Translate

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

memórias literárias - 263 - ESTOU CANSADO, MAS ...


 

 
Estou
Cansado,
mas ...
15/10/2015
263
Quando abro os jornais e leio sobre a corrupção do governo federal, as manobras dos deputados, senadores, governadores e ministros para salvar mandatos (e não o país), evitando perder seus cargos e benefícios, sem pensar nas consequências desastrosas que o país enfrenta a cada dia desse maligno governo; quando vejo as lojas varejistas fecharem suas filiais em todo o país, quando vejo a Rua 25 de Março, tradicional centro de compras do país com 40% de seus imóveis fechados porque a crise os ceifou; quando vejo que os bancos, que levam embora o carro de quem atrasou 3 pagamentos de prestações e eles mesmos devem BILHÕES à União em dívidas ativas e NADA LHES ACONTECE, num giro de hipocrisia declarada e aberta, então sinto estar cansado.
 
Quando leio e-mails cristãos e ouço que o filho de um amado pastor foi baleado na porta de sua casa e morreu pouco tempo depois porque o pastor não encontrou um neurocirurgião que pudesse atendê-lo no momento da agonia; quando leio que um outro pastor puxou a corda e enforcou-se, dando cabo de sua própria vida, deixando família atônita e igreja perplexa, quando recebo a notícia que vários crentes estão colocando seus pais no asilo e brigando por causa da herança que irão deixar, então sinto estar cansado.
 
Quando vejo o prefeito de minha cidade tratando-nos como moleques de pré-primário, diminuindo a velocidade nas vias arteriais de trânsito, provocando inúmeros problemas na maior cidade da América Latina, impedindo a "cidade-trabalho" de trabalhar, de se locomover; quando leio que ele irá fechar as principais avenidas aos domingos para que o povo vá andar de bicicleta e leve o cachorro para urinar nos postes, como se a cidade não tivesse gente que paga impostos (OS MAIS ALTOS DO PAÍS)  e necessita das ruas para a locomoção, para suas garagens de carro, para receber seus convidados e para fluir normalmente, então eu sinto estar cansado.
 
Quando ouço de igrejas cujos pastores traíram a bíblia e passaram a pregar o que o povo gosta, não o que o povo precisa, e sepultaram as doutrinas distintivas da fé cristã (céu, inferno, salvação, eternidade), pregando a psicologia, a auto-ajuda, filosofia pós-cristã e atividades de entretenimento, transformando a Casa de Oração e o Culto a Deus num entretenimento semanal de forte atração popular, recheando contas bancárias e criando uma casta de líderes bem pagos e populares, que se tornam conferencistas em todos os lugares, sem que se julguem os seus valores morais, espirituais ou doutrinários, então eu sinto estar cansado.
 
Quando eu vejo o Estado Islâmico avançando sobre vastas áreas de terras da Síria, Irã e arredores, sem que ninguém os detenha, apenas com bombas aqui e ali que mais matam civis inocentes que a cúpula desse grupo sanguinário; quando vejo palestinos a viverem como refugiados em terras que por centenas de anos possuiram e israelenses que não conseguem entrar em um acordo de paz; quando vejo crianças e mulheres grávidas morrerem, enquanto os senhores da guerra se escondem ou vivem de discursos; quando vejo o sangue caindo como um ribeirão sobre a juventude e milhões de refugiados invadindo a Europa, buscando refúgio, mas cuspindo a comida que cristãos lhes dão, insultando o cristianismo e desejando manter seu ranço nos lugares que irão ocupar daqui para frente, então eu me sinto muito, muito cansado.
 
Quando vejo o meu dinheiro, suado, ganho  com grande esforço, sempre diminuto e aquém das minhas necessidades, esfarelar-se na mão porque o mercado o desvaloriza sem piedade e o país não faz nada para conter esse nosso empobrecimento; quando vejo categorias como o judiciário brasileiro implorarem pelo simples pagamento do que é justo após 8 anos sem um único aumento e com defasagem de 70% de seu poder aquisitivo, e o Congresso Nacional a empurrar a decisão de derrubar o veto contra o aumento, imposto pela governante gastadora, que gasta em lumusines internacionais e outras bobagens (não pagando as contas, dando fama de um país caloteiro!), a deter o justo reajuste do salário dos trabalhadores, e vejo os deputados e senadores sem qualquer pressa em resolver essa questão do pão na mesa dos servidores, então o cansaço toma conta de mim.
 
Quando olho para os púlpitos e contemplo os pastores, muitos deles desonrados pais de família, que não pagam as suas contas e continuam nos púlpitos a pregar o que não vivem, que pedem para orar e não oram, que falam para que se evangelize e não evangelizam, que impõem um padrão social que não praticam, pastores que não ligam quando seus nomes correm soltos pelos órgãos de proteção ao crédito ou na boca de membros que foram lesados por eles, e ainda deixam suas igrejas antigas  e são encaminhados para outros ministérios bem nutridos, mantendo o status apenas porque são amigos ou parentes de gente poderosa, e quando vejo outros, que são honrados, dignos, porém pobres, de expressão midiática pequena, que lutam e não desistem, e ainda assim injustiçados pelas manobras das lideranças, então eu me sinto completamente exausto.
 
E minha filha maravilhosa, que completará 3 meses de vida, que mundo essa menina encontrará para viver a sua maturidade? Eu queria que ela tivesse toda a felicidade possível, todas as oportunidades, toda a segurança, toda a liberdade e graça, mas sei que o mundo só se complicará, na medida em que o pecado crescer e o Espírito do Senhor pouco a pouco for retirando Sua santa influência desta humanidade pré-arrebatamento.  E clamo pelo futuro de minha filha!
 
Sim, não foram poucas as vezes que ouvi o Diabo, Satanás, na minha mente, nas minhas memórias e na minha consciência, a dizer: "Acabe com a sua vida, pare de sofrer, dê um jeito e termine com tudo isso!" Sim, vontade de morrer Elias também teve. Jó a experimentou. E Jonas até aborreceu-se. Mas entre a tentação de dar cabo da vida e o fato de se matar há um abismo muito grande, quando tememos ao Senhor que dá sentido a tudo, que é  luz aos nossos olhos e razão para a nossa existência!
 
"Elevo os meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro?" Do suicídio? Não! Da corrupção? Não! Da desistência e do abandono? Não! "O meu socorro vem do Senhor que fez o Céu e a Terra"! Ou o cristianismo é maior do que qualquer religião ou filosofia do mundo, concedendo uma PRESENÇA no coração do fiel, a presença do Espírito, ou então o cristianismo não valerá absolutamente NADA! Se o cristianismo não resolver o problema existencial de cada um de nós, dando-nos razão para VIVER, impondo um limite para as tentações, os sofrimentos e a depressão experimentada, se o cristianismo não prestar para isso, NÃO PRESTARÁ PARA MAIS NADA! Estaremos fadados ao mesmo fracasso do mundo, buscando MORRER! Entre a tentação de querer morrer e o ato, está DEUS EM NOSSAS VIDAS, que faz o que o anjo fez a Abraão: "Não faças nenhum mal ao menino!" Somos "templo do Espírito Santo". Se o destruirmos, Deus nos destruirá! Nós, cristãos, não somos donos de nossa vida, de nosso suspiro. "Para mim o viver é Cristo!" "Não mais eu, mas CRISTO VIVE EM MIM! E a vida que agora vivo, VIVO NA FÉ NO FILHO DE DEUS, que me amou e a Si mesmo se entregou por mim!" Sim, ou isto é verdade PARA TODO CRISTÃO VERDADEIRO, ou não será verdade para nenhum de nós! Ou isto é a realidade ou a obra de evangelização é uma falácia! "Venha a Cristo que Ele preencherá o vazio do seu coração, perdoará o seu pecado e lhe dará uma nova vida com sentido e com razão!" EU AINDA CREIO NISSO!
 
Por isso sinto-me absurdamente cansado! PORÉM, não desfaleço, pois "EU SEI EM QUEM TENHO CRIDO!" Aleluia!
 
O Senhor renova DIA APÓS DIA, as minhas forças!
 
Seja Deus engrandecido!
 
Pastor Wagner Antonio de Araújo
Igreja Batista Boas Novas do Rodoanel em Carapicuíba, São Paulo, Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário