Translate

domingo, 4 de janeiro de 2015

memórias literárias - 134 - BRASIL - PAÍS PROMÍSCUO

134 -

BRASIL - PAÍS PROMÍSCUO
escrito em  06/03/2014
 
Quem acompanha o noticiário tem visto a divulgação do Brasil como sede da copa e local para férias. Causa repulsa a propaganda sexual emitida pelas companhias de turismo de diversos continentes. Vários segmentos da sociedade protestaram e exigiram mudar a temática publicitária.
 
Então vem o Carnaval, essa festa satânica e maldita. O país simplesmente tira a roupa e vai para a rua, para os bailes, para os bacanais, para o prostíbulo. As emissoras de TV faturam alto com a publicidade, pois quem não sai gosta de ver a orgia. Enquanto o mundo atravessa crises de fenomenal envergadura os brasileiros gastam tudo o que têm atrás de carros alegóricos, trios elétricos e artistas da pior qualidade que se contorcem, gritam e se despem para o delírio dos foliões. As páginas de notícias do Brasil tornam-se folhetim de bordel; os "BBB" avançam sinal após sinal, colocando sexo explícito, homossexualismo e libertinagem nas telas. Tudo o que é sensual vende muito bem nesta terra.
 
Sinto vergonha por ser brasileiro do século XXI. Não, eu amo o meu país! O meu país é a melhor terra do planeta, tem a água mais abundante *, as florestas mais completas, os rios mais caldalosos, a terra mais fértil, o povo mais pacífico, as paisagens mais paradisíacas. Mas o povo perdido e contaminado pela promiscuidade, as suas autoridades coniventes e a mídia maldita e niveladora dos bacanais arrastam a nação na dura escravidão de Baco, de Pornéia e de Freya.
 
Divulgar o quê diante da Europa, Ásia e América do Norte? O que viriam fazer aqui? Para eles o Brasil é terra de macacos e de mulheres peladas. E, infelizmente a segunda parte da afirmação torna-se verdade dia após dia. Essa libertinagem favorecida por um partido de esquerda cuja moral é a mais baixa que existe (aborto, homossexualismo, relações múltiplas, nudez sem preconceito etc) transforma o Brasil num grande zoológico de ninfetas e garanhões a correr pelas cidades, bairros, periferias, subúrbios e praias bucólicas. Sua música cheira a camas de motel, suas letras causam vômito a quem possui um pouco de MORAL (palavra banida dos dicionários brasileiros e da conduta tupiniquim) e o que deveria ser exceção torna-se regra (banalizou-se o crime hediondo, passivo ou de motivação sensual; matam-se jornalistas gays, destróem-se famílias inteiras com a violência de adolescentes e sufoca-se o idoso que gasta muito com sua manutenção caseira).
 
Não há espaço público para o clássico, para o bom gosto, para as coisas qualitativas e construtivas. Enquanto trens no exterior colocam a música clássica como acompanhamento dos passageiros, no Brasil as batidas infernais da música infame dos guetos polue trens, ônibus, TVs, rádios e internet. Enquanto o povo vai à praça pública para ouvir recitais, sinfonias, monólogos e arte, no Brasil se reúnem milhões para pular até feder, para correr atrás de mulheres, para a prostituição diante das câmeras. Bordéis caros como Bahamas tornam-se ícones de negócios bem sucedidos e por aí caminha essa terra satanizada. Um estudante de periferia sofre agruras e privações para conseguir cursar uma faculdade de segunda categoria e não terá emprego garantido ou oportunidade selada, e o seu salário será o mínimo possível. Mas se for mulher bonita e tirar a roupa em público ou se for homem com trejeitos afeminados, ou se fizer dupla para cantar imoralidades poderá fazer fortuna e tornar-se riquíssimo. Se chutar bem uma bola então... A ostentação supera a educação.
 
Contar com uma boa igreja evangélica seria o mínimo a se esperar por parte dos cristãos atentos ao pecado nacional. Porém, ao invés disso, a igreja evangélica apodrece e se degenera em religião mundana, maldita e ignorante. Os templos nunca foram tão abarrotados de gente, mas de gente inconversa. Seus púlpitos nunca tiveram tanta tecnologia e brilho, mas é o brilho de um fogo fátuo, sem conteúdo espiritual algum. Nunca houve tantas publicações bíblicas, mas elas simplesmente funcionam como adorno ou comércio, não são lidas e muito menos obedecidas. Nunca se produziu tanta música chamada gospel, mas ela não presta nem para guardar por uma semana. O chamado evangelho brasileiro abriu os limites do chiqueiro, trazendo um pastor que canta para os três porquinhos e outros que são os verdadeiros porcos, que sambam no Carnaval e que querem todos no Céu, independentemente de conversão.
 
E o que fazer? Lamentar somente não é solução. Mas é preciso denunciar. Sim, denunciar, apontar, criticar, mostrar, apologizar pela verdade. Por falta de vigias nas torres o inimigo adentra à cidade em cavalos de Tróia e fardado de soldado do reino. Entregamos os nossos seminários evangélicos nas mãos dos incrédulos e mundanos do MEC, dando a eles o poder decisório em matéria de nomenclaturas e conteúdos programáticos, em nada diferindo das igrejas nacionais da China e de outros lugares totalitários. Quem manda nos ministros religiosos contemporâneos é o MEC, que bebe do afro-ocultismo e do satanismo disfarçado. E as nossas denominações vão se esvaziando do conteúdo bíblico e cristão e se tornando sal insípido e fruta seca.
 
Conversão dos crentes, é a primeira saída.
 
E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. (2Cr 7:14)
 
Dificilmente isto acontecerá a nível nacional. Porém pode bem acontecer em pequenas regiões, em denominações menores e em cidades específicas. Não seria a primeira vez que um reavivamento de grandes proporções começaria com as orações e a consagração de uns poucos crentes. Pequeninos que fossem, seriam gigantes em Cristo.
 
Jogar fora o conceito "quanto mais mundano mais cristão" é a segunda saída.
 
E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Rm 12:2)
 
Já passou da hora dos crentes tomarem sobre si o vitupério de Cristo e assumirem a sua diferença. Diferença radical, expressa numa linguagem sã e irrepreensivel, em TVs desligadas para a maioria dos entretenimentos, em honestidade nos negócios, em justiça social, em tratamento humano de empregados, em relacionamentos familiares santificados, em paternalidade responsável e maternidade amorosa, em igrejas biblicamente fundamentadas.
 
Semear o verdadeiro evangelho, a boa semente, a bíblia, e a terceira saída.
 
Esta é, pois, a parábola: A semente é a palavra de Deus; (Lc 8:11)
 
Os crentes precisam esvaziar-se do conceito de que "todo mundo já é cristão, não precisamos evangelizar". Os carismáticos têm bíblia, os neopentecostais têm bíblia, a LBV tem bíblia, assim, não precisamos mais distribui-la. Ledo engano! Não adianta ter e não seguir, ter e não ler, ter e não obedecer! É hora de voltar a pregar O EVANGELHO, pregar A SALVAÇÃO, pregar A PERDIÇÃO ETERNA, pregar O PLANO DE REDENÇÃO EM CRISTO, pregar A MENSAGEM DO REINO. Não é mensagem para VIVER BEM, mas para SER SALVO DO PODER DO PECADO E IR PARA O CÉU. As igrejas precisam parar de desenvolver clubes de entretenimento e refundarem seus hospitais para curar o pecado da alma humana. É preciso nivelar a todos debaixo do pecado para que se possa erguer a todos com a mensagem de redenção em Cristo.
 
Para não delongar-me, encerrarei esta meditação, que nada mais é que um desabafo brasileiro de um crente que não suporta mais um país promíscuo e uma igreja "laodicéica". Só há uma frase na mente e no coração: "MARANATA; ORA, VEM, SENHOR JESUS!" Que Cristo volte logo, pois os "dias difíceis estão em pleno vapor, e, infelizmente, irão piorar.
 
Queira Deus que os autênticos cristãos continuem a testemunhar, a protestar, a proclamar, e que perseverem até a volta de Jesus.
 
Ó, Deus, tenha misericórdia do meu Brasil!
 
Wagner Antonio de Araújo
 
* quando este texto escrevi ainda não estávamos na crise hídrica do Sudeste.(nota do autor)
 

 
3. ARTIGOS DO PR. WAGNER ANTONIO DE ARAÚJO
 
4. BIBLIOTECA VIRTUAL DA OPBCB
 
5. VELHO REALEJO CRISTÃO
 
6. ARTIGOS DO PASTOR TIMOFEI DIACOV
 
7. MEMORIAL DO PASTOR JOSUÉ NUNES DE LIMA

Nenhum comentário:

Postar um comentário