Translate

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

memórias literárias - 377 - HUMOR GOSPEL



HUMOR
GOSPEL
377
A comédia explora os nossos próprios erros e faz-nos rir de nós mesmos. O problema surge quando deixamos de rir de nós e passamos a rir dos valores que norteiam a nossa vida. Rir de nossos erros é uma coisa; rir de nossa fé é outra. E o que vemos atualmente é o riso dos nossos erros e da nossa própria fé.
 
Antigamente, antes da existência da internet, havia gente que ousava contar piadas envolvendo o Senhor Jesus, os apóstolos, os profetas e o próprio Deus. Falavam inverdades sobre o Senhor, dizendo coisas que Ele não disse; contavam estórias bíblicas que nunca aconteceram. E envolviam Deus nestas anedotas. Resultado: tomavam o nome do Senhor em vão, deixando os verdadeiros tementes sem graça e desconfortáveis.
 
Depois, com o desenvolvimento do youtube, surgiu o chamado HUMOR GOSPEL. Aqui no Brasil vários blogueiros e youtubers criaram canais e sites, levando risos e divertimentos a muitos cristãos que se viam estressados demais. Contudo, todos eles (dos que conheço), infelizmente, abandonaram a simplicidade e a singeleza das brincadeiras sem maldade para a crítica e a zombaria da fé alheia, dos conceitos e valores da sociedade evangélica. E, por fim, quebraram o mandamento do Senhor, que diz: "NÃO TOMARÁS O NOME DO SENHOR TEU DEUS EM VÃO".
 
Um rapaz do interior do Brasil lançou-se na internet com vídeos muito engraçados. Ele fazia esquetes e pequenas cenas do quotidiano da vida na igreja e da vida dos crentes. Ganhou fama e certamente recursos, pois incrementou seus vídeos com atores e muita propaganda. Aos poucos, porém, seduziu-se com o próprio sucesso. Passou a usar o nome do Senhor, a brincar com textos bíblicos, a imitar orações esdrúxulas e, por fim, incluiu palavrões e expressões chulas nas suas peças. Entrou para a moda dos "stand ups", dos contadores de piadas ao microfone. Tornou-se sucesso. Ocupou o púlpito de grandes igrejas e reuniões de crentes. Hoje é figura garantida nos auditórios dos programas das manhãs ou tardes dos canais que cativam os que não tem nada melhor para fazer. Encheu-se de si e zomba da fé que dizia ter. Sob o pretexto de fazer humor inteligente, secularizou-se. Hoje seus vídeos não podem mais serem assistidos com a família unida, pois não há limite para palavras e expressões. São frases tão mundanas quanto as dos mundo sem Cristo. 
 
Um outro, de uma capital brasileira, apresentou-se num reality show que explorava o regime alimentar e ganhou o concurso. Criou uma personagem gospel e passou a fazer humor em seu canal. Muito menos ácido do que o mencionado anteriormente, produziu coisas muito engraçadas e com grandes lições. Contudo, seguindo a mesma senda, deixou-se levar pela vaidade. Tornou-se popular internacionalmente. E extrapolou o quotidiano narrado, fazendo apologia do neopentecostalismo, dizendo que podemos conquistar tudo. Recentemente fez um vídeo mostrando pastores pobres e pastores ricos, qualificando o rico e deixando o pobre mais pobre. É muito popular nos meio pentecostal, mas já soa hipócrita entre o ensino e a prática. Seus atores zombam do próprio pentecostalismo que adotam.
 
O humor adentrou também na teologia. Esta geração consegue o absurdo: fazer humor com conceitos teológicos! Um jovem rapaz iniciou sua carreira nos vídeos pregando contra o neopentecostalismo. Tornou-se popular nos meios reformados das igrejas e, após estudar teologia e ser consagrado pastor envaideceu-se. Resolveu mostrar todo o seu conhecimento em vídeos com um parceiro, onde, à semelhança de ciriemas, intercalam suas falas, onde um afirma e o outro derruba o argumento, seguido de ironias e críticas com caras e bocas. Zombam dos que não crêem como eles e se acham "a cereja do bolo", os crânios da fé. Consideram-se especialistas e artistas, pois fazem da teologia o material para um canal cheio de humor e ironias, citações e críticas. Com o humor arrancam a sacralidade da fé, debocham dos que pensam divergentemente e criam o estereótipo dos pastores antenados e sem reverência pessoal. Atraem os zombeteiros, mas afastam gente séria que até crê como eles. Possuem a mensagem certa com o padrão errado, do tipo "jóia de ouro no focinho de porca".
 
HUMOR GOSPEL - Se entendermos por GOSPEL o que o termo deveria definir, PALAVRA DE DEUS, concluiremos que não é possível haver humor com a fé. A fé deve gerar reverência, temor, obediência, crença, e não risos, piadas, deboches, contrastes do ridículo, brincadeiras de mau gosto. Enquanto rimos de nós mesmos e de nossas práticas, ainda estamos no terreno do aceitável. No instante em que usamos o nome de Deus, as expressões da fé, a simulação de orações falsas ou do exercício do culto, quando adulteramos hinos de louvor pelo prazer de fazer piadas, atravessamos a tênue linha divisória do aceitável e partimos para a areia movediça que beira a blasfêmia. Lembremo-nos do complemento do versículo citado no início: NÃO TOMARÁS O NOME DO SENHOR TEU DEUS EM VÃO, PORQUE O SENHOR NÃO TERÁ POR INOCENTE O QUE ISTO FIZER... Êxodo 20.7
 
Muito cuidado! Podemos rir de nossas bobagens, de nossos erros, de nossas mazelas, de nossos absurdos, mesmo enquanto crentes. Mas no instante em que citamos a Palavra de Deus, o nome de Jesus, o poder do Espírito Santo, a Bíblia Sagrada em nossas paródias e brincadeiras, abandonaremos a comédia e entraremos na tragédia do pecado. Praticaremos o desserviço ao Senhor, promovendo publicamente a banalização do evangelho, do culto, da doutrina que confessamos e da fé que esposamos. Moisés teve que tirar as sandálias diante da sarça ardente; Josué também o fez, diante do Príncipe dos Exércitos do Senhor; Isaías pensou que seria fulminado por ter olhado para Deus e Daniel chegou a desfalecer. Como escaparemos nós, se brincarmos e zombarmos da fé cristã, sob o pretexto de fazer humor sadio e alternativo?
 
Se não houver segurança sobre onde fica o limite entre o que é lícito e o que não é em algum humor que desejamos desenvolver, o melhor é não fazer. Ouça conselhos dos crentes mais consagrados (e não necessariamente mais escolados). Eles, que andam com Deus e em comunhão, darão um parecer bastante apropriado e lhe ajudarão a avaliar o seu humor. Além disto, estude a Palavra de Deus, pois ela, que é lâmpada para os pés e luz para os caminhos, sempre apontará o caminho que glorifica a Deus.
 
Wagner Antonio de Araújo

15/11/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário