Translate

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

memórias literárias - 375 - NATAL SEM JESUS




 
NATAL SEM
JESUS

 
 
375
Um mundo sem Deus, que endeusa a si próprio e vive as datas religiosas sem o fator religioso. Este é o mundo de hoje.
 
Temos a Páscoa onde se permite o coelho que bota ovos de chocolate, mas se bane o Cristo que morre e ressuscita pelo pecador.
 
Temos o Pentecostes que celebra os tapetes coloridos com serragem, cola e tinta, mas sem a fé na existência do Espírito Santo.
 
Temos o Natal com atores que se vestem de Papai Noel e obtém a mídia livre para expressar a fé impossível neste ser inexistente, mas não há Jesus e Seu nascimento virginal em Belém de Judá. O Natal é celebrado em filmes americanos com a apologia a relacionamentos, a festejos, a noites de ceia e de reconciliação, mas não há sequer a possibilidade de mencionar que Cristo é o motivo da data. Ou seja: mantemos a casca das celebrações, mas não mantemos o conteúdo das mesmas. O que existe hoje é incompatível com a fé.
 
Os edifícios e as lojas revestem-se de lâmpadas brilhantes e coloridas. As árvores natalinas são decoradas com bolas, guirlandas e doces. As papelarias vendem cartões. As panificadoras produzem panetones. As músicas são temáticas e consideradas a-religiosas, apenas uma herança cultural do tempo em que se cria na fábula de um cristo que era judeu e pobre (é o que pensam). As crianças fazem filas nos shopings para entrevistarem-se com o Papai Noel. Cristãos desatentos enviam mensagens pedindo para mandarem presentes aos milhões de pedidos infantis. Filmes de duendes, presentes, Papai Noel e fantasias afloram. E nas TVS abundam probramas com o quotidiano das festas regadas a sexo, bebidas, orgias, pecados, drogas e discussões esdrúxulas. Canais ditos cristãos, mas que pertencem aos homens alinhados com o pensamento libertino ganham dinheiro com filmes religiosos falsos, baseados em política de mercado e em preferências religiosas do seu público incauto. Cristo, Seu nascimento e encarnação, por outro lado, não são exibidos, divulgados, informados, cridos ou destacados. São considerados bobagens de gente retrógrada...
 
Coisa diferente vemos na celebração do Dia das Bruxas. Profundamente explorado por escolas de inglês, canais de tv a cabo e programas infantis, não há limite e nem orientação alguma sobre serem fábulas ou crendices pagãs as motivadoras das comemorações. Aliás, há escolas que punem professores que rejeitam a participação de suas turmas nesta celebração diabólica. Contudo, se alguns professores resolvem explicar a Páscoa ou o Natal à luz do verdadeiro fator gerador destes feriados, ficam sujeitos à punição sumária por parte das diretorias e secretarias de educação. Nos Estados Unidos eu posso fazer o chifre do Diabo com a mão e dizer que o Inferno é Dez, mas não posso mencionar o nome de Jesus Cristo sob pena de ser preso.
 
Como deter o juízo de Deus num mundo que arrancou Deus e entronou a si próprio como divindade? Os Estados Unidos foram governados por uma ideologia que comprometeu-se a acabar com o pensamento cristão e com a Bíblia, acusando-a de sectária e geradora de preconceitos. E hoje, quando tais ideólogos vêem-se derrotados nas eleições controversas que por lá ocorreram, cospem nos cristãos, dizendo que eles são culpados pelo retrocesso. Como retrocesso leia-se: fim do apoio governamental ao aborto, ao homossexualismo, à adoção de crianças por casais não heterogêneos, mudança de atitude para com os valores cristãos sob os quais a América do Norte foi edificada. Ouso dizer que o eleito da América faz parte do juízo de Deus, ou para punir um país que virou as costas para o Senhor, ou para reconduzi-los aos seus valores originais, desprezados nas últimas décadas. Ou um Nabucodonosor ou um Ciro; o tempo dirá...
 
Mas no Brasil o mal continua a perpetuar-se. Corrupto até o pescoço, desde as mais altas autoridades governamentais, que fazem leis e decretam injustiças e impostos para ajuntar terra, dinheiro, poder e influência, até os mais pobres e humildes, que mentem aos cônjuges ou roubam uma laranja na dúzia da feira, o país chafurda na perseguição contra Cristo e os Seus valores. Os programas de humor, tanto dos canais a cabo quanto dos youtubers xingam a Cristo, ridicularizam a fé, zombam das igrejas, criticam a devoção, declaram com todas as letras estarem de luto pela eleição americana. As mídias principais, detentoras do poder do jornalismo, ao invés de transmitirem informações despidas de narrativas ou fiéis aos fatos, militam de forma clara e unânime contra o cristianismo e os seus valores, chamando-nos de "raivosos", "medíocres", "retrocessos", "racistas", "preconceituosos", "criminosos". Os evangélicos em destaque ou renegaram a fé, ou mudaram de gênero afetivo e sexual, ou são corruptos ou concordam com os valores liberais da mídia. Não há espaço para os que se fundamentam na Bíblia.
 
De uma forma ou de outra o mundo caminha para o que o Espírito Santo revelou, através do Apóstolo Paulo: O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus. (2Ts 2:4). Ou seja, o homem, mediante o seu poder midiático, político, cultural, judicial e global, persegue o cristianismo com tanto sangue nas mãos e nos olhos, combate toda a idéia de um Criador autônomo e gerador da vida, que tenta provar para si que pode fazer o mesmo que Deus. Para isso usa a genética, que perdeu a ética, para criar aberrações humanas, misturas de diversos dnas e pais. E as experiências que acontecem geram vida! Como explicar? A Bíblia explica: E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; (2Ts 2:11). Deus permite tudo isso para dar ao homem a liberdade de ousar o suficiente, provando por seus atos e interesses que o juízo divino é necessário, é imprescindível e é inevitável. E o SENHOR disse:  e agora, não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer. (Gn 11:6). A condenação desses é justa. (Rm 3:8).
 
O cristianismo vê-se excluído da sociedade a cada dia, a cada minuto. Chegará o instante em que será incompatível ser cristão nesta Terra governada por ímpios. Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. (Jo 16:2). Longe de existir um super-reavivamento pré-tribulacional, o mundo assiste ao mais feroz e terrível esfriamento da verdadeira fé, e ao crescimento sem precedentes das igrejas alinhadas ao pensamento liberal mundano. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. (Mt 24:12); Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? (Lc 18:8); Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. (2Tm 3:1); Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; (2Tm 4:3).
 
Escorremos das mãos do mundo como um sabonete molhado nas mãos de quem toma banho: chegará o tempo em que não haverá mais aderência. E o que acontecerá? Alguns de nós seremos perseguidos e mortos: E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai o filho; e os filhos se levantarão contra os pais, e os matarão. (Mt 10:21). E em algum momento, que só Deus conhece, o Senhor recolherá a Sua igreja, os seus salvos, tanto os que dormem quanto os que estão vivos e estão debaixo da mais sórdida rejeição do sistema de valores deste mundo tenebroso: Dois estarão no campo; um será tomado, o outro será deixado. (Lc 17:36); Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir. (Mt 25:13); Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. (1Co 15:52).
 
O que dizer diante de tudo isso? O mesmo que disse o autor de Apocalipse, unido à voz do Espírito Santo e da Noiva, que é a igreja, os salvos do Senhor:
 
E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida. (Ap 22:17); Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus (Ap 22:20).
 
À propósito, o seu Natal será com ou sem Cristo?
 
Pense nisto.
 
Wagner Antonio de Araújo
14/11/2016

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário