Translate

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

memórias literárias - 259 - AVENTURA EM PORTUGAL - RELATÓRIO DE VIAGEM DO ANO DE 2007

AVENTURA EM PORTUGAL - RELATÓRIO DE VIAGEM DO ANO DE 2007
 
Para que não se percam as memórias desta viagem, colecionei os e-mails que escrevi à época e agora os guardo em meu blog. Que Deus abençoe o texto para edificar o coração de alguém.
 
 
 
 
01 – SAÍDA – 04 / 10 / 2007

(*) RÁPIDAS

TAM
Queira ou não queira, o coração fica apreensivo em voar longamente na mesma empresa em que meses atrás um avião acidentou-se tragicamente, sob suspeita de falta de manutenção. Contudo, a nossa confiança não está "em carros ou cavalos", no equipamento ou nas pessoas, mas em o nome do Senhor. ( "Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor nosso Deus.") (Sl 20:7)

NAMORADA
Como é bom ter alguém a nos esperar, a nos procurar, a sentir a nossa falta, não que não tenhamos amor e carinho de amigos e familiares, mas algo especial de alguém especial. E como foi bom ter a Elaine a tomar um café e orar comigo! Apesar dos problemas dos últimos dias, concernentes à igreja local e à nível pessoal, a companhia dela alegrou meu coração. "E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. (Gn 2:18)". E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele. (Gn 2:18). É o que almejo, é pelo que oro e me dedico. Seja feita a vontade do Senhor!

CALMO DEMAIS
O meu vôo estava escalado para um terminal calmo demais. Ao sentar-me para aguardar, julguei ser o único, até que alguém esclareceu: o vôo foi transferido. Ah, foi um "deus-nos-acuda", corri feito doido, e, com o baita terno zerinho que usava, comecei a suar. Minha decisão de voar "elegantemente" cedo demonstraria ter sido equivocada: teria sido melhor ter roupas leves... "O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos." (Pv 16:9)

QUATORZE HORAS!
Só de entrar no aeroporto e agora colocar-me para viajar, já cansara; quanto mais viajar quatorze horas! Pensei que seria NO STOP, mas pararíamos em uma hora e meia em Salvador, na Bahia. Pensei: sair de São Paulo e chegar à Salvador em uma hora e meia? Isso é que é velocidade! De fato a viagem foi excelente nessa hora e meia. Mas eu me preocupava com o porvir, não tanto o porvir pós-morte (se acontecesse), mas a imigração ou em Paris ou em Lisboa. "Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras?" (Lc 12:26)

NOVO VÔO
Uma foi a viagem até Salvador; outra completamente diferente a de Salvador até Paris. Além de ter trocado de passageiros (algo em torno de ¾), a situação da aerovia, as condições climáticas e a tensão eram outras. Muitos franceses entraram em Salvador. Os franceses, por si sós, já são extremamente elegantes e glamorosos, mas não houve gente suficiente para tomar todas as poltronas. Logo, ficou um bom espaço vago para que o povo pudesse "espichar-se" e dormir um bocado.

CHULÉ FRANCÊS
Ser elegante e glamoroso não significa necessariamente ser educado. Um francês, que deveria ter passado férias com a esposa na Bahia, teve a bancada da frente do meu completamente ocupada pela sua "esparramacidade": ele literalmente deitou-se. Porém, quem pagou o custo fui eu: seu pé sem meia ficou pendurado no braço da poltrona, e o trágico "fedor francês", o chulé, passou a exalar-se sem trégua. Eu, que já não estava muito contente de ter que fazer esse vôo, fiquei mais bravo ainda por ter que agüentar essa contaminação do ar! Será que ainda não inventaram perfume francês para o pé? Uh-lá-lá! MonDiê!

DURMA-SE COM UM BARULHO DESSES!
Ao tomarmos a rota da Europa, via Recife-Fortaleza-Oceano Atlântico, percebemos que "o mar não estava para peixe", ou o ar não estava para avião: as turbulências eram tantas, e tão fortes, e seqüenciais, que impediam alguém tenso de dormir um pouco. Durante quatro horas eu contei 12 vezes em que o sinal de cinto de segurança e o apagamento interno da aeronave aconteceu, impedindo, inclusive, o serviço de bordo normalizado. A janta saiu tarde. Mas saiu...

(*) Por favor, não responda a esta mensagem, pois estou em viagem e não terei como responde-la devidamente. Escreva para viagem.portugal@gmail.com

Obrigado,
Pr. Wagner

==============

02 – CHEGADA – 05 / 10 / 2007

(*) RÁPIDAS

PARIS: TEMPO PARA RELAXAR ... OU ESTRESSAR...
Ao chegar ao Aeroporto Internacional Charles De Gaulle, descemos por escadas. Eu, com duas malas de bordo, vindo de Cumbica, do Brasil, onde somos bem servidos por corredores cobertos da porta do avião ao aeroporto, ou um bom serviço de ônibus interno, vejo o povo correndo para descer as escadas metálicas e aglomerando-se junto a um funcionário não sei de quem, que não falava português ou inglês, mas só francês. Pensei: "isso não vai dar certo..."

O ÔNIBUS
Perguntei para a funcionária, que falou um montão de coisas, que eu não entendi, e fiquei na mesma. Pensei: seguirei o fluxo. Mas o fluxo dispersou-se, indo cada um para uma das letras penduradas: A,B,C,D,E. E agora? Perguntei com gestos e com inglês a uma funcionária do aeroporto, que, ao olhar a minha passagem, disse (foi o que imaginei), que deveria tomar o ônibus 2 e ir para B. Então tomei o ônibus e fui ao B. Lá uma funcionária QUE SÓ FALAVA FRANCÊS falou tão educadamente, quanto desconhecidamente comigo. Respondi a ela em javanês, e ela ainda disse: MERCY. Eu devolvi: pra senhora também, madame...

DESESPERO
As coisas começaram a preocupar, uma vez que o horário do vôo para Lisboa se aproximava, e eu não fazia idéia de onde eu estava ou para onde eu iria. Até que vi uma fila onde todo mundo entrava, entrei também. Pensei que era para informações. Pediram meu passaporte. Dei. Carimbaram. Pensei: "pra que carimbaram? Eu não estou no meu destino!". Mostrei ao homem a passagem, e ele me indicou o terminal D2, mas não entendi mais nada. Até que encontrei uma bendita do Senhor, que falava inglês. "Minha senhora, como faço para pegar esse vôo?" Ela disse: "Portão D – D57, mas é muito longe, à pé vai demorar uns 15 minutos andando rápido". Pensei: Até que enfim uma boa orientação. Não havia problema de ir à pé, com uma mala com computador portátil, câmera, bíblia, enciclopédia, uns 12 quilos, e outra com roupa de emergência, peso similar, por um quilômetro ou dois, desde que eu chegue". Fui andando, virando, seguindo a letra D2. Mas, de repente...

CADÊ O MEU BILHETE?
"Meu Deus, cadê o bilhete, onde a mulher anotou o portão?" Comecei realmente a suar em desespero, ao ponto de pingar e chamar a atenção de policiais, que devem ter pensado que eu era algum terrorista. Revirei as duas malas, nada achei. Daí perdi o passaporte. Achei o passaporte e perdi o bilhete da seguradora. Achei o bilhete e perdi a mala. "Meu Deus, eu deixei o bilhete com a mulher!" E agora? Aonde estava ela? Como achá-la naquele labirinto infinito? Fui voltando correndo, pois tinha contra mim o relógio também. Meu desespero foi tanto, que entrei pela saída de passageiros, e os policiais franceses vieram para mim gritando "MONSIER, etc", e, pela cara, não estavam com ares de mui amigos. Com razão.

FUI – VOLTEI – SENTEI – CHOREI
Então pensei: "Wagner, nem tudo está perdido; ainda resta um biscoito para comer com café, se aceitarem dólares na cafeteria...". Eu me senti caminhando para o inferno! Peguei outra fila, agora com esteira e raio x. Ali eu vi o que é TERCEIRO MUNDO, pois estava no PRIMEIRO: no Brasil o estrangeiro passa pelo raio X com todo o cuidado da polícia federal, com seus pertences colocados com cuidado naquela bandeja plástica, em corredores com ar condicionado, etc. Lá no PRIMEIRO MUNDO não: entra-se numa fila com 300 pessoas, são separados por quatro sub-filas, um oficial fica a gritar em francês, os passantes vão pegando suas próprias bandejas (ninguém faz isso para eles), tirando o casaco, as coisas, a carteira, colocam nas bandejas, arrastam as malas, correm, devolvem a bandeja e seguem, sob um calor medonho.

Depois da bendita fila, o oficial, que não fala inglês, e talvez imagine que português seja uma fruta exótica das Ilhas Galápagos, gritou comigo que eu não podia entrar com o tíckete da passagem, mas com check-in feito. Eu não tinha como dizer-lhe que perdi o papel que me deram no Brasil e que precisava de ajuda. Ele me empurrou, apontou a direção do nada, e já atendeu outro. Eu olhei para o alto, não havia nenhuma placa indicativa, nenhum monitor de vídeo, só aquelas terríveis letras que não diziam nada, e pensei: meu Deus, e agora? Estou na hora do vôo e não tenho como ir!

O meu coração já passava mal. Não vi nenhum lugar com bebedouro ou com lanchonete, nem procurava, minha boca estava seca, e minhas pernas se recusavam a andar, quanto mais a correr! Sentei-me, avaliando a minha situação horrível: estava no limbo da internacionalidade: nem na França, nem no Brasil, nem em lugar nenhum, estava na terra de ninguém, como aquele homem que decidiu morar no lado internacionalizado do aeroporto. Então chorei. Chorei muito. Nem cartão de telefone eu tinha, nem saberia compra-lo, nem ligar à cobrar da França para o Brasil.

Pensei em dizer: "E agora, quem poderá me socorrer?" E combati a frase que se formava: "Eu, o Chapolim Colorado; não contavam com a minha astúcia". Pensei: Deus, não tenho humor para brincar. Dá-me uma alternativa.

A IDÉIA E O ANJO
Tive a idéia de passar na AIR FRANCE, que faria o vôo para Lisboa e pedir segunda via. Achei um guichê. Entrei pela saída. Tomei bronca. Fui para a entrada, e a entrada também virou saída. Ralhei em português: "vocês estão com palhaçada comigo ou é palha frita mesmo?" Abaixei a cabeça e parei. Não ia fazer mais nada. Ia ficar parado. Foi quando ouvi: "Escuse me, Sir,"; aquilo soou como música! Era um funcionário negro, de um rosto brilhante, com um sorriso como há muito eu não via. Eu disse: "moço, não agüento mais, perdi meu vôo, ninguém fala minha língua, eu não consigo me comunicar, estou desesperado". Ele então disse que iria me ajudar. Olhou na tela e viu que meu vôo ainda não tinha subido, estava em cima da hora. O rapaz orientou-me a ir com o check-in reimpresso na FILA DA ESTEIRA. Eu disse: NÃO! Cheguei de lá, fui maltratado, tem mais de duzentos na fila e não vai dar tempo! Ele argumentou, mas eu disse: assim não dá. Deixe pra lá. Ele então levantou-se, era um rapaz muito forte, mas elegante e de presença. "senhor, não se desespere. Eu lhe acompanharei". Senti como que uma ressurreição. Ele foi até a esteira, cortando toda a fila, falou não sei o que com o policial, e este mandou eu colocar tudo ali. Fiquei impressionado. Ele disse: "Siga, está tudo em ordem. E o meu nome é Miguel". Ele sorriu e foi embora.

SEU NOME ERA MIGUEL!
Seria de fato um funcionário da AIR FRANCE? Provavelmente que sim. Encontra-lo naquele suplício foi o milagre, e obter dele a ajuda foi a bênção. Mas ... e se ... o Miguel não existisse nesta Terra e primeiro Céu, e fosse um dos anjos de Deus, que interveio num momento onde eu não teria saída humana? Se Miguel foi um anjo, então teria sido a quarta experiência explícita com os anjos do Senhor. Posso dizer que ele não me parecia comum, mas brilhante, é a palavra certa para esse rapaz, que pacificou meu coração.

A CRISE CONTINUOU
O raio X apitou com minha mala. O policial, em INGLÊS (ALELUIA!), mandou-me abrir a mala, foi direto nos meus perfumes. Já tinham jogado fora o meu gel fixador do cabelo (vulgo BABA DE VACA), que eu pagara 3 reais. O que iam tirar agora? Meus perfumes Boticário e Lácqua de Fiori estavam com ¾ de uso, e meu polvilho granado estava zerinho, e esse eu não deixava jogar fora nem a pau, pois PARA SUORES INTERMITENTES, USE POLVILHO GRANADO, E SINTA-SE SEGURO DE NÃO CHEIRAR A BODE... CUIDE DO "BODY" SEM CHEIRO DE BODE)

Ele viu a pobreza das minhas "bombas químicas" e disse: da próxima vez, coloque isso na mala de despacho". Ufa. Agora é pegar o avião. Todos estavam seguindo. Quando foi a minha vez, entreguei o bilhete eletrônico, mas o rapaz pediu O OUTRO BILHETE. E cadê o bendito? Eu estava a me sentir o verdadeiro MISTER BEAN, tirei tudo da mala, estava a atrasar o vôo. Eu suava tanto que cheguei a molhar a mala! Até que achei um montinho amassado: era o bilhete! Aleluia! Entrei, peguei o meu lugar, sentei, orei e tentei dormir (não dormira nada até aquele momento).

PANE NO AR
De Paris a Lisboa fui num A320. Não será preciso dizer mais nada; tenso do começo ao fim. Entretanto, quando cochilei, o avião deu um tranco tão forte, tão movimentado, que pensei que parara no ar, em algum semáforo aéreo, mas logo lembrei que isso não existe. Coisas caíram da mão dos passageiros, portas de bagageiro abriram, e a mulherada gritou (para não dizer que os homens também). Percebi que se tratava de algo sério, com comissários de bordo nervosos. Pensei: "agora cai, meu Deus!" "O que falta acontecer? Só seqüestrarem o avião e perderem minhas malas azuis". Minutos depois o piloto explicou o problema: ele falou tão bem, numa pronuncia tão boa! Eu não entendi nada, nem imagino o que era, pois falou só EM FRANCÊS. Ah, a minha namorada, que é professora de francês, há de me ensinar essa língua um dia... Sobrevivi.

MALAS AZUIS
MALAS AZUIS
MALAS AZUIS
Parece brincadeira, não? Anos atrás estava eu desesperado em North Carolina, nos Estados Unidos, porque perdiam minhas duas malas vermelhas, as malas "do terrorista". Agora, que eu me precavera, usando malas azuis, e, ao aguarda-las na esteira de Lisboa, vi um a um a pegar sua mala e ... fiquei sozinho! CADÊ MINHAS MALAS AZUIS?

ELAS FORAM À ÓPERA!
Desconfio que elas fizeram o que eu não pude fazer. Talvez tenham ido visitar a Torre Eiffel, ou o Louvre, ou o Arco do Triunfo, ou a Ópera de Paris. Sim, há espetáculos o tempo todo. Fato é que o rapaz de ACHADOS E PERDIDOS, que fala A MINHA LÍNGUA (ALELUIA!), explicou que as malas ficaram em Paris. Eu comecei a rir. Ele disse que mandaria para Coimbra (200 quilômetros dali) quando chegassem. Não me desesperei. Lembrei-me do filme "DEU ALOUCA NO MUNDO", quando os bandidos que queriam roubar dinheiro, com pernas quebradas, jogam uma casca de banana, fazendo a enfermeira cair, e terminam o filme a morrer de rir. Eu agora ria. Depois do INFERNO NA TORRE EIFELL estava sem roupas em Lisboa! E EU SÓ QUERIA SER NORMAL!!!!!!

AMIGOS
Após a salvação em Cristo, ter amigos é a riqueza maior. Quem os tem, não está só. Conquanto eu tenha esperado que algumas pessoas de Portugal estivessem lá para um abraço apertado, os velhos e comprometidos amigos não me esqueceram: lá estava o Obreiro Edson Antunes, e o meu Anfitrião, Pastor Marcos Amazonas dos Santos, junto com sua esposa Irmã Lílian Santos. Que festa fizemos! Jantamos no MacDonalds e partimos rumo a Coimbra. Abençoado seja o Obreiro Edson, que ainda teve que rodar mais cem quilômetros, até sua cidade, Oliveira do Hospital, e abençoados sejam os Amazonas dos Santos, cuja família é a minha família, cujos filhos (Mateus e Débora) cedem seus aposentos para este velho andarilho missionário, e cujos pais, meus amigos verdadeiros, têm tanto a compartilhar, e eu também com eles. Após uma boa conversa, uma pequena dormida. Já passava das três da matina, e eu iria pregar logo cedo, à Igreja Evangélica Baptista de Águeda em Lousã, num retiro na A.C.M. local.

(*) Por favor, não responda a esta mensagem, pois estou em viagem e não terei como responde-la devidamente. Escreva para viagem.portugal@gmail.com

Obrigado,
Pr. Wagner

====================
 
05 – TERCEIRA VEZ EM OLIVEIRA – 07 / 10 / 2007 – domingo

RÁPIDAS

DORMI POUCO
Acordamos todos cedo. Afinal, preparávamos para o culto e a escola bíblica dominical, a única atividade dominical na igreja. O sono era grande, mas a vontade de estar com os amados irmãos de Oliveira era maior. Estive em 2005, 2006, e agora iria revê-los. No ano passado, contemplara a conversão de Messias e Natan, e queria ver como estavam, se de fato estavam firmes em Cristo. Foi o que bastou para levantar e preparar-me.

UMA LINDA IGREJA
Sempre arrumadinha, duas salas simples, uma embaixo, que lhes funciona de convívio, e a superior, que é dedicada aos cultos. Cadeiras confortáveis, tudo muito bem limpo. Aos poucos o povo foi-se achegando. Primeiro tivemos a Escola Bíblica Dominical. O Irmão Victor, de Viseu, distante 40 quilômetros dali, era o professor. Um excelente mestre, diga-se de passagem. Sua aula foi agradável, clara, profunda e muito interessante. Contou-nos que o local do nascimento de João Ferreira de Almeida, o tradutor da bíblia para o português, nascera próximo de Viseu, e que faria gosto em mostrar-me, se oportunidade tivesse. Contou-nos muitas experiências e falou-nos sobre Israel quando administrada por ímpios reis e pastoreada por profetas impostores. Fez excelente aplicação para nossos dias e nossas igrejas.

O CULTO PURO E SIMPLES
Quase trinta pessoas presentes. É bom que se diga que esse é um excelente número para igrejas em Portugal (há igrejas com muito menor número que isso, exceto as neopentecostais, cujo auditório e tão grande quanto no Brasil, mas cujo evangelho é tão híbrido quanto um óleo Maria, que de azeite não tem praticamente nada...). A juventude cantou e encantou. Os filhos do irmão Edson, o Rev. Antunes, abrilhantaram juntamente com outros jovens. Alguns cânticos fiz questão de aprender, pois não os conhecemos no Brasil. Orações, saudações, ofertas, tudo de forma pura e simples, afetuosa e espiritual. O irmão Edson dirige muito bem. Já ouvi comentários de que suas pregações são profundas e maravilhosas também. Pena que só tenho oportunidade de pregar, quase nunca de escutar.

TÃO POUCO, MAS QUE PODE FAZER BEM
Falei sobre Romanos 12.12, mensagem nascida no acampamento que fui com a Igreja Batista em Ponte Grande, Guarulhos, São Paulo, e que já rodou muitos lugares, e veio parar no púlpito de Oliveira. Pensei na simplicidade da mesma, nas limitações deste pregador, e na maneira tão poderosa de Deus usar até as nossas precariedades para o Seu louvor! As três atitudes ali descritas (quem quiser revê-las, leia o texto), tocaram profundamente em meu coração, e no dos irmãos também. Também cantei muito, e com alegria no coração. O hino mais apreciado foi o que Oséias de Paula e Luiz de Carvalho protagonizaram há anos, e que Júlia Fatel e eu sempre cantamos na Boas Novas: ERAM CEM OVELHAS. Os irmãos daqui d ´além mar também o conhecem, e cantam emocionadamente.

CONVÍVIO
Nos Estados Unidos, nas igrejas do sul, onde estive, encontrei o FRIENDSHIP, o almoço em comunidade: todos levam seu almoço e o partilham, como num piquenique. No Brasil adaptei para a Boas Novas, dentro de nossa cultura, e inventamos o FRIENDSHIP noturno, não com almoço, mas com um lanche final (salgados, pizzas e refrigerantes). Aqui eles possuem mensalmente o CONVÍVIO, que é um almoço muito bem servido, trazido pelos irmãos, com a expressão de amor e fartura das famílias: gogumelos, coelho, frango, carne, arroz, feijão, caranguejo, refrigerantes, sumos (sucos), vinhos caseiros (feitos em suas próprias "quintas") e frutas de seus pomares (maçãs, peras, laranjas, tangerinas, gelados (sorvetes), bolos, doces, etc). É a oportunidade de almoçar longamente, com duas ou três horas de alegre e contagiante comunhão.

ARLETE BASTOS, A POETISA DE PORTUGAL
Não sei o que fazer, pois aqui onde estou é minha família para esta viagem, e, nas duas outras vezes, fui principescamente hospedado pela Poetisa irmã Arlete Bastos, na Quinta do Tigelinho, e também a tenho como preciosa e amantíssima anfitriã. Como repartir-me e não causar desgaste e cansaço? Bem, ainda que não esteja hospedado com ela, estou feliz e alegre por tê-la encontrado na igreja. Ela escreveu um livro muito maravilhoso, com suas poesias, sonetos, quadrinhas e meditações, e me sinto altamente abençoado em tê-la como amiga. Seu talento é fenomenal; sua sensibilidade é de uma sofisticação altamente superior, e a inspiração e simpatia, sem precedentes. Ela tem sido uma bênção à igreja, e também à minha vida. Arlete Bastos, um patrimônio do Senhor!

TROCADILHO
Havia cá em Portugal um homem, cujo nome era MÁXIMO, mas as pessoas sempre estavam a brincar com seu nome. Ele, então, pediu a quem o sepultasse, que não colocassem seu nome na lápide, para evitar piadas. Então colocaram: AQUI JAZ O MELHOR PAI, MELHOR ESPOSO, MELHOR AMIGO, MELHOR CIDADÃO, etc. Assim, as pessoas, ao lerem esse epitáfio, diziam: MAS ESSE TAL ERA O MÁXIMO.... (anedota contada por Arlete, enquanto escrevo)

BOAS NOVAS?
Quem  disse que me esqueci da pequenina Boas Novas de Osasco? Jamais! Enquanto cá estou, sonho com os irmãos, com os visitantes, com o forro, cujo tecido caiu e precisa de urgente reforma, com o terreno, cujo dinheiro ainda não temos para comprar, e o meu coração sente saudade. Foi essa saudade que despertou-me ao jantar de domingo: "Irmãos, creio que, devido à diferença de horário, poderei ver o culto na Boas Novas!" E foi o que busquei: conectar-me à Boas Novas. Consegui contato pelo computador. Estavam eles a chegar, para arrumar instrumentos músicos e sentarem-se para a adoração. Ocorreu-me uma idéia: entrar ao vivo no culto! Com a tecnologia disponível, Júnior e Manoel, lá na Boas Novas, colocaram o som do computador nos auto-falantes da igreja, e eu orei por eles e enviei minhas lembranças. Choraram de lá, chorei de cá também.

VÍDEO NO YOUTUBE
http://br.youtube.com/watch?v=wMnG3hEEVXc

AO TERMINAR
Hoje quero terminar lembrando-me de algumas pessoas, em minha oração. Oro por Izamara, por Sandra, Carol, Cristiane e Caroline, Williams e Cristiane, Eunice, Cleiton, Guilherme e Donizete, Ana e sua filha, Marisa, sua mãe e seu filho Wesley, e todos os demais, que visitavam a Boas Novas e compunham os que residiam no PRIMEIRO DE MAIO . E digo: Senhor, abençoa estes irmãos, dando-lhes de Tua imensa sabedoria e desejo de servir! Toma-lhes a vida, e faz deles a cada dia uma bênção!

Também peço: SENHOR, DÁ-NOS O TERRENO PARA CONSTRUIR O TEMPLO DA IGREJA!
DÁ QUE AQUELES QUE SE COMPROMETERAM EM COOPERAR, CONTINUEM A FAZÊ-LO COM AMOR, DEDICAÇÃO E CONSTÂNCIA
DÁ-NOS NOVOS COOPERADORES, POIS OS QUE TEMOS AINDA NÃO SÃO-NOS SUFICIENTES!
FAZ COM QUE OS FUNDOS QUE TEMOS SEJAM MULTIPLICADOS EM 4, QUE É O QUE PRECISAMOS PARA COMPRAR O TERRENO!
Em nome de Jesus.
Amém.

Até o próximo.
Tchau.
 
========================
 
06 – DESCANSO, ESPANHA E JANTAR - 08, 09 e 10 / 10/ 2007

RÁPIDAS
                                
SEGUNDA-FEIRA, 08/10

Às vezes precisamos descansar, para poder continuar. E foi o caso para mim. A segunda-feira foi o dia em que recarreguei as minhas baterias. Pude descansar, pude escrever, pude arrumar meus vídeos e conversar com meu irmão Daniel e com a minha namorada Elaine. A saudade já está a apertar   o coração. Agradeço a Deus por Seus cuidados paternais, e pela hospitalidade da família Antunes. Parafraseando a brincadeira brasileira, "crentes não fumam, mas comem que é uma tristeza!" : tudo o que existe de melhor querem que eu coma e experimente. E não há barriga, espaço ou saúde suficiente para desfrutar de tantas coisas boas.

IR PARA A ESPANHA É PRECISO
Até o momento ainda não sei por completo a minha agenda em Portugal, pois o Pastor Marcos deve estar querendo fazer-me surpresa. E, nessa surpresa, não sei se irei ou não pregar por lá. Para garantir que não fique sem ir até a terra tão amada, recebi a boa nova do Irmão Edson, de que iríamos à Espanha na terça-feira. Que emoção! Lá, pelo menos, não precisarei falar francês...

LINHARES
Linhares é uma terra muito bonita no estado do Espírito Santo, no Brasil. Mas descobri que há também Linhares aqui em Portugal. Aliás , um castelo e uma aldeia antiqüíssima, do século XIII. Fomos de carrinha eu, Ver. Antunes, Hugo e Manoel. Subimos a estrada, junto à Serra de Estrela, e desfrutamos de uma hora agradável e maravilhosa. Estacionamos o carro embaixo, subimos pelas ruelas da aldeia e chegamos às muralhas do castelo. Que visão linda! De lá se vê inúmeras cidades e aldeias da região, um prato cheio para quem ama ver as obras do Criador!

GUARDA E VILLAR FORMOSO
Então seguimos para a Serra dos Açores, e, de caminho, passamos por Seia, Gouveia, Guarda, e, em Villar Formoso, atravessamos a fronteira com a Espanha. Que grande emoção! Que maravilhosa oportunidade de contemplar esse grandioso e importantíssimo país, que nos legou pessoas como José Manuel Villaverde Nieves, membro da Boas Novas, cuja família veio da Galiza (Galícia). Tenho certeza de que ele faria gosto de estar conosco nessa viagem, mas um dia há de se configurar uma oportunidade dessas.

ALMOÇO NA ESTRADA
Fomos almoçar num restaurante de beira de estrada, que serve aos caminhoneitor (carreteros). Comemos muito bem, e não ficou realmente caro. Depois fomos ao mercado em anexo, onde pude comprar PIPAS. Não, não são papagaios ou esses objetos de crianças brincarem, mas SEMENTES DE ABÓBORA curtidas em sal. Meu irmão as aprecia muito, e dizem que não há melhores que as de Espanha. A verdade é que tudo foi excelente, exceto quando fomos ao caixa, e vimos pornografia exposta nos mostruários para quem quisesse ver e comprar.

CIUDAD RODRIGO
Chegamos em Ciudad Rodrigo, uma  fortaleza antiqüíssima, com um castelo imenso, uma cidade murada e antiga, guardando grandes tradições. Fomos até lá, vimos o enorme fosso ao redor da cidade, bem como as grandes muralhas existentes. Fomos à catedral da cidade, visitamos o claustro, tudo hoje representando um grande museu. Fotografamos, conversamos, filmamos, e rumamos para a continuação da aventura.

SALAMANCA
Seguimos até essa cidade, cento e tais quilômetros à frente, uma cidade muito grande, com uma igreja imensa que se vê desde muito longe, com cores antigas, de barro, lindíssima, uma catedral. E uma cidade moderna, com grande centro comercial, com muitas vivendas novas e populares. Fiquei impressionado com o tamanho e a beleza da cidade. Mas não nos foi possível parar, pois o sol já se encontrava no lusco-fusco e nem fotos e nem tempo haveria hábil para o desfrute da cidade. Só passamos, fotografamos, e voltamos. Na volta, o sono me contagiou e acabei por acordar próximo de Oliveira do Hospital, muitos quilômetros depois.

HOJE
Hoje estarei a jantar na casa da Dna. Maria João, membro da igreja, junto com sua família. Amanhã estarei a visitar o local do nascimento de João Ferreira de Almeida, a almoçar com o Professor Victor em Viseu, e, de lá, pregar na Igreja dos Irmãos em alguma aldeia próxima. À noite pregarei na Igreja Evangélica Baptista de Olveira do Hospital. Na sexta irei a Coimbra, e, de lá, ao Porto, onde passarei o final de semana até segunda-feira. Ufa! Já estou cansado e repleto de maravilhosas experiências.

SENHOR
Senhor, hoje me lembro de Sadako, Shiro, Sara e o bebê, do Sérgio e da Rosinha, também do Valter, da Fátima, da Jéssica e da Sara, do Júnior, da Sandra, do Matheus e da Aninha, do Ricardo, da Narayana, do André, da Laodicéia, do Sílvio, da Adriana, do Lucas, do Serginho e da Edna.

SENHOR, DÁ-NOS O TERRENO DA IGREJA BATISTA BOAS NOVAS! TOCA NO CORAÇÃO DOS LEITORES E AMIGOS, DOS IRMÃOS EM CRISTO DE DENTRO E DE FORA, PARA QUE UNAM-SE CONOSCO, E SEJAM COOPERADORES CONOSCO NA OBRA QUE NÃO É NOSSA, MAS TUA!

Obrigado! Em nome de Jesus. Amém.

Até a próxima.
Tchau.
wagner
 
=========================
 
07 – NA BASE, EM COIMBRA

Caríssimos amigos,
Graça e paz.

Já desfruto da madrugada do dia 16 de outubro de 2007. Até aqui o Senhor me ajudou. Devo isto à Sua imensa graça, razão de minha salvação e missão. Nada mereço, mas por tudo agradeço!

Dedico-me, neste instante, aproveitando o silêncio da noite e a permissão afetuosa para o uso da internet, à edição e publicação dos vídeos que granjeei ao longo destes dias, nesta metade de viagem. Foram tantos momentos especiais e inesquecíveis! Sei que muitos acompanham-me com orações, com expectativas e também com bom humor. E que gostariam de ver onde estou, o que faço e como são as coisas aqui.

Não farei relatórios hoje, deixarei para mais tarde. Quero administrar estes vídeos, transformando-os em esforço organizado, pois, do contrário, serão pura perda de tempo, pois ninguém saberá acessá-los.

Louvo a Deus pelas possibilidades tecnológicas da internet, pois, mediante seu uso e espaço, podemos nos comunicar com tanta versatilidade!

Quero que desfrutem das imagens que gravei, para as quais os convido neste momento.

Obs: aproveito para parabenizar cordialmente o homem de Deus e grande líder empresarial de nosso país, Dr. Gentil Machado Filho, que aniversariou por estes dias, e que participa de nossa viagem através do sustento em oração e suporte em muitos outros sentidos. Parabéns, querido Irmão!

As imagens são estas:

BANCO DE IMAGENS

IDA A ESPANHA
O Irmão Edson Antunes, líder da Igreja Batista em Oliveira do Hospital (e, se Deus quiser, futuro Pastor Edson), foi muito generoso comigo, e levou-me até Espanha, já que o meu compromisso em Madrid não concretizou-se. Estas são as imagens da passagem na fronteira entre os dois países, após subir a SERRA DOS AÇORES e passar pela cidade de VILLAR FORMOSO.
http://br.youtube.com/watch?v=M_dyaTorApo

ALDEIA DE TAVARES – TERRA DE JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA
Ah, irmãos, como fui abençoado! Através do querido e estimado amigo Irmão Professor Victor Costa, de Oliveira do Hospital, mas residente em Viseu, fomos até essa aldeia, num obscuro lugar de uma estrada secundária, e, ajudados por uma aldeã de carro, que nem sequer esperou-nos para que agradecêssemos sua preciosa ajuda, encontramos as ruas difíceis, antiqüíssimas e apertadas da aldeia onde João Ferreira de Almeida, nosso tradutor-mór da Bíblia Sagrada, nasceu. Ali há duas placas comemorativas, simples demais pela importância do homenageado. Não sei quantos brasileiros lá estiveram, mas certamente foram muito poucos. Pude entrevistar o Prof. Victor e também um aldeão muito simpático, o Sr. António (cuja semelhança com meu tio Roque, já falecido, são impressionantes, mais um testemunho evidente de minhas origens). Essa entrevista foi entrecortada por duas interessantes situações: o primeiro foi o badalar dos sinos da igrejinha, que é do tempo de João Ferreira de Almeida. E a segunda, da intromissão da esposa do Sr. António, que de maneira nenhuma queria deixar de participar, e tão bem nos fez à alegria da visita. Está em pedaços, para melhor ser vislumbrada. (a entrevista está em pedaços, não a mulher do Sr. António, que fique claro....)
http://br.youtube.com/watch?v=FH-2ILt-Yww
http://br.youtube.com/watch?v=-lewy3D48zc
http://br.youtube.com/watch?v=plx2Dx-R4cs
http://br.youtube.com/watch?v=oT1h4tsSHXg
http://br.youtube.com/watch?v=r0WFfgkpuC4

TESTEMUNHO DE CURA
Há aqueles que pensam que, por nós, batistas conservadores e tradicionais, não cremos na cura divina. Enganam-se. Não cremos no formato e na maneira apresentada pelos não-conservadores, mas no poder de Deus, ah, como cremos! Aqui está a Dna. Maria João e seu esposo, Sr. Eduardo, que testificam da grande bênção recebida da parte de Deus, quando o Pastor José Roberto Sória, da Igreja Evangélica Batista do Alto da Mooca, ao visitar Oliveira do Hospital, orou pela filha, que estava profundamente enferma, com gravíssimos problemas renais e/ou intestinais. Após a oração com imposição de mãos, a menina foi ao médico, que, perplexo, não compreendeu o fim da doença. Nós compreendemos: Deus opera milagres, quando, como e do jeito que quer, para a Sua glória e louvor! Pedimos a quem conhecer o pastor Sória, que o avise, para que ele louve a Deus conosco, pela cura da Filipa, uma moçona linda e saudável.
http://br.youtube.com/watch?v=quMEldWalN4
http://br.youtube.com/watch?v=ywsl9pzrjHE
http://br.youtube.com/watch?v=68tewNKisFc

OLIVEIRA DO HOSPITAL
Passei um final de semana com aqueles queridos irmãos. Foi o terceiro ano. Louvores, palavras, solos, lágrimas, despedidas, tudo isso será inesquecível, marcado indelevelmente em nossos corações. Algumas coisas foram filmadas. Convido aos meus diletos leitores a assistirem algumas cenas. E, pela assistência já agradeço antecipadamente.
http://br.youtube.com/watch?v=p0Ha7y4Q5rs

DEPOIS COLOCAREI OUTRAS.

Abraços a todos,
Wagner Antonio de Araújo
viagem.portugal@gmail.com
 
===================
 
08 – LEMBRANÇAS DO CAMINHO: PORTO / ANTAS

Já caminho para os últimos dias de minha terceira viagem por Portugal. A cada dia sinto-me mais português, mais filho desta terra amada e querida, mais cativo pelo afeto e calor lusitanos.

Ao terminar minha estada em Oliveira do Hospital, colecionei momentos marcantes. Como sabem, jantei com Maria João, Eduardo e Filipa, a amada família angolana, membros abençoados da igreja em Oliveira. A experiência com Deus, obtida através da cura da pequena Filipa, num momento de dor e sofrimento, fez-me louvar e agradecer a Deus. Aquele jantar, registrado em imagens, foi também registrado no meu coração, de onde nunca mais sairá.

Os cuidados do Irmão Edson Antunes e de sua esposa irmã Filomena, líderes de Oliveira do Hospital, foram inesquecíveis. Por dias fui ali hospedado, ao lado dos filhos Hugo, Camila e Sheila. Uma família que ama a Jesus, e um obreiro que tem em Cristo o fundamento de seu ministério. Como fui enriquecido!

Agradeço também à Maria Arlete Bastos, a poetisa de Portugal, pelo amor e carinho sempre demonstrados, quer através de seu afeto cristão, quer através da recepção em sua Quinta do Tigelinho, em Travanca de Lagos, quer através de suas orações. Jamais poderei pagar nem a ela, nem à sua família.

E gratidão pela minha amada Igreja Evangélica Baptista em Oliveira do Hospital, a quem aprendi a amar, a quem tenho conhecido, por quem continuarei a orar.

O irmão Edson levou-me a Coimbra, deixando de lado suas atividades profissionais (consertos de eletrodomésticos e instalação de antenas). Foi uma vinda com alegria e tristeza, alegria pelas bênçãos derramadas pelo Senhor, mas tristeza pela saudade que ficou. Quando Deus permitir, se for de Seu agrado, tenciono retornar para rever a todos.

COMBOIO
Ao chegar à casa do Pastor Marcos Amazonas dos Santos, em Coimbra, logo fui conduzido à estação de comboios (trens), onde pegaria o que me iria levar a PORTO CAMPANHÃ, no litoral norte. Eu jamais fora para aquela região, e teria que ir sozinho. Estava aflito, mas sabia que para isso eu havia sido enviado pelo Senhor a Portugal. Não seria possível ir com o Pr. Marcos, nem tampouco ser levado por alguém daquela região; assim, só me restava enveredar-me pelas ferrovias euro-portuguesas.

PORTO CAMPANHÃ
Fui apenas com uma de minhas malas, a "de bordo". Tinha que levar apenas duas mudas de roupas, uma vez que ficaria só durante o final de semana.

O trem era confortável. Poltronas numeradas, DVD com imagens de Portugal em tela coletiva, informações de temperatura, velocidade e próxima estação, em monitor de letras andantes. Chamou-me a atenção a velocidade do comboio: 235 km por hora! Se eu não tivera experiência com alguma coisa parecida com o "trem-bala", aquela era a minha mais próxima experiência.

Descemos em locais que já conhecia (Aveiro, por exemplo), mas continuamos em frente, e eu com a minha apreensão (temia descer em estação errada). Passamos por uma estação antes, onde mais da metade do povo desceu: VILA NOVA DE GAIA. Minutos depois, chegamos em PORTO CAMPANHÃ, que fica próximo ao Estádio do Dragão, do PORTO ESPORTE CLUBE.

QUEM ÉS TU?
Bem, chegar eu chegara. Mas, quem iria buscar-me? E a pessoa, será que saberia quem era eu? Certamente que não nos encontraríamos, pois nem um nem outro se conheciam. Eu esperava um pastor idoso, bigodudo, careca, barrigudo, e ele algo parecido. Ambos não éramos assim. (...). Dei graças a Deus por ter anotado num papel o telemóvel (celular) do Pr. Marcos e do Pr. Jônatas, para eventuais dificuldades. Aquela era uma. Decidi ligar ao Pr. Jônatas. Ele já estava a procurar-me, mas sem saber bem o que procurar. Dei-lhe as coordenadas: "o mais elegante, jovem e estrangeiros dos passageiros próximos aos táxis." Infelizmente ele não soube procurar direito, e não achou-me... Bem, na verdade ele achou-me sim. Mas eu assustei-me, pois Jônatas Lopes era um jovem pastor, um rapaz bastante fora dos perfis idosos que fizera na minha cabeça. (Nem me atrevi a fazer-lhe a pergunta: sou parecido com a descrição que lhe dei ao telemóvel?).

JANTAR É PRECISO
Fomos até o estacionamento de seu condomínio, e pegamos sua esposa Filipa. Um jovem e maravilhoso casal, jovens que amam a Jesus e o servem com dedicação e carinho. Fomos jantar. E que jantar! Levaram-me a comer num tradicional restaurante do Porto. Fui mesmo bem-aventurado em estar com eles. Jônatas contou-me sobre sua vocação pastoral, sobre seu curso em Lisboa, sobre seu trabalho em Águeda e em outra cidade da região, e sobre o processo de sua ordenação pastoral e ministério em ANTAS, a sua atual igreja. Seu pai, um conhecido e amado pastor português, em Magualde, foi seu grande modelo e inspiração. Hoje, casado há dois anos, está duplamente feliz, pois, se Deus quiser, em meses será pai de seu primogênito. Seja Deus engrandecido!

SURPRESAS E MARAVILHAS NO SEMINÁRIO
Dormimos cedo, pois teríamos um sábado muito concentrado: eu daria o curso AS CINCO LINGUAGENS DO AMOR, e haveria, inclusive, almoço na própria igreja. Assim, no sábado pela manhã, fomos para a IGREJA EVANGÉLICA BAPTISTA DAS ANTAS, no Porto, no bairro onde fica o Estádio do Porto. Um local muito bonito, o centro mesmo do Porto, estratégico para o desenvolvimento de um ministério profícuo com atletas, uma vez que há muitos por ali.

Logo de início, conheci o presidente de Atletas de Cristo na Europa, PASTOR ZICK (Ezequiel Batista da Luz), natural de São Paulo, porém com vasta folha de serviços oferecidos a Deus e à Convenção Batista Brasileira, em suas diversas organizações. Ele e sua esposa Yone estavam presentes, para participar do seminário. Foi um encontro muito abençoado.
Também fez-se presente o jovem atleta Filipe, da Primeira Igreja Batista de Atibaia, em São Paulo, que joga no Júnior do Porto. Também encontrei o conhecidíssimo atleta de Cristo e jogador de futebol por muitos anos, hoje vice-treinador do Braga, irmão ALUÍSIO PIRES ALVES, que estava presente com sua esposa e filhos, também para participar do seminário. Ele exerceu a direção de ATLETAS DE CRISTO EM PORTUGAL por muitos anos, e continua a participar, dando todo o apoio ao trabalho. Não eram membros daquela igreja local, mas fizeram questão de atender ao apelo e convite do Pastor Jônatas, que é respeitadíssimo por todos. E a minha responsabilidade aumentou em muito!

O CURSO
É incrível, mas o que foi para mim a leitura agradável de um livro, por sugestão de Dorothy Whitehead em North Carolina, U.S.A ., e o repartir de experiências com os membros da Igreja Batista Boas Novas de Osasco, SP, onde sou pastor, tornou-se algo de projeção e grande aceitação, uma vez que todos nós, indistintamente, queremos aprender a amar melhor e amar mais, e acabamos por receber inúmeros benefícios com as reflexões nos textos bíblicos e nos estudos do Dr. Gary Chapman. Tornei-me um professor contínuo da matéria, o que muito me honra.

Gastei a manhã e a tarde no desenvolvimento deste assunto. Havia muitas pessoas presentes. Muitas perguntas, muita participação, enfim, foi de maior proveito para mim do que para eles mesmos, porque aprendo muito com as idéias e pensamentos que acrescentam.

O que tornou-se ponto de honra foi a enorme amizade e o desfruto do grande afeto que tivemos, o que dávamos a impressão de que eles e eu éramos conhecidos há muito tempo, e havíamos acabado de nos conhecer! A amizade tornou-se linda, verdadeira, e me senti como se fizesse parte das Antas também!

O TEMPLO
O templo das Antas é simplesmente maravilhoso. Ele não é muito largo, mas é muito comprido. Há muitas salas, tudo muito bem equipado. Há um salão para o convívio e um outro salão para jovens, que é uma beleza. Há uma biblioteca, que o jovem Rafael e o pastor prepararam, onde semanalmente os irmãos pegam livros emprestados, para a edificação na fé cristã. Também há a sala de oração e missões, chamada de Billy Graham, onde eles vêem mapas, frases, onde podem sentar-se e orar por missionários.

PORCO
Eu não sei se é assim que se diz: escalopes. Mas foi algo assim que Filipa e o Pastor Jônatas prepararam para o nosso jantar. Foi realmente uma dádiva, um presente. Foi algo que fizeram com tanto amor, tanto carinho! Antes de irmos à casa, eles passaram no supermercado para comprar os ingredientes especialmente para aquela ocasião, e eu lhes serei grato para sempre! A comida estava ótima!

UM GRANDE DOMINGO
Chegar à igreja pela manhã foi uma bênção, um privilégio. A escola dominical foi ótima, muito bem dirigida pelo pastor, que nos trouxe excelente aula. Sua classe, de adultos, foi bem concorrida. Ele dá a todos a oportunidade de participar, e convida a todos para meditar com responsabilidade no tema. Depois tivemos os louvores com cânticos e a pregação da Palavra de Deus. Fui convidado a pregar e a cantar. Agradeço a Deus pelo amor e carinho daquela igreja, que me tratou com todo o respeito, afeto e confiança, mesmo não me conhecendo ainda. Como disse anteriormente, devemos isso a Deus, que nos deu o Seu Espírito. Aleluia!

Mais uma vez o Pastor Ezequiel fez-se presente, mesmo tendo chegado às pressas, porque havia deixado sua esposa no ensaio do coral em outra igreja, a dos Francos, e correra para pegar o culto nas Antas. Obrigado, Senhor, pelo privilégio de desfrutar deste convívio!

ALMOÇO
Almoçamos na igreja, um bom número de irmãos. Foi excelente conversar, falar das coisas do Senhor, desfrutar das consolações do Senhor. De lá voltamos ao apartamento, onde, após algum descanso e arrumação, rumamos novamente à igreja.

MAIS UM CULTO
O culto da noite, que seria de um auditório sensivelmente menor (na Europa e América do Norte, é mais comum um auditório maior pela manhã e menor às noites), estava quase que equilibrado, pois um bom número de irmãos estava presente. Outro atleta, o Diego, que joga em outro time importante de Portugal, estava presente. Os cânticos dos jovens do louvor foram maravilhosos, inspirativos, inesquecíveis. Quando me passaram a palavra, pediram-me para cantar. E lá foram ERAM CEM OVELHAS, DIVINO COMPANHEIRO, DEUS ENVIOU. Obrigado, Oséias de Paula, Luiz de Carvalho e Josué Rodrigues! Nada como ter vivido num tempo em que os clássicos eram cantados e recantados!

FIM DE CULTO
Simplesmente indescritível. O Pr. Jônatas deixou a câmera a gravar, mas isso não é capaz de reproduzir em alta fidelidade o sentimento que havia em meu coração naquele momento. Os irmãos vieram despedir-se de mim, com abraços, "tapinhas na barriga" (todos os estrangeiros percebem que homens brasileiros, quando se abraçam, além do tapa nas costas também costumam estapear a barriga, coisa que só parando para avaliar que às vezes fazemos isso mesmo!), mas, principalmente com lágrimas nos olhos e com testemunhos de que o Espírito Santo falara aos corações de forma profunda. Pergunto aos meus leitores e amigos: há algo no mundo ou na vida de um pregador, que seja mais precioso que isso?

Uma senhora, a tesoureira da igreja, veio com uma notinha, colocando-a em minha mão. Eu instei com ela para que não o fizesse, mas ela, com seu jeitinho bondoso de mãe e de amorosa cristã, disse: "é para ajudar na viagem, pastor, um pequenino mimo de nossa igreja". Como agradecer esse grande carinho? Obrigado, Igreja Evangélica Baptista de Antas, no Porto!

SALMÃO
Vir a Portugal e não comer peixe, é realmente uma agressão ao bom gosto. Infelizmente não sou pródigo em gostar de bacalhaus, nem de peixes repletos de espinhos. Mas há peixes que são simplesmente irrecusáveis. Um deles é o salmão. Principalmente quando preparados por mãos tão pródigas e carinhosas como as de Filipa e Jônatas. Ah, que peixe saboroso! Comemos, enquanto conversávamos sobre as coisas do Senhor, sobre o Seu amor, sua salvação, sua realidade, sobre o ministério no Brasil e em Portugal, e sobre uma possível conferência nas igrejas do norte no próximo ano. Quem sabe? Que o Senhor confirme Sua santa vontade! Aproveito para pedir as orações de todos pelo Pr. Jônatas, cuja liderança jovem, dinâmica e espiritual agora repercute nos dinâmicos trabalhos desenvolvidos pelas igrejas de lá. Que Cristo seja o Rei, e que todos sejam um nEle!

DORMIR, RESTART
Sem dúvida, uma das coisas que mais preciso (e que menos tenho) é a oportunidade de dormir. Mas a segunda-feira pela manhã foi reservada para essa atividade tão profunda, tão sonhante, tão repousante. E eu dormi mesmo! Quando pensava em tomar o "pequeno almoço" (café da manhã), foi conduzido pelo Pastor Jônatas a "comer uma francesinha" (trata-se de uma espécie de CHEESE TUDO ou X-TUDO no prato, porém, em muito maior volume, com a adição de um molho todo próprio, mas sem a presença de alface). Há um camarão inteiro em cima, com os olhos a mirarem-nos, e eu, por ser tímido, tirei-o rapidamente, presenteando-o ao do Pr. Jônatas, mas ficando com toda a outra parte, pois, sinceramente, é um almoço e tanto! Já passava da uma da tarde.

ADEUS OU ATÉ LOGO, ANTAS?
Sim. Quando o Pastor Jônatas levou-me à plataforma do comboio, doeu-me o coração. À frente da estrada férrea, contemplei o estádio do Porto. Do outro lado, a continuação da ferrovia e suas grandes cidades no caminho. Mas o coração doeu, porque deixei eem Antas um pedaço do coração, e levaria no lugar lembranças indeléveis e abençoantes, numa oração sincera de "Senhor, abençoa meus irmãos do Porto, e permite-me revê-los um dia!". O combóio chegou. Vou a Coimbra.

Até mais.
Wagner António de Araújo

SE QUISEREM ESCREVER-ME, FIQUEM À VONTADE. QUE LEREI, LEREI, SE DEUS QUISER.
RESPONDER, SÓ EM BRASIL, MAS, COM URGÊNCIA, POR CÁ TAMBÉM.

Escrevam para viagem.portugal@gmail.com
Ficaria agradecido com esse retorno através de um e-mail.
 
========================
 
09 – MOMENTOS EM COIMBRA

DE VOLTA À BASE
Ao chegar do Porto, fui recebido pela minha família em Portugal: Pastor Marcos Amazonas dos Santos, irmã Lílian, e as crianças Débora e Matheus. Aqui tenho o meu quarto, que é a invasão do quarto da Débora, tenho meu lugar à mesa, e, certamente, ocupo um lugar no coração, graças a Deus. Tal amizade remonta aos artigos que circularam na INTERNET há alguns anos, quando o Pastor Marcos quis saber quem escrevera um deles, ENCONTREI MEU NOME. Daí ele encontrou o meu. Tornamo-nos amigos.

ARTUR E FÁTIMA
Fui convidado para um jantar com esse casal maravilhoso, amigos desde que vim pela primeira vez a Portugal. Seus filhos João Luca e Beatriz são um testemunho vivo do que um lar feliz e cristão pode proporcionar à vida de crianças amadas. Passamos horas muito agradáveis em sua casa, de onde podíamos ver o pôr-do-sol em Coimbra. Ah, mas o sol não se punha, uma vez que ainda podíamos falar da Luz lá do Alto, onde Cristo está assentado à direita do Pai Celestial! Apreciamos um jantar de extremo bom gosto, e conversamos muito sobre as coisas de Deus, principalmente sobre o Céu e o porvir. Artur e Fátima são uma bênção nas mãos do Senhor, e no ministério do Pastor Marcos.

CARTAS APOCALÍPTICAS
Na quarta-feira à noite há o culto de oração e estudo da Palavra de Deus. E o Pastor Marcos vem conduzindo com brilhantismo um estudo bíblico concernente às cartas às igrejas da Ásia Menor. Num clima de conversação amiga, ele consegue envolver toda a igreja na discussão do tema, levando a todos à participação, à meditação e ao crescimento na compreensão bíblica. Foi excelente participar do culto, onde foi abordada a carta à Igreja de Esmirna. Também foi ótimo rever irmãos queridos e amados, gente que já faz parte da história de minha vida, pessoas   envolvidas no Reino de Deus. Não preguei, pois queria ouvir o Pastor Marcos. Mas cantei. E "tome" ERAM CEM OVELHAS, DIVINO COMPANHEIRO e outras. Fiz até um dueto com a irmã Lílian, "MANDA UM ANJO AQUI, SENHOR", canção que ela conheceu no tempo de criança, e que cantarola enquanto faz suas tarefas. Não posso dizer que fomos um Eduardo & Silvana, mas até que não fizemos feio...

CHURRASCO EM COIMBRA
Um dos casais mais amorosos que conheço é o casal Silvina e Vasco. Quiseram que nós almoçássemos com eles num restaurante da cidade. E fomos, nossa família e eles. Ah, como foi bom desfrutar daqueles momentos preciosos com eles! O irmão Vasco é um organista autodidata de mão cheia, toca que é uma maravilha, e a irmã Silvina canta e ora com muita consagração. Eles também possuem alma brasileira, uma vez que tem filha no Brasil, mais propriamente em Guarulhos. De vez em quando passam uma temporada por lá.

Mas quero repartir com todos uma experiência muito engraçada, contada pela irmã Silvina.

Disse ela que, na Igreja dos Irmãos, há a Ceia do Senhor em todos os domingos. Aqui em Portugal a Ceia do Senhor é feita com vinho, como em parte do sul do Brasil, e não com suco de uva. Bem, distribuídos os cálices, o dirigente mandou que todos bebessem e começassem a cantar, com os cálices erguidos:

É ISSO QUE ME FAZ CANTAR, É ISSO QUE ME FAZ CANTAR.....
Imagine-se a cantar isso, após beber o vinho ..... (o jeito que a irmã Silvina  contou é que foi muito engraçado, e eu não sei reproduzir à altura.). Talvez aquele bêbado, da anedota no Brasil, viesse a calhar, quando, ao tomar o cálice, saiu-se com esta: ÊTA RELIGIÃO BOA...

Sem comentários...rs
Continuo depois...

Tchau...
Wagner Antonio de Araújo

Meu e-mail para interação:
viagem.portugal@gmail.com
 
===================
 
10 – GEMIDOS DA ALMA

INTERREGNO
Conquanto a viagem e a vida caminhem, continuem e sejam bênção,
Há algo que minha alma precisa cantar, chorar e gemer.
É o que segue.

-------------

Por mais que cantem os pássaros pelos céus de Coimbra,
Por mais belas que sejam as flores nos jardins de Portugal,
Por maiores que sejam as bênçãos desta viagem missionária,

Eu não me esqueço de ti, mãe querida, tesouro de minha vida, razão de minha existência!

Sinto falta de tuas ligações constantes, a perguntar se já tomara os remédios,
A ralhar comigo por não ter dormido o bastante,
A recomendar que não deixasse de ler minha bíblia e fazer minha prece,
A falar do orgulho que sentia por ter um filho missionário.

Ah, mãe querida! Tua ausência hoje dói fundo em minha alma carente,
Teu sorriso inocente e tua alegria inata me enchem o peito de dor
Fostes tudo para mim, e eu, tão mau filho, não fui tudo o que deveria ter sido!
Como queria estar contigo, afagar teu cabelo e colocar minha cabeça em teu colo!

Tuas canções sempre presentes
(e para tudo tinhas canções),
Teus consolos sempre capazes
- nada era ruim e sem propósito para ti!,
Tua fé sem fingimento
E tua emoção profunda nas coisas de Deus,
Hoje me fazem da primavera um Outono,
E do verão um Inverno.

Não fosse tua fé, mãe querida, e eu não resistiria.
Tuas orações ainda são ouvidas,
Não pelo que oras agora (e oras?), mas pelo que orastes em vida,
E tuas orações, à semelhança do sangue de Abel, o justo,
Ainda repercutem, protegem, afagam, edificam, purificam, entusiasmam!

Sei que me não ouves, mas como gostaria de que ouvisses!
Tudo isto te falei em vida,                  
Mas, como se o tempo não existisse,
Tudo isso continuarei a te falar enquanto viver.

A tua bênção, mãe amada, querida ELZIRA BONFANTE!

Presenteio a todos os amigos as últimas imagens de minha mãe, antes
Dos fatídicos dias da derradeira enfermidade, imagens recuperadas
De uma fita de oito milímetros:

Acessem em:
http://br.youtube.com/watch?v=bedf7m3-EM8
http://br.youtube.com/watch?v=G5yNguuWYa4

Daniel, eu e Milú sentir-nos-emos honrados com sua audiência. Aos que entendem de youtube, se puderem colocar estrelas na avaliação, farão uma grande homenagem para nós.
Obrigado.

Wagner António de Araújo
 
===========================
 
11 - ANIVERSÁRIO DE COIMBRA

Há aqueles que julgam a internet um instrumento do Diabo. Outros, contudo, a classificam como bênção de Deus. A questão não é a tecnologia da comunicação em si, mas o uso que se faz, que a transforma ou em bênção ou em desgraça. Para mim, a internet foi bênção. Fui a ela apresentado pelo meu irmão Daniel, anos-luz à minha frente em matéria de tecnologia. E desde então (1999), só ampliei a utilização da mesma. Criei a lista COMPARTILHANDO, cujo objetivo era o compartilhamento entre pastores e ministros do evangelho. E, nas demais listas, enviava textos, crônicas, meditações, estudos, e eles correram o mundo. Um destes caiu nas mãos de um pastor brasileiro em terras portuguesas, a pastorear a Igreja Evangélica Baptista em Oliveira do Hospital. Seu nome: Marcos Amazonas dos Santos. Comunicando-se comigo, Marcos e eu tornamo-nos amigos, e em 2005, por graça e misericórdia do Pai, vim visitá-lo em conferências bíblicas. Amei a família, amei a igreja, amei a Europa, amei Portugal. Tornamo-nos amigos e parceiros na obra do Senhor. Retornei em 2006, à convite da sua nova igreja, Igreja Evangélica Baptista de Coimbra, e pude conhecer as duas. Aliás, elas e outras da região centro-norte e centro do país. E desta vez, num milagre único da graça do Senhor, cá estou no aniversário da amada Coimbra.: 46 anos de existência!

Fundada pelo Pastor Doutor António Maurício, missionário da Junta de Missões Estrangeiras da Convenção Batista Brasileira, Coimbra destaca-se por sua comunidade cosmopolita, estudantil, acadêmica e trabalhadora. Na membresia encontram-se, além de bons membros de todas as profissões, professores doutores, mestres, estudantes nas mais diversas escalas de graduações profissionais, e também gente de toda parte: Cuba, Moçambique, Suíça, Angola, Brasil, Inglaterra, Estados Unidos, Romênia, etc. Uns ficam muito tempo, outros só o tempo necessário para a graduação. A Universidade de Coimbra é, senão a mais importante de toda a Europa, uma das mais importantes do mundo inteiro.

Seu pastor é digno da função recebida (ele jamais diria isso ou concordaria com isso, por força da humildade, mas eu posso falar, porque convivo com ele e vejo o seu trabalho). Cada pregação, por mais humilde que seja, por menor que seja o grupo de ouvintes, é preparada com esmero, pesquisa, carinho, dedicação, oração e grande responsabilidade. Seus esboços e redações "sermonais" são verdadeiras peças acadêmicas e literárias. E, com a graça de Deus, ele consegue destrinchar pontos difíceis, tornando-os inteligíveis a gregos e a troianos, a graduados e estudantes. Vi-o no preparo de dois sermões, de uma série que prega nas quartas-feiras, no culto de oração: AS CARTAS APOCALÍPTICAS. Preparou Esmirna e Pérgamo. Senta-se em sua biblioteca, adquirida à dura custa, desde o seu tempo no Rio de Janeiro e em Manaus, sua terra natal, e muito fortalecida com suas aquisições européias, e concentra-se de forma absoluta, enquanto ouve músicas cristãs brasileiras. Abre vinte ou trinta livros, aciona páginas e páginas na internet, mune-se de canetas das mais variadas cores, e começa a esboçar seu estudo. Começa cedo, e à tarde está concentrado ainda em suas meditações. O resultado é encorajador: mensagens poderosas, regadas à oração, preparadas com conhecimento, pesquisa, responsabilidade e beleza. Escrevo isso à respeito deste pastor maravilhoso, exemplo para mim, e, conquanto mais novo que eu 2 meses, muito mais profundo e com dons que eu não recebi (pastor-doutor-mestre) Marcos Amazonas dos Santos. Em 2008 o levaremos ao Brasil, onde, com a graça de Deus, pregará em Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo, em data ainda a ser estabelecida (interessados podem enviar solicitações embnovas@uol.com.br )

ESMIRNA
Na quarta-feira ouvi a pregação sobre a igreja de Esmirna. Conquanto não houvesse muita gente presente, o pastor pregou com a mesma qualidade e pujança. Eu, por minha vez, fui convidado a cantar. Fí-lo com amor ao Senhor, e até arrisquei-me a um dueto com a esposa do Pastor, irmã Lílian Amazonas, "SENHOR, MANDA UM ANJO AQUI". Até que saiu bom ... Mas não pediram BIS...

SEXTA-FEIRA
O aniversário principiou as comemorações na sexta-feira. E eu seria o pregador. Seria não; eu fui. Havia muita gente presente naquela noite. O culto estava lindo! O amor era grande, a alegria tremenda. E a felicidade por reencontrar pessoas tão amadas e queridas entusiasmava-me a alma. Foi uma grande abertura dos trabalhos.

SÁBADO – SEMINÁRIO
O sábado foi mais que especial. Fui preletor no seminário AS CINCO LINGUAGENS DO AMOR. Gastei dois períodos na exposição da matéria, na parte da manhã falei sobre as linguagens e as específicas do amor. À tarde sobre as interrelações entre cada linguagem e a possibilidade de aprendermos a falar a linguagem do cônjuge, do irmão, do amigo, visando uma demonstração de carinho e de aprofundamento nas relações. E o final foi muito emocionante, pois as pessoas diziam de que maneira isso estava a tocar suas almas, suas memórias, seus relacionamentos, desafiando-as a novos comportamentos e propósitos específicos dali para frente. E o povo foi à igreja com cadernos, com o livro, com textos, com perguntas, com observações. É de fato uma igreja muito singular, de um povo estudioso e observador, e isso amplia em muito a responsabilidade de quem leciona.

Eles ainda se lembravam do ano passado e do ano retrasado, quando também estivemos presentes, em 2005 falamos sobre OBREIRO APROVADO, oferecendo a oportunidade de consertar erros que no passado tivéssemos cometido e não confessado; em 2006 demos o seminário sobre VIDA DEVOCIONAL, e eles ainda tinham as cadernetas onde aprenderam a fazer devocionais diárias! Aleluia! Como diz João Apóstolo, não há maior alegria no coração de um pregador, do que saber que "seus filhos" andam na verdade. Amém!

O ALMOÇO
Almoçamos na igreja. A irmã Lílian organizou a solicitação de marmitex num restaurante próximo, e comemos gostosamente dois pratos, bacalhau e carne com batatas. Eu comi carne com batatas. Depois tive a alegria de ligar ao Brasil, e falar com o meu irmão Daniel, a minha irmã adotiva Milú, meus vice-presidentes da Boas Novas de Osasco, e, com certeza, com minha namorada, princesa Elaine.

CULTO À NOITE
Pensaram que, ao terminar o seminário, às 16 e tais, acabaram-se as programações do dia? Enganaram-se! Foi apenas o tempo de tomarmos um banho, fazermos a barba e retornarmos à Casa do Senhor. Como é bom servir a Deus! Por isso, jovem, dedique-se integralmente ao Senhor nos dias de sua mocidade, pois, quando não puder mais desenvolver muitas atividades, terá importantes lembranças de uma vida dedicada a Deus. Mas, digo-lhes: sabe quem mais marcou presença durante todo o dia, e à noite também: os mais idosos! Aleluia! Os que confiam no Senhor renovarão as suas forças!

O culto foi maravilhoso, com boa música, com muita alegria, com muita descontração, e com muita celebração dos quarenta e seis anos de existência da Igreja Evangélica Baptista de Coimbra, igreja situada à beira do fabuloso e tão cantado em fados Rio Mondego. Meu Deus, que privilégio estar aqui nessa ocasião!

Preguei sobre I Coríntios 13.4-8. e pude contemplar a glória de Deus no rosto transformado daqueles queridos irmãos. Foi uma noite memorável!

GRANDE CELEBRAÇÃO NO DOMINGO PELA MANHÃ
Logo cedo fomos à igreja novamente. Cansados, porém, alegres.

AULA – Ah, quem dera que todos assistissem à aula do Professor António Teotônio! Ele, uma sumidade em toda a Europa na área do conhecimento científico, físico, é também um homem segundo o coração de Deus, membro dos Gideões Internacionais em Portugal, conhecidíssimo da grande liderança secular portuguesa por suas aulas inesquecíveis, e de uma unção espiritual para lecionar gigantesca! Assisti à sua aula. E, se tudo der certo, a colocarei no YOUTUBE, quando chegar, se Deus quiser, ao Brasil.

PARTICIPAÇÃO DAS CRIANÇAS – A Deborah, filha do Pastor Marcos Amazonas, treinou no sábado e no domingo com muita dedicação, e, nessa manhã dominical, participou de uma apresentação de uma canção com linguagem de sinais e movimentos, onde cantou belissimamente, enquanto a irmã Ruth Ligeiro apresentava a canção. O Matheus Amazonas, já nos seus 12 para 13 anos, toca violão na equipe de louvores, e toca maravilhosamente. E as criancinhas apresentaram uma canção sobre árvores, girafas, rios, que louvam a Deus, uma canção de Cristina Mel, coisa lindíssima. Que manhã!

PREGAÇÃO – Estavam presentes diversas representações de várias partes de Portugal, na celebração do aniversário da igreja. Também fez-se presente o Pastor Machado, ex-pastor da igreja, veterano obreiro português, mantenedor de um lar para crianças carentes, amado em todo o país e fora dele também, e pai do Professor Jônatas Machado, conhecidíssimo professor de direito internacional no mundo inteiro, que também é membro da igreja. Eu, por minha vez, sentia-me tão pequenino, que, se pudesse, desejaria ser uma formiga, para ninguém me ver, mas seria o pregador, e orei ao Senhor, muito nervoso, e disse: "Senhor, com tantos servos teus, de tamanha envergadura, estou com medo, mas seja o que tu quiseres". Foi quando o Espírito Santo deu-me coragem sobrenatural e uma autoridade espiritual profunda, e preguei sobre Jacó em sua luta com Deus. Sabia que não poderia demorar-me, e procurei terminar em menos de vinte minutos. Não sei se consegui, mas tentei. Crítico que sou, achei que fui muito mal, fraco mesmo. Porém, conhecedor do que diz a bíblia do que somos quando fracos nos sentimos, bendisse ao Senhor. O Pr. Machado deu-me um forte abraço. Obrigado, Senhor!

CONVÍVIO  - O almoço-convívio foi realizado num restaurante próximo, na mesma rua, o D. Pedro. Ah, que festa, que alegria, que maravilhosa oportunidade de ver o povo de Deus reunido, para compartilhar das bênçãos celestiais, e de um bom bacalhau e de uma boa carne (minha opção)!

CANTANHEDE – A missão em Cantanhede, cidade distante dezessete quilômetros de Coimbra, também queria festejar o evento. Assim, parte da igreja ficou em Coimbra, e outra parte dirigiu-se a Cantanhede. Eu já pregara lá em duas ocasiões distintas, e seria um prazer retornar. Ao chegar, revi dois amigos inesquecíveis, Joaquim Girão e sua esposa Albertina! Como amo esse casal veterano, da Igreja dos Irmãos! Estava lá o Irmão Costa, a dirigir o culto, e fui convidado a pregar. Bem, lá estava também o Pastor Machado, que participou do culto, orando ao final. Foi uma bonita festa, uma alegria imensa. Depois disso, voltamos a Coimbra, para jantar no ANTÁRTIDA, um restaurante do centro comercial (shopping center).

Por ter ficado mais tempo em Coimbra, por ter mais familiaridade com os membros desta igreja, e por necessitar jantar diariamente, fui alvo de grandes expressões de amor e de carinho da membresia, tendo sido convidado para jantares na casa deles, e quero menciona-los aqui.

JANTAR NA CASA DO PROFESSOR ARTUR E FÁTIMA
Não poderia deixar de registrar o jantar que tive na casa do querido Artur Alfaiate, professor em Coimbra, e um ótimo servo do Senhor, de inteligência e simpatia maravilhosas. Sua esposa Fátima é de uma elegância marcante, e dotada de um espírito belíssimo, transmitindo em seu sorriso a graça do Mestre Jesus. Seus filhos, o João e a ----, receberam-nos para um jantar muito gostoso, regado a conversas teológicas. Como estou a preparar um outro seminário, OS TRÊS CÉUS, essa foi a nossa conversa, e pudemos verificar quantas dúvidas temos, num mar de certezas que podemos também contabilizar. Foi a nossa segunda oportunidade teológica, uma vez que, no ano passado, conversamos sobre a eternidade e o tempo. Eu agradeço de coração essa oportunidade de compartilhar com a família do Artur.

JANTAR NA CASA DO PROFESSOR TEOTÓNIO E IRMÃ PIEDADE
Também não posso me esquecer do jantar à casa do grande Professor Teotônio.

Fomos recebidos em seu apartamento, e participamos de um jantar muito fino e afetuoso. Além da gostosa comida e bebida, pudemos falar das coisas de nosso Deus e Pai, das nossas lembranças do tempo de jovens, eles mais que eu, pois estão a caminhar a mais tempo, e falamos também do Mestrado que a irmã Piedade havia conseguido terminar meses atrás, com honras e citações em mestrados atuais. Ambos são inteligentíssimos. Teotônio confidenciava-me experiências com Deus, suas histórias do tempo em que ainda era criança, e também as experiências na distribuição de novos testamentos como Gideão Internacional. Como foi bom! Como foi inesquecível! Como tenho consideração pelo casal! Deus os abençoe, enriqueça e prospere mais e mais! Sua filha tocou-nos ao piano uma linda peça, e, diga-se de passagem, é uma jovem e promissora médica. O filho também é médico. Louvado seja Deus por essa família.

NOITE ESPECIAL NA CASA DO IRMÃO FERNANDO
Fui à casa do irmão Fernando, participar de uma noite mais que especial. Detentor de certificação internacional no conhecimento em enologia, Fernando nos concedeu uma aula muito profunda sobre o assunto, regado a chouriços e queijos de diversos sabores. Algo realmente diferente, mas algo que muito nos ligou como irmãos em Cristo Jesus, uma vez que compartilhamos de nossas múltiplas experiências no Senhor. Fernando é   um jovem avô, prestes a casar-se novamente, com uma brasileira, e está a preparar-se para o batismo. Ele fez mais que o melhor para nós; ele serviu-nos a excelência. Muito, muito obrigado, querido Fernando!

JANTAR NO RESTAURANTE CATITO COM A FAMÍLIA GIRÃO
O irmão Girão, como já mencionei, é muito querido. Um policial reformado, Girão me ajudou, transportando-me, quando da primeira vez que cá estive. Ficou a amizade. Assim, ele e sua esposa Albertina, vieram buscar-me para visitar uma aldeia, onde há uma fonte dágua, tirar fotografias, e, depois disto, jantar com o filho Fernando Girão, ex-membro de Coimbra, e que se casou há cerca de dois meses.

Fomos até a igreja da aldeia, fotografamos, fomos à praça, às ruas, à fonte, e pudemos aprender um pouco sobre aquele sítio. Depois saboreamos um ENTRECOSTO de porco, com sobremesa de Natas do Céu, que é coisa formidável. Também vi as fotografias do Girão, do seu casamento, e foi maravilhoso saber que ele está feliz e realizado como homem, carecendo apenas de orações para encontrar novo emprego (oremos por Portugal, pois o país atravessa um momento muito crítico em termos de trabalho, há muitos qualificados e poucas oportunidades para trabalhar).

RANCHO NA CASA DO IRMÃO VASCO E IRMÃ SILVINA
Esses irmãos já nos haviam acompanhado para uma refeição num restaurante brasileiro no início de minha estada em Coimbra, mas queriam que eu provasse um rancho. Então fui. Meus irmãos, que rancho! Trata-se de uma panela grande, com chouriços, farinheiras, várias partes do porco, couve, grãos diversos, tudo misturado e temperado, algo fenomenal! É muito difícil emagrecer em Portugal! Enquanto comíamos, conversávamos sobre o Brasil, pois o irmão Vasco tem filha casada em Guarulhos, que é membro da Igreja Batista em Perdizes, e ama de paixão a nossa terra, tencionando estar lá novamente em maio do próximo ano. Se isto acontecer, ele irá pregar e cantar na Boas Novas de Osasco, e também iremos comer um bacalhau em algum restaurante. Obrigado, Vasco e Silvina!

JANTAR BRASILEIRO NA CASA DA APARECIDA
Apareceu a Aparecida, olê, olêolá....

Essa paraibana é maravilhosa. Conheceu-nos nos cultos em Coimbra e desejou servir um jantar, com muitas sobremesas. Ela encontrou em mim alguém com quem pudesse repartir pedidos de oração e isso a deixou agradecida, e resolveu que nos daria um jantar. Mas, comigo, foi a família Amazonas e a família Dória, outra família brasileira, de cariocas, que amam ao Senhor e são capazes de deixar qualquer ambiente alegre e feliz, por tanta simpatia e por estarem tão de bem com a vida.

Foi um ótimo jantar, com macarrão de molhos branco e vermelho, com pavês, sorvetes e sumos. Bendito seja Deus por essa jovem lutadora, diarista, que trabalha duro para montar a sua casa e ajudar seus pais, lá no Brasil, a construírem também. Quem casar-se com Aparecida será mesmo um bem-aventurado. Deus lhe abençoe, Aparecida de Jesus!

ESQUECIMENTO
Caso eu tenha me esquecido de alguém, por favor, me perdoem. Infelizmente estou a escrever esse texto após os acontecimentos, o que prejudica em muito a memória. Assim, espero ter me lembrado de todos.

No próximo contarei a última semana em Portugal.

Comunicações comigo em viagem.portugal@gmail.com

Wagner Antonio de Araújo
 
==========================
 
12 - ARRIFANA & RIO MAIOR

Minha última semana em Portugal seria vivida em Nazaré, no litoral, numa cidade muito tradicional e bonita. Contudo, "o coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa vem do Senhor". E, de fato, Deus decidira diferente. Enquanto eu realizava a conferência sobre AS CINCO LINGUAGENS DO AMOR em Coimbra, um senhor, cuja semelhança com o MINISTRO JOBIM era fortíssima, assistia a minha palestra. Ao final, cumprimentou-me calorosamente (eu quase lhe perguntava o que viera fazer ali o Ministro brasileiro). Descobri, contudo, tratar-se de um simpático pastor, cuja filha, a Ruth, era membro de Coimbra. Seu nome: Jorge Ligeiro. Quando todos estavam à sair, o Pastor Marcos Amazonas confidenciou-me: "planos mudados". "Por que?"; "não irás mais a Nazaré este ano, mas a Arrifana e a Rio Maior. O pastor daquelas duas igrejas esteve aqui a ouvir-te, e nós combinamos de enviá-lo lá, e deixaremos Nazaré para outra viagem".

FRACASSO OU BÊNÇÃO
Fatos como esse demonstram que eu não estava errado. Para vir a Portugal enfrentei tantos problemas, tantas dificuldades (problemas a nível pessoal, problemas à nível financeiro, problemas principalmente na Boas Novas de Osasco, que pensei: OU ESTA VIAGEM SERÁ UMA BÊNÇÃO, E POR ISSO SATANÁS SE OPÕE VIOLENTAMENTE, OU SERÁ UM FRACASSO, E DEUS ESTÁ A MOSTRAR QUE NÃO DEVO IR". Mas, "na multidão dos conselheiros está a sabedoria", e não houve amigo meu, maduro na fé, que dissesse: "não vá". Assim, eu vim, e ali estava um grande desafio, que se mostraria impressionante.

NO SÁBADO
Logo de manhã um congresso nacional da União Feminina Missionária Baptista Portuguesa se realizava em Coimbra. A irmã Lílian estava muito feliz, e a igreja também. Mas eu teria que estar à porta da igreja às 13 horas, pois a nora do Pastor Jorge iria me buscar para levar-me às aldeias onde estavam as igrejas. Cabe dizer que eu não conhecia absolutamente ninguém, exceto o Pastor Jorge, que vira uma única vez. E a jovem veio. Mariline o seu nome, uma jovem francesa, que veio a Portugal, casou-se com o filho do Pastor Jorge e prepara-se para viver em Angola, onde seu esposo já está, à trabalhar. Portugal vive um momento difícil, com muitos jovens e adultos qualificados, mas poucas oportunidades de trabalho. Oremos por Portugal!

Mesmo sendo francesa, a jovem Mariline dominava perfeitamente a língua portuguesa de sonoridade lusa. E fomos conversando, enquanto ela dirigia e eu fotografava cada detalhe da estrada. É bom dizer que essa jovem enfermeira dirigia muito bem, e eu fiquei muito admirado ao ver seu enorme talento em "conduzir" pelas estradas portuguesas. Mariline é enfermeira na região de Oliveira do Hospital, mas mora pelos lados de onde estávamos indo, uma viagem e tanto! Mas todas as semanas ela cruza o centro do país, para ganhar seu pão de cada dia. "Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor excede o de rubis".

PASTOR LIGEIRO
Ao chegarmos à aldeia de Arrifana, uma aldeia pequenina, numa região cercada de vinhedos e oliveiras, de beleza ímpar e de clima altamente saudável (há pouco tempo atrás, depois de 50 anos, nevou nessa serra novamente), o Pastor Ligeiro (Jorge Ligeiro) veio nos receber.

A simpatia e a alegria do Pastor Ligeiro era digna de fotografar. Ele andou a fazer "propaganda enganosa" (enviou convites aos aldeões e aos amigos, dizendo que um pregador bom estaria presente, quando, na verdade, era apenas um jovem comum, chamado para falar do amor de Cristo), e estava agora a conferir quantas pessoas estariam presentes ao seminário AS CINCO LINGUAGENS DO AMOR. Primeiramente mostrou-me as dependências da igreja. Uma igreja pequenina em termos de salão de cultos, mas grande no salão de convívio (friendship) e serve de moradia de final de semana a uma família da igreja. A cidade funciona como Campos do Jordão, Monte Verde e outras, que ficam com poucos habitantes durante a semana, mas aumentam de população aos finais de semana. Moram ali cerca de 300 pessoas, e, aos finais de semana, o número de habitantes chega a dobrar.

UMA ALDEIA ATÍPICA
O Pastor Ligeiro explicava-me que é a aldeia mais evangelizada e mais protestante de Portugal, uma vez que 10 % da população é membro da igreja, e todos já ouviram falar de Cristo várias vezes, apesar de não terem feito ainda decisão pelo Senhor. Fomos tomar uma "biquinha" (cafezinho, um pingado), e todos o conhecem e o respeitam. O Pr. Ligeiro lembrava-me o inesquecível Pastor Manoel Gonçalves de Oliveira, com toda a sua peculiar simpatia no pastoreio da igreja. Os filhos Joel e Daniel eram os guardiães do pastor. Aliás, diga-se de passagem, que filhos benditos de Deus! Daniel namora uma jovem BRANGORGUESA (brasileira +angolana+portuguesa), moça que viveu nessas regiões todas, e que também dedica-se à enfermagem. E o jovem Joel, o caçulinha, quinze anos, foi por mim nomeado CAMERABOY. A esposa do pastor, a irmã "Ligeira" (Anita), é uma acolhedora, simpática e consagradíssima serva do Altíssimo Deus. Portanto, vi que Arrifana e Rio Maior estão nas mãos de pessoas legítimas do Reino do Senhor.

CINCO LINGUAGENS DO AMOR
Eu acho que o Dr. Gary Chapman ainda vai querer saber o que acontece com seu curso. Na verdade, eu não faço outra coisa, senão refletir em suas afirmações sábias e iluminadas, e a simples conversa sobre tal tema já promove uma transformação de comportamento, uma vez que aprendemos a falar a linguagem de amor natural de cada um, o que, muitas vezes, acaba por solucionar problemas de relacionamento diversos. Louvo a Deus porque tal livro me abençoou, e também tenho visto abençoar a muitos.

O desafio era transformar um seminário de um dia, num seminário de 3 horas. Não seria fácil. Em Antas e em Coimbra ficamos o sábado todo a meditar, mas ali teríamos que resumir. E isso procuramos fazer. Não sei se atingimos o objetivo, mas com três horas paramos o seminário. Entre uma linguagem e outra, acabei por intercalar com meus cânticos antigos, músicas que aprendi quando adolescente, músicas que toco com as poucas 5 posições de violão que aprendi com a Professora Cleonice dos Reis Pinheiro, hoje em Joinville, uma ex-nazarena e agora menonita. Como essa professora me ajudou! Eu digo que não toco, eu sou um "estepe" para quando faltam os músicos. Aqui, neste caso, eu tento deixar meu canto menos feio. E parece que tem dado algum resultado, para a glória do Senhor, pois, mesmo que limitado, tenho procurado fazer o melhor que posso, com amor.

CHURRASCO E MÚSICA
O pastor estava muito feliz, pois muitos convidados estavam presentes, muitas pessoas por quem oraram durante toda a semana, estavam lá, haviam participado do curso e agora partilhavam também do convívio com churrasco.

Como se come em Portugal! Como diria minha tia, "benzadeus!" De fato, a fartura é uma bênção do Pai celestial, e não sabemos por onde começar. Mas nada como comer só um pouquinho de cada coisa, para não engordar. (SERÁ QUE ALGUÉM AÍ RIU DE MIM? ESTÁ ME CHAMANDO DE GORDO???)

VINHO
Estava numa aldeia onde as vinhas são o meio de vida e subsistência de muitos habitantes. Em Portugal o vinho não é mera bebida; o vinho é tradição e alimento. É algo que não dá para se compreender sem se vir até aqui e sentir o que sente um português, ao pisar e amassar sua própria uva, armazenar o mosto e o sumo nos barris adequados, e servir prazeirosamente um bocadinho a um visitante de sua morada. Ah, talvez isso se compare ao cafezinho que a dona de casa oferece com amor e apreço aos seus visitantes, ou à refeição que temos na casa dos lavradores lá na roça, nos estados de Minas, São Paulo e Paraná. E não há embriaguez da parte dos crentes, pois, como disse, não se trata de bebida por bebida, mas de tradição, trabalho, profissão e prazer.

Billy Graham conta que, em certo país europeu, ao oferecerem o almoço para ele, serviram-lhe suco em lugar de vinho, e disseram: "Irmão Graham, em seu país se bebe suco para a glória de Deus; beberemos vinho com o mesmo objetivo; agradeçamos ao Senhor em oração".

CANTA MAIS UM POUCO?
Enquanto eu resolvia a minha luta com uma coxa de frango assado, o Pr. Ligeiro me procurou ligeiramente, e disse: "Pastor Wagner, as irmãs cujos maridos chegaram depois que o irmão já cantara, gostariam que cantasse mais um pouco. É possível?" Então pensei em dizer: "Bem, pastor, por favor, fale com meu empresário, para ver se haverá uma taxa extra". Mas não falei. Afinal, o que queriam essas irmãs? Assustar seus maridos? Estou a brincar. Eu cantei novamente, já que o Espírito Santo quis usar as canções para falar conosco também. Como não tinha nada mais preparado, resolvi cantar as primeiras estrofes de vários hinos, que começassem em RÉ. Pronto: estava ali uma canção longa, uma colcha de retalhos, mas com um objetivo: apresentar o Salvador Jesus Cristo como único caminho à vida, e a necessidade de uma decisão ao lado do Senhor. Oramos depois. E foi emocionante.

JOSÉ E ISABEL
Ué, não é José e Maria? Isabel era esposa de Zacarias! Sim, isso na bíblia. Em Arrifana o José é marido de Isabel, e são um lindo e maravilhoso casal, hospitaleiros, muito educados e amorosos, pais de um jovem talentoso, estudante de direito. O irmão José trabalha na Marinha Portuguesa, e é um funcionário de comunicações. A irmã Isabel é uma simpatia de pessoas, e ambos levaram-me a dormir em sua casa. Antes de dormir, pude compartilhar com eles a "estória dos cinco dedos", apresentando-lhes o Plano da Salvação. Oramos juntos. Eu fui muito abençoado através daquela hospedagem.

HORÁRIO NOVO
Pude dormir uma hora a mais, e talvez seja por isso que neste momento eu estou a escrever às duas e vinte da madrugada, cansado como estou (é que se deixar para amanhã, esquecerei metade). E eles deram um grito lá do lado de fora, conseguindo acordar-me. Tomei o PEQUENO ALMOÇO com eles (pequeno almoço é o CAFÉ DA MANHÃ), e saímos não para Arrifana, mas para a outra igreja pastoreada pelo Pastor Jorge Ligeiro, a Igreja Evangélica Baptista de Rio Maior. (Aqui fica uma idéia para muitos pastores e igrejas brasileiras: duas ou três igrejas pequeninas, que não podem sustentar um obreiro sozinhas, e não podem ter um obreiro de tempo parcial, porque suas cidades não têm emprego secular para que os pastores trabalhem, podem bem juntar as forças, preparar uma tabela e ter um pastor para cuidar delas. Aqui o Pastor Ligeiro é ligeiro e consegue pregar pela manhã em Rio Maior e à noite em Arrifana.).

RIO MAIOR
Como diz o nome, não se trata de uma aldeia, mas sede do CONCELHO. É uma cidade de porte médio, com um bom estádio, piscinas, ruas bem movimentadas, tendo montanhas ao seu redor por um lado, cheias de cataventos geradores de energia eólica, semelhantes aos que vi no caminho de Aquiraz, no Ceará, quando o Pastor Airton Evangelista da Costa mostrou-me sua Assembléia de Deus. Lá também tem.

Mas há algo muito especial naquela cidade: ela possui SALINAS SEM MAR. Há um poço dágua, retirado da cidade, cujas águas são sete vezes mais salgadas que o mar, e cujo sal não vem do mar, mas de uma gema gigantesca, por onde passa essa água, que é colhida e esparramada por páteos abertos, que, ao terem a água evaporada, deixam o sal de excelente qualidade. É uma salina nova: começou em 1177. Sim, eu não digitei errado não: é tudo isso mesmo. Fui conhecer a salina na hora do almoço. E, como gosto de sal, coloquei uma pedrinha na boca; me arrependi, pois comecei a tossir muito. Pois é, nunca viu mel, quando vê, se lambuza...

A IGREJA
O Pastor Ligeiro trouxe parte de sua equipe de músicos de Arrifana, e alguns irmãos de lá estavam presentes também. O culto começou com a simpatia peculiar do pastor. Ele parece um grande paizão. Que gostoso ser ovelha do Pastor Ligeiro! Então os jovens, guiados por um jovem chamado Nuno, cantaram e encantaram. Nuno fez dois anos de instituto bíblico, e é um pai de família preparadíssimo. Seu filho de dois anos faz questão de pegar a violinha e sentar-se junto dos violonistas, e tudo o que os músicos fazem, ele imita, e fica bravo quando não o deixam tocar mais. Se os músicos colocam os violões de costas, para orar, ele também faz, é uma graça de menino.

O louvor foi lindo, maravilhoso mesmo.

PREGAR O QUE?
Decidi, em oração, que a pregação seria o meu testemunho de conversão. Contei sobre minha origem, meu lar desajustado, a religiosidade sem compromisso, minha fuga em Deus, depois meu abandono da religião em prol de uma adolescência feliz, porém, quanto mais fugia, mais o Senhor me buscava. Então o encontro com o Pastor Timofei Diacov, a entrevista, a visita à Igreja Batista em Sumarezinho (SP), minha decisão por Cristo, meu batismo, a ira do meu irmãozinho e de minha mãe, a conversão do meu pai e do meu irmão na Ceia do Senhor e com o cântico do hino 328 do Cantor Cristão pelo coral; e a maravilhosa conversão de minha amada e saudosa mamãe, que entregou-se a Cristo ao fazer o jantar. Então, ao final, fiz um apelo, e, para surpresa minha e do pastor, algumas pessoas vieram à frente. Aleluia! Aleluia! Aleluia!

CASA DA IRMÃ FÁTIMA
Após o culto, a igreja foi convidada a almoçar na casa da irmã Fátima, uma senhora de extraordinária e fenomenal elegância, que cedera suas dependências para a realização do almoço.

Não se trata de uma casa, mas de uma mansão. Meu Deus, que casa linda! Que azulejos, que prataria, que coisa linda! A simpatia da irmã Fátima também é fabulosa! Lá fomos nós. Quando vi o almoço servido, quase caí de queixo: tanta comida, tantos talentos culinários, tanta variedade! Alguns brasileiros estavam presentes também, pessoas que vieram a Portugal tentar a sorte, a trabalhar de pegar frangos e coloca-los nas gaiolas para enviar aos abatedouros, ou na construção civil, como pedreiros e ajudantes. O Pastor Ligeiro estava feliz, porque acreditava que a presença de um brasileiro viria a falar mais alto no coração deles, e eles se dedicariam mais ao Senhor e ao Seu trabalho, se integrariam mais, pois todos são um tanto recentes. E, de fato, pudemos conversar muito sobre as coisas de Deus.

AS SALINAS
Fomos, após o almoço, conhecer as salinas sem mar. Há pequenas casas de madeira por toda a área das salinas, a vender produtos de artesanato local. Levamos conosco o Irmão Antonio, um antigo membro da igreja. Era incrível como praticamente todos o conheciam! Ele, sem perceber, abria as portas! O pastor chegou a dizer: "é difícil vir visitar os irmãos em Rio Maior na companhia do irmão Antonio, pois nunca chegamos ao destino; paramos toda hora a cumprimentar e a conversar com os amigos dele!". Homens assim valem mais que o "ouro de Ofir".

CANSADO
Esgotado fisicamente, mas feliz espiritualmente, fui a Arrifana novamente, pois o culto da tarde, às 16 horas, seria lá de novo. O povo de Rio Maior despediu-se de mim, pois não iriam a Arrifana, que fica alguns quilômetros distante. Então fomos à igreja. Eu, sentado no banco do passageiro, acabei por cochilar um pouco. Quando vi, já estava no templo. As mulheres lá fora diziam que estávamos atrasados. Quando entrei, vi que realmente estávamos, pois o templo já estava lotado! O pastor e sua esposa sorriam com tanta simpatia e com tanta felicidade, que eu passei a ficar feliz também! Como é bom amar a Cristo!

CONTINUAR O QUE COMECEI EM RIO MAIOR
Falar sobre o que? Decisão difícil. Entretanto, percebi que me identificara muito com aquelas pessoas maravilhosas, e que gostava que soubessem que eu era um milagre de Deus, literalmente. Contei-lhes sobre a minha trágica experiência de uma catapora mal curada, minha internação na Beneficência Portuguesa de São Paulo, o derrame, parada cardíaca e enfarte iniciados, sobre a recomendação de que mamãe encomendasse um caixão para mim, sobre o isolamento e meu acorrentamento com as enfermeiras, a quem evangelizava, o que fazia com que elas fossem minhas prisioneiras para falar, e não eu a elas; sobre o Dr. Paulo, membro da igreja, que constatou a gravidade e irreversibilidade de minha situação, a minha oração de agradecimento pela vida, minha prontidão em morrer, e minha dedicação ao ministério da pregação do evangelho, caso o Senhor quisesse que eu continuasse vivo. Enquanto falava (e suava muito, pois estava muito entusiasmado para chegar ao final da história), cantava algumas canções. Ao final de tudo, fiz um apelo evangelístico. Para alegria de todos, pessoas entregaram-se a Cristo. E o povo, tocado pelo poder de Deus, abraçou-me com um carinho e um afeto sem precedentes. E o pastor estava radiante.

UMA ALMA
Talvez para cidades grandes do Brasil, em igrejas abençoadas pela quantidade, uma pessoa não seja tão destacável ou importante no conjunto, no todo. Mas imaginemos uma aldeia de 300 pessoas, e uma dessas pessoas entregando-se a Cristo! Há tempos, meses, em que não há uma única decisão! E ali estava o Espírito Santo, abençoando as orações de toda a igreja, que, durante a semana, ficou até uma da manhã a clamar pelos resultados da conferência. Deus abençoou. Resultado do trabalho em equipe. Resultado de oração. Resultado da graça do Senhor Jesus Cristo. Cumprimentei cada pessoa com afeto e consideração. Mas, após esse banquete espiritual, foi servido um jantar com mais comida, com mais coisas agradáveis e suculentas.

CANSEI
Só que, desta vez, não tive forças para comer. Eu realmente estava exausto (às vezes perco 3 quilos, após uma pregação de grande desgaste físico. E, pelo tanto que suei , pelo tanto que lutei espiritualmente ali, aquela fora uma dessas ocasiões. As minhas pernas doíam, eu estava cansado, e muito, muito longe de casa (minha casa em Coimbra, não a do Brasil, porque desta, ah, milhares de quilômetros de distância).

COMBOIO
"O pastor irá de comboio, o deixarei em Santarém, o irmão embarcará e descerá na terceira paragem; não durma, senão irá até Porto Campanha, no norte do país". Meu Deus, do jeito que eu estava, como não dormir? O Pastor Ligeiro levou-me ligeiramente até Santarém, trinta minutos de distância da aldeia onde mora. Fomos conversando com grande liberdade, abrindo o coração a bendizer ao Senhor por tantas e tantas maravilhas em tão pouco tempo, e pela nova amizade que ali se iniciava. Sua igreja não é da Convenção Batista Portuguesa, mas da Associação de Igrejas Batistas Portuguesas, composta por treze igrejas em Portugal. Sabedor de que há a possibilidade (remota, mas possível) de nova viagem a Portugal no próximo ano, atendendo à necessidade e à vontade de Deus, confidenciou-me: "para o próximo ano, queremos estar no início da agenda de visitas, pastor; já solicitei ao pastor Marcos a prioridade; volte a nos visitar!"
Amém. Seja Deus engrandecido!

DORMIR NO TREM
Graças a Deus por um bando de adolescentes barulhentos! Eu sou apaixonado pelo trabalho com adolescentes, principalmente em acampamentos. Mas ali no comboio, um trem-bala que liga Lisboa a Porto, mas que estava a me pegar em Santarém e me levaria até COIMBRA B, estação próxima da casa do Pr. Marcos, um grupo de adolescentes estudantes, a ir ao Porto, com seus portáteis (laptops) a conversar no MSN, riam e falavam alto, e, quando eu adormecia pelo cansaço e pelo movimento do trem (230 por hora...), eles faziam o favor de me acordar. Foi numa dessas "acordadas" que vi um povo em pé, a sair, e vi que era Coimbra. Rapidamente desci e fui acolhido pelo meu amigo querido e irmão do coração, Pastor Marcos Amazonas, que chegar de Sedofeita (Porto), onde pregara no encerramento do mês da mocidade. Ambos repartimos nossos testemunhos um ao outro, lembrando bem o que os 70, enviados por Jesus, faziam, ao reencontrarem-se após o trabalho, quando Cristo declara: "Eu via Satanás cair do céu". Bendito seja Cristo, cujo nome tem sido proclamado por todo o mundo!

COMPROMISSOS SOCIAIS
Agora só tenho compromissos sociais (isso se não surgir nenhum compromisso de última hora). Agora começa o processo de almoçar e jantar com famílias, e, no interregno, visitar a parte comercial da cidade, para levar lembrancinhas para os membros de minha Boas Novas de Osasco. Uma de minhas linguagens de amor é dar presentes, e nunca deixei de levar alguma coisinha (não tenho dinheiro, e só posso gastar um pouquinho de nada) para os meus irmãos. Cheguei mesmo a legar folhinhas de oliveira em saquinhos, que catei em Oliveira do Hospital. Isso não preciso mais levar, porque a minha oliveirinha lá no jardim de minha casa, está a crescer, e eu penso que em breve produzirá azeitonas pretas, e a produção será tão grande, que irei cooperar para baixar o preço das azeitonas e do azeite no Brasil.... (quanta pretensão!)

OREM POR MIM
Orem por minha viagem. Orem por Paris, onde devo ficar mais tempo do que na ida, e mais perdido ainda, pois não falo uma única palavra que preste em francês. Mas a minha namorada Elaine disse que irá ensinar-me francês, e um dia, se Deus permitir, voltarei ao Charles de Gaulle, e gritarei para eles: "agora não preciso mais implorar ajuda, porque vocês me entendem e eu sei ler francês!"

ANTES DE IR
Penso que, antes de viajar, escreverei outro e-mail. Se não escrever, até breve, se Deus permitir! Se escrever, até o próximo.

ATENÇÃO:
O e-mail viagem.portugal@gmail.com SÓ FUNCIONARÁ ATÉ SEXTA-FEIRA DESTA SEMANA. APÓS ESSA DATA, O ENDEREÇO SERÁ FECHADO, E MINHA COMUNICAÇÃO VOLTARÁ PARA bnovas@uol.com.br

Wagner Antonio de Araújo
 
=================
 
13 - oração pelo Brasil

assista esse vídeo, por obséquio:

http://br.youtube.com/watch?v=w_BfxTSkNtk

Em Arrifana, Portugal, orei pelo Brasil. Foi em outubro de 2007.

Quer orar comigo?

Wagner Antonio de Araújo
 
=====================
 
14 - DESPEDIDAS

Como dói a dor da despedida!

Que falta fazem os amigos juntos de nós!

PASTOR JÔNATAS – Veio do Porto, para um tempo de oração. Aqui, pudemos almoçar juntos e viver um momento agradável na presença do Pai Celestial. Que saudades já sentimos dos dias alegres e alvissareiros em Antas, quando por lá estivemos! Que Deus dê à Filipa, sua esposa, uma gravidez abençoada, segura e benfazeja!

JOAQUIM GIRÃO – Ah, Joaquim! Homem de Deus! Ligou para mim, enquanto almoçávamos no restaurante, e acabamos por chorar ao telefone, ambos, ao louvarmos a Deus pelo pequeno tempo que pudemos partilhar um bom jantar e das nossas boas prosas, e o desejo intenso que por cá estivéssemos para desfrutar sempre das boas companhias! Ter um oceano de distância é muito difícil. Que Deus abençoe o irmão Joaquim, a irmã Albertina e seu filho e esposa!

SAMUEL – Samuel, do Porto, que é o responsável pela biblioteca, encontrou-me no MSN, e ali manifestou todo o carinho que por nós nutre, e desejou-me um regresso feliz, e diz desejar nossa permanência em Portugal para um dia desses. Bom, quem sabe! Hoje meu compromisso é com Boas Novas, mas o amanhã só a Deus pertence. Contudo, a amizade e o carinho permanecerão, e que Deus nos dê novas oportunidades de encontros assim, tão edificantes!

EDSON & FILOMENA – Oliveira do Hospital, minha primeira paragem. Foi de lá que recebi um telefonema emocionado e maravilhoso, dos irmãos Edson & Filomena, e Manoelzinho. Ah, que amizade temos, meu Deus! Jamais me esquecerei da nossa viagem à Espanha, das brincadeiras, das alegrias, das orações, das conversas, dos aconselhamentos, da refeição à beira da estrada, de Linhares, de Villar Formoso, Ciudad Rodrigo e Salamanca! Quando saíamos do restaurante, e o sol já estava para se pôr, entendi que iríamos embora, e que Salamanca ficaria para uma oportunidade em que não estivesse mais manca, pois ainda havia cem quilômetros. Porém, a certa altura, percebi que não estávamos a voltar, mas a ir mais longe! Que carinho desse querido irmão futuro Pastor Edson Antunes! Obrigado, meus irmãos!

FERNANDO – Obrigado, querido irmão Fernando, pelo certificado que me trouxe, atestando que participei daquela noite de visitação à sua casa, de curso de enologia e degustação de queijos e chouriços! Muito obrigado pelo seu amor e pelo seu meticuloso senso de cuidar até dos detalhes! Deus lhe abençoe!

PROFESSOR TEOTÓNIO E PIEDADE – A minha viagem não estaria completa sem esse privilégio, o de receber a visita deles, como derradeira visita antes de minha viagem. Eles vieram despedir-se. E, sem sombra de dúvidas, chorar comigo. Pois que meu coração está fincado em Portugal para sempre, e isso ninguém pode negar. Isto não me faz menos brasileiro, ou alguém de mudança para cá, mas me faz alguém cujo coração possui um som dos fados de Coimbra, que vislumbra a Serra da Estrela, que salga e conserva tudo nas salinas sem mar de Rio Maior, que contempla o grande estádio do Dragão no Porto e que já não vê a hora de retornar. Quem sabe não mais sozinho? Quem sabe em lua-de-mel? Não sei. Deus o sabe. Tudo a seu tempo! Mas Teotônio e Piedade são, para mim, um presente de Deus, um mimo, uma prenda sem precedentes. Obrigado, meus amados irmãos, modelos de povo do Senhor!

Bem, agora vou enviar o texto, e vou terminar de arrumar minha bagagem.

Se for possível, orem para que minha viagem transcorra na mais perfeita ordem e perfeição. Preciso dos cuidados paternais do Pai. Sigo à Lisboa pela manhã, e ao meio-dia (dez horas aí no Brasil) faço o check –in. Vou a Paris e terei boas quatro horas para achar o bendito avião da TAM. E então, antes que o galo cante e antes que a viração da noite venha, seguirei pelos céus do Atlântico sul, rumo à Ilha de Vera Cruz, à Terra de Santa Cruz, ao Brasil, meu Brasil Brasileiro, verde e amarelo, país da Copa de 2014, país das mais belas praias do mundo e do povo mais hospitaleiro e gentil! Somos herdeiros do meu amado Portugal, mãe querida e pai amoroso, que nos deu a língua, a cultura, os ideais e a cordialidade; hoje contribuímos com o que podemos, somos os filhos a visitar a família amada. Há muito tempo, algo em torno de 120 anos, meus ancestrais saíram daqui, talvez do Além-Tejo, que eu não conheço, e seguiram para o Brasil. Quem sabe um dia um dos descendentes venha para cá! Bem, para visitar e compartilhar, um deles já esteve três vezes. E plantou aqui um pedaço de si. Aliás, deixou um pedaço de sua vida, e o seu coração.

Até breve, meu Portugal dos sonhos e esperanças!

Wagner Antonio de Araújo,

Obs: comunicações comigo: até sexta-feira em viagem.portugal@gmail.com . Após quinta-feira, se Deus quiser, eu chegando ao Brasil, retomo o meu endereço trivial, bnovas@uol.com.br

Tchau.

O avião já está a esquentar motores.

Fui.....
 
===================
 
 

15 - AINDA OFFLINE
 
Queridos irmãos,

Ainda estou "off line" devido aos inúmeros compromissos com a Igreja Batista Boas Novas de Osasco, SP. Após longo período ausente da igreja, temos que acertar diversas coisas e atender a diversas necessidades, razão pela qual ainda continuo sem postagens e sem comunicação por e-mails. Porém, comunicações rápidas ainda estão a funcionar em viagem.portugal@gmail.com .

Outrossim, convido a todos para o aniversário da Igreja Batista Boas Novas de Osasco, a ser celebrado no próximo sábado, dia 10/11, às 19 horas, em sua sede, à Av. Internacional, 592, no Jardim Santo Antonio. Pregará na ocasião o Pastor Juvenal Braga Viana, e cantará o coral da Igreja Batista do Jardim Valéria, Guarulhos, SP.

Todos são bem-vindos e a entrada é franca! Deus lhes abençoe!

O conservo,
Wagner Antonio de Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário