Translate

quarta-feira, 5 de junho de 2013

memórias literárias - 85 - O EVANGELHO DA VERDADEIRA IGREJA DE CRISTO


85 - O EVANGELHO DA VERDADEIRA IGREJA DE CRISTO


Obs: esta mensagem está em:

parte 1:
http://youtu.be/AWAGDI7eglo

parte 2:
http://youtu.be/5-qnvy2eKhE


Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. (Rm 1:16)

Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos. (1Co 1:23)

Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. (1Co 1:18)

TÍTULO: O EVANGELHO DA VERDADEIRA IGREJA DE CRISTO

Data: 26 de maio de 2013

Pregador: Wagner Antonio de Araújo

Local: Igreja Batista Vida Nova, Parque Santo Antonio, São Paulo, Brasil


Textos: Romanos 1.16, I Coríntios 1.18,23

INTRODUÇÃO

Nesta festividade de aniversário, onde a Igreja Batista Vida Nova completa 37 anos de organização, faz-se relevante pensar nos motivos que levaram Deus a permitir a sua organização e a guiá-la vitoriosamente até o dia de hoje.

A razão da existência das igrejas cristãs está relacionada com a missão que Cristo confiou aos apóstolos e aos crentes que viessem a crer dali para frente: irem por todo o mundo, fazendo discípulos de todas as nações, batizando os convertidos em nome da Santíssima Trindade, ensinando-os a guardar tudo quanto Ele ensinou. No bojo desses ensinamentos estava, além da evangelização, a caridade, a ajuda ao próximo, a expressão do amor de Deus através do amor até pelos inimigos.

Contudo, o autêntico evangelho de Cristo possui algumas características claras, evidentes, que o identificam do falso evangelho esparramado pelo inimigo ao longo dos séculos. No início da era cristã o inimigo enganou-os com o gnosticismo, fazendo-os crer que Deus tinha segredos que só confiava aos iniciados nos mistérios. Também ensinou que Cristo não era suficiente para a salvação dos perdidos e que a Lei de Moisés deveria ser guardada. Esses ensinos foram refutados veementemente nas páginas do Novo Testamento.

Na história da Igreja Cristã muitos outros evangelhos de mentira foram disseminados. Um deles é aquele que tirou de Cristo a prerrogativa de salvar-nos, recolocando nas mãos dos miseráveis pecadores o dever de fazer algo pela vida eterna: o ensino das boas obras que salvam, ensino absolutamente falso (Ef 2.8-10).

Também ensinou-se que para conseguir o Reino de Deus era necessário sair do mundo, tornando-se casto, celibatário e isolado do mundo. A Bíblia já orientava que não era plano de Deus essa prática, uma vez que Jesus disse: "não peço que os tires do mundo, mas que os livre do mal" (cf. João 17.15). Quanto à castidade física e celibato, Paulo já dizia que nos últimos dias enganadores viriam "Proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças"; (1Tm 4:3).

Posteriormente inúmeras outras heresias surgiram, refutadas pelos fiéis cristãos em cada época. 

Hoje, em nosso tempo moderno, urge examinarmos o autêntico evangelho de Cristo para que tenhamos discernimento apropriado no reconhecimento daquele que é falso, atitude que, infelizmente, não tem sido a de todas as igrejas, uma vez que muitas têm caído nas armadilhas da heresia e sucumbido ao canto da sereia religiosa.

I - O EVANGELHO VERDADEIRO CAUSA ESCÂNDALO

Diz o texto bíblico: escândalo para os judeus, loucura para os gregos (gentios).

Os nossos primeiros irmãos na igreja primitiva, ao pregar o evangelho de Cristo, obtinham duas reações claríssimas: a absoluta rejeição de sua mensagem por parte dos povos ou a maravilhosa transformação da vida daqueles que criam e recebiam a graça de Deus.

Os judeus escandalizavam-se com a pregação da cruz de Cristo. Para eles era impensável um Messias sofredor, um ungido do Senhor, escolhido para ser o Rei de Israel, que não fosse guerreiro e que não tirasse deles o jugo da escravidão política. Era impensável um Cristo vindo de Belém, andarilho e que falasse de cruz, de renúncia, de amor aos inimigos e de morrer para viver. Eles se escandalizavam em Jesus. Eles o rejeitavam. Eles se revoltavam contra os seus seguidores. 

Já os gregos até achavam interessante a mensagem do Nazareno, mas criam ser loucura, falta de juízo e absoluto desatino crer na ressurreição da carne. Eles consideravam o cristianismo uma religião de loucos. Uma mensagem que não expressava liberdade sexual para fazer o que queriam, que apontava um homem sendo o próprio Deus encarnado e uma fé na volta à vida era absurda demais, era anti-filosófica, era ignorância demasiada. Então rejeitavam essa mensagem.

Quando se prega o autêntico evangelho a tendência humana é revoltar-se contra ele. E por que?

1) Porque a mensagem de Cristo aponta ao homem uma situação de pecaminosidade absoluta, de morte espiritual e de impossibilidade de salvar-se por conta própria. O verdadeiro evangelho mostra ao homem que ele está perdido, que seus méritos não alcançam o mínimo suficiente e que ele carece de um salvador. Isso é abominável ao coração humano. O verdadeiro evangelho expõe a desgraça do pecado e aponta ao homem a sua miserabilidade.

2) Porque a mensagem de Cristo exige do homem uma rendição completa ao Filho de Deus, uma conversão absoluta de pensamentos, atitudes e planos, impossível por si só, mas possível pela ação do Espírito Santo. Quem recebe a Cristo não continua mais do mesmo jeito que era antes.

Mas as igrejas estão perdendo essa graça, a de ter um evangelho que causa rejeição.

II - O EVANGELHO VERDADEIRO CAUSA CONVERSÃO

Diz a Bíblia que o verdadeiro evangelho de Cristo é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.

Quando a mensagem do Reino é pregada do jeito que nos foi revelada, ela possui um poder tamanho que muda, transforma, converte, faz renascer, regenera, dá nova vida ao pecador.

Foi assim no passado. Judeus como Pedro, Paulo, Silas, Barnabé, Mateus, Tomé, Maria, Lídia, Madalena, Priscila, foram transformados radicalmente em sua maneira de viver e se tornaram heróis da fé. Suas vidas, regeneradas pelo poder da Palavra de Deus, tornaram-se monumentos da obra do Senhor no coração humano quebrantado. Gregos ou gentios como Cornélio ou como os da "casa de César", como os "filhos da senhora eleita" ou como todos os convertidos pelo ministério entre os gentios, demonstravam que Cristo muda o coração de cada pecador, tenha ele a descendência que tiver, seja de que povo, língua ou nação for.

Um dia missionários trouxeram o evangelho para a nossa cidade e Deus mudou a vida de nossos pioneiros. Hoje, aqui nesta igreja, comemoramos a organização de uma igreja criada para propagar esta santa mensagem.

III - A INCOMPATIBILIDADE DO FALSO EVANGELHO DIANTE DO VERDADEIRO

A Palavra de Deus nos diz: que a Palavra da Cruz é loucura para os que perecem. Mas a nós nos parece que é loucura também para aqueles que crêem no falso evangelho, que não tem cruz, que só tem contemporaneidade e manifestações de fraternidade humana sem a loucura da conversão.

Estávamos em Poços de Caldas e ao passarmos por um estacionamento movimentado ouvimos músicas barulhentas de rock e muitos gritos de jovens. Como era um sábado e a cidade é turística, pensamos tratar-se de uma banda contemporânea jovem. Ledo engano: era o "ministério de danças da Igreja de Cristo", financiado pela prefeitura daquela cidade, com centenas de jovens pulando, saltando, gritando, celebrando, com seus piercings, brincos masculinos, roupas de coreografia, de pantomimas, cabelos inspirados nos astros da TV, ritmos de rua (hip hop e contemporâneos), a cantar de tudo, a dançar de tudo, e, ao final, nos agradecimentos e orações, a argumentação do porquê fazer daquele jeito:

a) ESTAMOS FAZENDO DE CORAÇÃO
b) É O JEITO CONTEMPORÂNEO DE SER
c) ESTAMOS SERVINDO A DEUS

Essas afirmações agradam a todos: não há confronto com o pecado, pois todos são aceitáveis diante do Pai. Não há confronto doutrinário, pois todos são cristãos não importam as igrejas; Não há problemas de escândalo, porque não há nenhuma mudança de vida da parte dos que participam. Então as canções podem ir desde "COMO ZAQUEU QUERO SUBIR" até "VAMOS PULAR E DANÇAR PARA JESUS".

Mas esse evangelho não cumpre o que afirma, uma vez que:

a) ESTAMOS FAZENDO DE CORAÇÃO: Diz a Bíblia que "Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?" (Jr 17:9). O coração humano é o fundamento mais esdrúxulo e movediço para se firmar um serviço para Deus. Muitos no juízo dirão que o Senhor ensinou, curou e operou em suas ruas, mas o Senhor dirá: "Nunca vos conheci".

b) É O JEITO CONTEMPORÂNEO DE SER - E quem disse que esse é o caminho do Criador? A Bíblia diz: "Não removas os antigos limites que teus pais fizeram." (Pv 22:28). Quando a contemporaneidade joga a cruz no lixo, quando ensina os homens a usar brincos (e a biblia diz que isso era sinal de escravidão "Então tomarás uma sovela, e lhe furarás a orelha à porta, e teu servo será para sempre; e também assim farás à tua serva. (Dt 15:17)") ou tatuagens e piercings no corpo, uma abominação ao Senhor ("Pelos mortos não dareis golpes na vossa carne; nem fareis marca alguma sobre vós. Eu sou o SENHOR. (Lv 19:28)") . Quando os padrões contemporâneos destróem os marcos dos antigos e os valores ensinados por Deus denotam um evangelho falso que não transforma o pecador.

c) ESTAMOS SERVINDO A DEUS - fundamentados em quê? Em seu próprio juízo de valor? Em suas próprias preferências? Em seus gostos pessoais? A questão de gosto é relativa, uns gostam, outros não. A verdade da palavra de Deus não pode girar em torno de preferências, mas naquilo que Deus diz, naquilo que a Bíblia ensina. Não é o que eu gosto ou não gosto, mas o que Deus diz para fazer ou não, que deve nortear a minha prática religiosa! À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles. (Is 8:20)

CONCLUSÃO

A nossa sincera esperança é que essa igreja continue pregando o autêntico e verdadeiro evangelho de Cristo, que é escândalo para os judeus e loucura para os gregos, mas para nós, os que somos salvos, é o poder de Deus.

O nosso desejo é que o falso evangelho jamais penetre no púlpito desta igreja, nas suas salas de aula ou nos lares de seus membros, pois o falso jamais substituirá à altura o verdadeiro. Somente o evangelho revelado nas Escrituras é o poder de Deus para a transformação dos crentes.

Cremos que a pregação e a vivência do verdadeiro evangelho dará aos seus membros condições contínuas para examinarem toda e qualquer novidade e entendê-la não à luz do coração, do gosto pessoal ou da contemporaneidade, mas do ASSIM DIZ O SENHOR.

Que Deus a todos abençoe!

Wagner Antonio de Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário