que "visitou" Maria...
EU NÃO MUDO! Não adianta! Não vou aderir a isso! Não vou seguir as massas de manobra, não faço parte do gado que obedece ao "efeito manada" (se os pregadores e pastores de ministérios expressivos estão pensando assim, então deveria me adaptar a eles...). Não romperei com a fé que uma vez por todas foi confiada ao meu coração! Não vou renegar a minha conversão a Cristo. Não irei cuspir na minha bíblia e abandonar os valores aos quais me submeti voluntariamente e dirigido pelo Espírito Santo! Não quero ser popular; quero ser crente, só isso.
E se isso tanto incomoda, lamento: terão que conviver com a minha boca, a minha voz, os meus textos e o meu protesto, até que o Senhor me leve. Enquanto eu tiver vida e saúde, enquanto alguma mídia estiver ao meu dispor, enquanto eu puder me comunicar, continuarei protestando.
Minha conclusão:
1) Essa nova postura evangélica é satânica.
2) Cristo é perfeito Deus e perfeito homem.
3) Ele foi concebido pelo Espírito Santo, é pré-existente e o único caso de encarnação divina de toda a eternidade.
4) A Bíblia é a Palavra de Deus e não tem erro! Não precisamos de novas versões; as clássicas já são suficientemente boas!
5) A Bíblia foi revelada e deixada para que nos amoldássemos a ela, e não ela a nós.
6) Quem atribui erro à Escritura peca contra Deus e responderá por blasfêmia no tribunal de Cristo.
7) Quem transforma a Bíblia em livro de entretenimento ou a prega com interpretação sociológica e adaptação temporal a perverte, equiparando-a com um livro qualquer.
8) Quem atribui erros em Deus ou a Jesus, chamando-o de promíscuo, inconveniente (gastou um milagre à toa no caso de Caná da Galiléia) ou sensual, atrai para si e para os seus o juízo divino.
9) A fé cristã não mudou; os valores cridos pela reforma protestante não evoluíram ou se diluíram; continuam valendo para quem é crente de fato.
10) Igreja não é clube de convívio, mas congregação de salvos que testificam da fé, servem a Deus e amam ao próximo.
JAMAIS CEDEREI AO LIBERALISMO, mesmo que a minha denominação venha ignorar o liberalismo pecaminoso de vários cooperados (não todos, graças a Deus!). Jamais me venderei ao gosto popular, desejando vantagens e oportunidades, cedendo ao gosto de cada um em detrimento da verdade. Prefiro ser um ilustre desconhecido, um molusco no conceito dos de alta projeção pública, do que um popular amado e de prédica pagã.
Finalizando: EU NÃO VOU MUDAR. Sou um cristão, um crente, um evangélico, um batista, um clássico, um conservador.
O resto não me interessa.
Maranata! Vem, Senhor Jesus!
Pastor Wagner Antonio de Araújo
12/12/2016

Igreja Batista Boas Novas do Rodoanel em Carapicuíba, São Paulo, Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário