Translate

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

memórias literárias - 99 - OUSAR É PRECISO


99 - OUSAR É PRECISO

Há pessoas neste mundo que são capazes de mudar a sua época e a própria história universal. São pessoas idealistas, destemidas, dispostas a não serem “mais um na multidão”, que lutam com todas as forças em prol de seus ideais, que marcam presença na galeria dos especiais.

José foi um destes homens. Conforme a narrativa fidedigna de Gênesis, este rapaz tinha ciência da grande obra que o aguardava desde menino, quando em sonhos via metaforicamente seu sucesso. Chegou a ser primeiro ministro do Egito, salvando o mundo de então duma fome extrema que afligira com crueldade e rigidez. Moisés também se enquadra nesta lista, talvez encabeçando-a na maioria dos motivos. Salvo das águas, criado no palácio de Faraó, tinha tudo para viver sossegadamente e se tornar o próximo governante. Mas preferiu abraçar a causa do seu povo, escravizado pelos egípcios e, sob manifestação divina, tornou-se o libertador. Paulo, o apóstolo, foi outro destes homens. Não se contentou em ser um rígido fariseu. Quis ser melhor que todos do seu grupo. Perseguindo a Igreja, teve um sério encontro com Jesus. Agregando-se a Cristo, passou a ser perseguido. Tornou-se o maior homem de Deus na história da Igreja. Escreveu cartas que de tal forma profundas e inspiradas pelo Espírito Santo, passaram a fazer parte do cânon bíblico, isto é, do grupo de livros reconhecidamente inspirados por Deus. E o que dizer de Samuel, o juiz-profeta, ou Ester, ou Elias, ou Josias, ou Neemias, ou Pedro, ou Apolo, ou João?

Na história pós-bíblica, encontramos também homens insatisfeitos em serem simples seres vivos. Quiseram viver ideais, e conseguiram. Já imaginaram a vida humana hoje sem Thomas Édison, o inventor da lâmpada elétrica? Por que decidiu ele inventá-la, quando todos o criticavam e não lhe davam o crédito necessário? E o que dizer de Santos Dumont, que conseguiu no seu 14 BIS realizar o primeiro vôo num veículo que hoje é o canal de interação social entre nações e cidades antes praticamente intransponíveis? E Newton, que, através duma “maçãzada” (maçã caindo na cabeça) decifrou uma das mais importantes leis do universo, a da gravidade? E Guilherme Carey, humilde sapateiro, batista que, tocado por Deus, decidiu fazer missões mundiais pela primeira vez na era moderna, quando os crentes criam que não era o desejo de Deus salvar os outros? E Wesley, que, revoltado com a frieza Igreja Anglicana da época, decidiu criar um método pelo qual o povo alcançasse a santidade, disto resultando a Igreja Metodista, cujo movimento inicial foi sobremodo importante para a Igreja de hoje?

Ficaríamos horas citando homens dignos de nota. E mulheres também. Homens e mulheres como nós, com defeitos, pecados, traumas e problemas, mas que riscaram de seu destino a seqüência mecânica da multidão (nascer, crescer, namorar, casar, gerar filhos, envelhecer, morrer). Isto fizeram alguns, mas na medida do possível, pois seu alvo era alcançar um ideal maior. E conseguiram. Certamente às custas de um esforço profundo e persistente. Quem ouve Mozart hoje desconhece que, na maioria das obras, estão literalmente ouvindo as composições de um menino especial, falecido na juventude…

Oh, leitor, não se satisfaça em ser um mero número do IBGE, um eleitor, um contribuinte do imposto de renda, um usuário dos trens da FEPASA, um cliente do supermercado, um nome na lista de consultas do médico, um membro da igreja.

Desperte para a vida, jovem! Você tem tudo às mãos para se tornar alguém realizado! Deus lhe deu a vida! Podemos viver de forma infeliz por não termos sapatos, mas o que dizer dos que não têm pés? Você toma 6 conduções por dia, mora num cubículo desconfortável, convive com a violência urbana, sobrevive com um salário de fome… Desperte! A vida não é só casamento, namoro, futebol, macarronada aos domingos! Fixe um alvo e lute por ele com todas as forças! Pare de agir massificadamente, no curso do “crescer, casar, morrer”. Ouse ser alguém! Estude o máximo que puder, sacrifique excesso de diversões, aplique-se à construção de um presente e futuro felizes. Se você semear, há de colher. Há de ter uma profissão que o torne realizado, que lhe renda sustento condigno, que traga conforto, e que lhe dê a oportunidade de mudar o mundo, ainda que o mundo se limite ao seu grupo.

Ânimo, leitor adulto! De Gaulle, líder que soergueu a França, o fez idoso! Moisés começou o ministério com 80 anos e Jesus depois dos 30. É um erro fatal considerar-se ultrapassado para a vida, imaginar-se alguém na escada rolante em direção da morte. Desperte! Estude, dedique-se a melhorar a vida, a morar melhor, a obter alegria das atividades cotidianos, a transformar seus próximos dias em desafios diários!

Acima de tudo, porém, tema a Deus. Jesus Cristo foi nosso supremo modelo, sem erros, sem pecados, sem traumas e sem ambições humanas. Seu desejo era cumprir a missão salvífica, morrendo na cruz por nossos pecados e ressurgir ao terceiro dia. E isto fez com bravura e coragem. Hoje nos salva, nos perdoa, nos liberta, se tão somente depositarmos nEle nossa fé. É isto que o leitor deve fazer, pois o temor do Senhor é o fundamento da sabedoria. Edifique sua vida nesta base, e ouse ser um ser humano que marque a história, imprimindo sua contribuição de vida.

Não teremos entre nós o inventor do disco voador, ou da cura do câncer, ou da AIDS, ou do método de ensino mais eficaz, ou o missionário que ganhará a Índia ou o mundo para Cristo?Quem será você?…

Wagner Antonio de Araújo, 2001
bnovas@uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário