Translate

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

memórias literárias - 111 - AOS PASTORES E CRENTES QUE SOFREM COM A APOSTASIA


111 - AOS PASTORES E CRENTES
 QUE SOFREM COM A APOSTASIA



"Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." (At 20:24)

São Paulo, Brasil, 09 de agosto de 2013

Tenho ouvido muitos lamentos. Lamentos de colegas que enfrentam a dormência profunda de seus rebanhos, a falta de ação e de participação da membresia nas coisas mais simples da vida eclesiástica. Ouço colegas a lamentar o vazio dos auditórios das quartas-feiras, a falta de alunos na EBD, o mínimo envolvimento da membresia nas atividades evangelísticas, o desprezo para com o púlpito tão bem preparado e organizado. Um colega confidenciou-me que na última quarta-feira esteve na igreja e pregou apenas para a sua filha, adolescente, que levara para o culto. Um outro celebrou a Ceia do Senhor para oito pessoas, uma quantia extremamente pequena de membros locais. E assim caminha a apostasia, lutando em duas frentes: fazendo o canto da sereia, encantando os incautos para o falso e maldito evangelho neoliberal, e adormecendo os poucos sobreviventes, remanescentes nessa luta hercúlea dos últimos dias. Bem previu a Palavra de Deus o que aconteceria nestes dias: "Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?" (Lc 18:8); "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;" (2Tm 4:3); "Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos." (2Tm 3:1);


Os crentes estão rendidos ao BIG BROTHER. Não a este dos programas satânicos das redes televisivas, mas ao legítimo BIG BROTHER, tão bem descrito no livro de George Orwell, 1984, em que descreve um local chamado OCEANIA, dominado por um poder totalitário, que inventou umas telas que vigiavam o povo até no banheiro e que transmitiam mensagens diuturnas, mantendo a escravidão da razão e o total controle mental da coletividade. Não havia como escapar desse domínio. Assim é o BIG BROTHER de hoje. Enquanto celebramos os nossos cultos o nosso povo está dominado por telas, por ecrâs. Com uma única diferença: lá era imposto; aqui o povo voluntariamente tem sido seduzido por ele. Este é o motivo pelo qual vemos o povo nos cultos com um celular na mão, ora "navegando" na internet, ora torpedeando alguém, ora jogando alguma banalidade, ora lendo alguma coisa, e não é a Bíblia. E a frequência aos cultos? Não podem participar porque precisam assistir ao capítulo da novela ou ver o jornal escravizante. E no final de semana? Não podem vir à EBD porque estão cansados e com sono, ou não podem estar no culto da noite porque estão estudando. E na época de férias? Eles simplesmente desaparecem, independentemente dos cargos que exercem na Causa do Senhor.  Parafraseando Jeremias, "Oh geração! Considerai vós a palavra do Senhor: Porventura tenho eu sido para Israel um deserto? Ou uma terra da mais espessa escuridão? Por que, pois, diz o meu povo: Temos determinado; não viremos mais a ti?" (Jr 2:31). Citando Jesus em sua maldição à figueira infrutífera, assemelhamo-nos a ela, quando, na expectativa de encontrar em nós frutos, o Senhor vê apenas folhas, ou desculpas. "Não posso participar porque estudo", "porque trabalho", "porque tenho afazeres domésticos", "porque é tarde", "porque tenho que estudar para a prova", "porque está frio", "Porque está quente", "porque tenho visitas", "porque estou indisposto".

Os colegas que hoje possuem bons rebanhos e estão vivendo momentos floridos devem entender que são fases e que fatalmente dias de indiferentismo sucederão estes momentos também. Não se trata de maldição ou de lamúrias, mas de realidade! Assim como os que, como eu, atravessam horas amargas de indiferentismo, poderão ser surpreendidos com grandes despertamentos. Mas creiamos: as igrejas estão contaminadas pelo desânimo de Satanás e cativadas pelo espírito das trevas.  Ao servo do Senhor cabe não apenas sofrer o agravo como dar graças e esperar pelas ordens divinas. O agravo é um privilégio: "Portanto, tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna." (2Tm 2:10). E o ministério não é nosso, é dEle.  É no serviço fiel no lugar onde Deus nos plantou que Ele mesmo nos tirará, levando-nos para outro pastorado sem politicagens, sem compadrismos, sem Q.I., sem pressa e sem renúncias. Permanecer fiel e trabalhar duro onde estiver é o segredo para uma obediência feliz à vontade do Senhor. Falo isso com conhecimento de causa: 17 anos numa mesma igreja, 22 anos de ministério ordenado e 26 de ministério prático. Portanto, a experiência e a maturidade ainda têm vez num ministério estável e confiável.

Quis dizer tudo isso para fortalecer o coração dos colegas. São provações profundas e pesadas, mas o Senhor está conosco. Nesta semana estive envolvido no culto da saudade e num sepultamento.  O velório (perdão pela palavra, mas é o lugar dos cultos no cemitério) estava repleto. Preguei e cantei, apresentando a mensagem de Cristo. Após pregar e cantar, quando saí para deixar a família no instante final de despedida, uma senhora por nome Dalva agarrou-se no meu braço e disse: "Pastor, pode trazer uma palavra para a minha mãe? Ela está sendo velada aqui ao lado e não temos ninguém para nos consolar!" Que tristeza! Lá fui eu com o meu violão e a bíblia, a cantar e pregar para os poucos familiares e amigos que se despediam de Dna. Maria Iraci. Não havia ministro disponível. Estavam atarefados demais para consolar os enlutados. O mundo jaz no Maligno. O mundo se prepara para o grande império do mal. O cenário está sendo estendido, as cortinas estão subindo. O canto do Maligno está turbando a mente dos crentes incautos e inconstantes, aqueles cujas lâmpadas, à semelhança da parábola das dez virgens, confiam no pouco azeite de suas candeias. Mas quando o Noivo regressar e a Noiva entrar, as virgens néscias ficarão; os crentes nominais também, pois não tinham a fluir em suas vidas a verdadeira comunhão dos salvos.

Ó terra, terra, terra! Ouve a palavra do Senhor. (Jr 22:29)

Portanto, assim te farei, ó Israel! E porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus. (Am 4:12)

Com amor e estima,

Pastor Wagner Antonio de Araújo
presidente da OPBCB
pastor da
Igreja Batista Boas Novas do Rodoanel, Carapicuíba, São Paulo, Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário