Translate

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

memórias literárias - 117 - DE PAPEL COMUM A LIVRO PRECIOSO

117-
DE PAPEL COMUM
A LIVRO PRECIOSO
 
Simples folhas de sulfite. Papel branco, comum, em quantidade. Nenhuma riqueza, nenhuma composição estupenda, apenas celulose em forma de folhas para escrever.
 
Coloco as folhas na impressora. Escolho um jornal célebre, o testemunho de um missionário que faleceu em 1930 (Dr. William Edwin Entzminger). Imprimo aquelas páginas todas em ordem. Tomo-as à mão. Meu Deus, que preciosidade! Não quero amassá-las, não quero borrá-las, quero que sejam zelozamente cuidadas, pois o que ali imprimi vale mais do que ouro! Sou um historiador; assim, tenho em minhas mãos o testemunho de uma vida que mudou a história por graça, permissão e vontade de Deus, um servo do Senhor do qual o mundo não era digno.
 
Eram simples folhas de sulfite. Não teria qualquer dificuldade em rasgá-las e jogá-las fora. Impressas com critério, tornaram-se valiosas, tornaram-se especiais.
 
Assim é a vida de um homem. Um simples ser humano, uma alma que vive, respira, come, bebe, dorme, anda, cresce, reproduz-se, envelhece e morre. Uma pessoa comum apenas, mais um na estatística da população mundial. Contado como gado no rebanho nacional, recebe um número, uma ficha, uma identificação social que expirará quando falecer.
 
Mas se colocado na "impressora de Deus", poderá ter gravado em sua face a própria face de Cristo! E então deixará de ser medíocre para tornar-se único, especial, valioso! Uma folha impressa por Deus traz em seu conteúdo a própria face e boca do Altíssimo. Assim o homem se torna especial pelo conteúdo, não apenas pela composição física. É o que está impresso em sua face, seu caráter, seu temperamento, sua personalidade, seu conhecimento, cultura, índole, histórico, que faz dele um ser inesquecível e especial. Deus grava nele um "novo coração", imprimindo em seu ser as Suas próprias leis, a Sua própria vontade!
 
De simples folhas de papel tornamo-nos uma obra de arte, um patrimônio, um legado! E o que é que trazemos impresso em nossa face? Talvez os rabiscos dos planos que se frustraram. Estamos mais para papel de rascunho do que documento oficial. Talvez as rasuras de palavras que não deveriam ter sido escritas e agora não podem mais ser apagadas. Talvez a história de uma vida que não se submeteu à impressora de Deus. Um papel feio, furado, sujo, amassado, mal escrito e fadado à reciclagem; como somos imortais, não à reciclagem, mas ao destino eterno escolhido. Diz-nos a Escritura: "Cada um dará contas de si mesmo a Deus" (Rm 14.2)
 
Porém, como isso é apenas uma ilustração, a boa notícia é: Deus pode tornar-nos uma nova folha de sulfite, limpinha, clara, pronta para que lhe seja impressa uma nova história, um novo texto, uma nova aparência, um novo formato! "E assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo". (II Co 5.17). Necessário, contudo, é que o homem submeta-se ao impressor: confessando os seus pecados e os maus escritos em sua história, e rogando a graça de um banho de pureza e limpeza pelas mãos do Senhor: "Purifica-me com hissope, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve." (Sl 51:7); " porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados." (Jr 31:34)
 
Na impressora de Deus a obra se torna histórica, monumental, importante. Simples homens tornam-se heróis da fé. Simples criaturas andarão com Cristo no Céu, testemunhando de Sua fidelidade e do Seu amor. Até um ladrão condenado pode ser uma folha limpa escrita por Deus, como o companheiro de Cristo no monte Calvário!"E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso." (Lc 23:42,43)
 
Coloquemo-nos na impressora de Deus e deixemo-Lo imprimir em nós a Sua Palavra, a Sua beleza, a Sua vontade, a Sua glória. Não seremos mais simples sulfite mas um livro precioso nas mãos de Deus.
 
"Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo." (Jr 31:33)
 

Wagner Antonio de Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário