Translate

quinta-feira, 20 de abril de 2017

memórias literárias - 440 - VOU ME MATAR-

VOU 

ME

MATAR


440

"Vou me matar, papai." É o que muitos pais estão ouvindo após exporem os seus filhos a séries de TV que supostamente "abordam" o tema (leia-se: motivam!). A situação da exposição da juventude à mídia absolutamente sem controle está mostrando as suas garras: morte.

Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes. (1Co 15:33)

Morte, mutilação, coma profundo, dependência de drogas, de álcool, de sexo promíscuo, de satanismo. Tudo isso e muito mais. O inimigo do homem tem prazer em matar, e o faz no varejo e no atacado (como a bomba de armas químicas e incêndios em boates).

O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir. (Jo 10:10)

Tudo começa com desenhos inocentes, onde a personagem bate e massacra a outra, debaixo de muito humor. A guarda contra a violência vai se abrindo. Então chegam as novelas, mostrando relacionamentos de jovens não casados, adultérios por parte dos pais, corrupção por parte dos empresários, desonestidade por parte dos trabalhadores. Tudo isso regado a uma linguagem chula, de baixo calão, ao gosto dos telespectadores. As trilhas sonoras são de seres execráveis da sociedade: um promíscuo e cafetão, que tem quinze mulheres e se prostitui no palco; outra de uma prostituta que simula os atos com os fãs; outro com os ritmos típicos das cadeias e prisões brasileiras. E, para coroar, a invocação do demônio, seja através da idolatria, seja por meio de objetos, seja através de cerimônias. E os videogames, quem diria, com os jogos melados de sangue, tutano, cérebros esparramados, tiram de todos a repulsa pela violência e pela morte.

Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno. (1Jo 5:19)

Então chegamos à fase plena: seriados da TV que mostram a que ponto chega o homem pecador. Um desejo intenso para matar. Bons motivos apontados para tirar a vida: feiura, desprezo de um "ficante", não ter os objetos caros, não conseguir vencer alguém etc. Então inventam os jogos mortais e vorazes. Aparecem alguns filhos de Satanás, lançando desafios de baleias azuis e outras coisas, dando tarefas de maldade e, por fim, matar alguém e depois matar a si mesmo. Um louco desses brigou com a namorada e ligou a câmera. Desafiou-se a matar o primeiro que pronunciasse o nome da companheira. Parou o carro, pediu a um velho para falar o nome. O velho disse e tomou um tiro. Depois o rapaz matou-se. Tudo pela internet. Tudo para alimentar o grosso mercado da morte no mundo que se prepara para o anticristo.

Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora. (1Jo 2:18)

As pessoas procuram alternativas. Ligam o rádio. Em São Paulo as FMs estão infestadas de pregadores malignos e bandidos, que berram e gritam, que fingem línguas estranhas e revelações; gente podre e maligna, que lota os seus templos com os incautos e vendem uma imagem de gurus ou feiticeiros evangélicos. Então o vazio criado gera a vontade de se matar, de mutilar, de destruir. Aliás, dificil encontrar um jovem que não tenha estragado o seu corpo com tatuagens de toda espécie. Mulheres tatuadas como se estivessem com decorações de canetinha sobre o corpo. Geração perdida, sem alma, sem entendimento, sem Deus. Este é o nosso mundo! E, como aperitivo, dia após dia assistimos atônitos as denúncias da corrupção dos políticos e empreiteiros. Isso já nem nos sensibiliza mais, porque não vemos justiça alguma. Os poderosos denunciam e ganham prisão domiciliar (leia-se: férias de três a cinco anos em suas mansões, com piscina, sauna, campo de futebol, jardim, salão de festas etc).

Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem! (Mt 18:7)

Há remédio? Há esperança para pais que vêem seus filhos vitimados por essa cultura?

Há. Cristo é o remédio. E para salvar os filhos os pais devem mudar. Se não disciplinaram-se quando eles eram pequenos, terão muita dificuldade agora, mas é melhor enfrentar a disciplina agora do que ter que sepultar o filho amanhã. E a disciplina começa com o temor de Deus. Pais que só falam e não fazem não têm autoridade para disciplinar. Deixar filhos na porta da igreja não salva a prole. É preciso que pais pratiquem o cristianismo, que se comprometam com a vontade de Deus, que tenham comportamento de cristãos dentro de casa. É necessário deixar os vícios, cortar os palavrões, abandonar a vida dupla e priorizar o amor e a atenção pelos filhos. E que não se confunda atenção com doação de objetos. Objetos não compram o coração da juventude. Eles prefeririam a pobreza e pais que os amassem do que carro zero quilômetro na garagem, férias na Disney e pais ausentes.

Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? (Rm 2:21)

É preciso orar. Sim, Deus age através da oração. Mas os pais têm que fazer isso, não apenas dizer  que irão orar. Gritar, bater, castigar, não só é contraproducente como legisla contra os pais, quando os filhos já passaram da fase de formação. A oração pode muito em seus efeitos, se feita em nome de Jesus e no poder de Deus.

 A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. (Tg 5:16)

Por fim, é preciso estabelecer limites em casa. Netflix? NET? Play Station? Sites diversos? Tudo tem que ser avaliado e pensado. Diversão sem bom senso é a porta de entrada do Diabo no coração da família. Pais e filhos devem conversar, devem brincar, devem passear e devem CULTUAR JUNTOS ao Deus vivo, lendo a Bíbía e orando. Devem chamar o pastor para um culto, uma reunião, uma orientação. Devem ler bons e instrutivos livros, para o enriquecimento cultural. E diminuir drasticamente a dependência da mídia para viver. Vida é mais que sites prontos. Vida é um site ao vivo em construção, sem transmissão pública. A privacidade da família é um bem que os pais devem legar aos filhos. O lar como oásis, como refúgio, como prazer, como local bom para se viver!

Eu e a minha casa serviremos ao SENHOR. (Js 24:15)

E ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te, e levantando-te; (Dt 11:19)

Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. (Sl 127:1)

Que Deus ajude aos pais.

Que Deus me ajude a criar a Rutinha e o meu filho que, se Ele quiser, nascerá daqui a alguns dias.

Amém.

Wagner Antonio de Araújo

20/04/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário