Translate

quinta-feira, 11 de junho de 2015

memórias literárias - 206 - VIVENDO COMO RESSUSCITADOS


VIVENDO COMO
RESSUSCITADOS
206
SERMÕES - Série “INVERNO 1997”                             Número 10

Título: VIVENDO COMO RESSUSCITADOS
Texto bíblico: Colossenses 3.1-4

PROPOSIÇÃO
O VERDADEIRO CRISTIANISMO É VIVO, E APONTA QUATRO CAMINHOS QUE EXPRESSAM ESTA REALIDADE, DEMONSTRANDO QUE, SE MORREMOS EM CRISTO, RESSUSCITAMOS COM CRISTO, OCUPAMOS NOSSOS PENSAMENTOS COM AS COISAS LÁ DO ALTO E VIVEMOS AQUI PARA DEUS, MANTENDO A NOSSA VIDA GUARDADA EM CRISTO.

INTRODUÇÃO
1) Na quinta-feira santa, em todas as igrejas católicas romanas, celebrou-se o Santíssimo Sacramento, onde se leva em procissão a hóstia consagrada até o sacrário, colocando-a ali para ser adorada; é o Cristo Morto.
2) Sexta-feira santa é celebrada a Sua morte: colocam-se tecidos de luto nas imagens oficiais e adora-se a imagem do suposto cadáver de Jesus.
3) No domingo as missas enfatizam a ressurreição, mas o objeto de adoração continua morto e inanimado: é o império do Cristo Morto.
4) Ao vivermos uma religiosidade sem piedade e vida, demonstramos igualmente um cristianismo morto e inerte.
5) Paulo, o apóstolo, aponta “Caminhos de Vida” para aqueles que escolhem voluntariamente a Jesus Cristo, demonstrando que o verdadeiro cristianismo é vivo.
6) Vejamos o que é necessário para o império do Cristo Vivo:

I - O CRISTÃO MORREU EM CRISTO (v. 3)
1) Não se trata de um ideal, uma busca, uma tentativa ou um treinamento.
2) Ninguém treina para morrer; a morte cuida de neutralizar a vida.
3) Neste caso, o cristão morre para a velha vida, e esta se esconde em Cristo, como uma rosa nas páginas de um livro.
4) O que é morrer para o mundo?
a) É nascer de novo (João 3), eliminando a velha natureza.
b) É considerar-se crucificado com Cristo (Rm 6.6-8; Gl 2.19-20)
c) É não ser dominado pelas obras da carne, antes, ter domínio sobre elas (Gálatas 5.19-21), pois o crente verdadeiro não vive caindo nestes pecados (I João 3.8-9)

II - O CRISTÃO RESSUSCITOU EM CRISTO (v. 1)
1) Não se trata de um ideal, uma busca, uma tentativa ou um treinamento, mas de um milagre inexplicável, uma transformação.
2) Um cadáver não se move, não anda, não vê, não ouve, não sente.
3) Ressuscitar é voltar à vida, é sentir, andar, mover-se, ouvir, agir.
4) Ao morrermos em Cristo, perdemos a velha vida e ganhamos uma nova, real, limpa, um novo capítulo para o livro de nossa existência, uma ficha limpa, um novo coração!
5) O que é ressuscitar em Cristo?
a) É mudar de vida, é ser nova criatura (II Coríntios 5.17)
b) Há inúmeros casos de conversão de não crentes (Pr. Aníbal, Testinha, Dna. Cida macumbeira, o bêbado Victor, o sambista Ademir, etc.). e de religiosos de igreja (vários adolescentes de acampamento, pessoas que se renovam no Espírito Santo).
c) É estar crucificado (morto) para o mundo e seus interesses, e o mundo também morto para si (Gl 6.14)

III - O CRISTÃO PENSA NAS COISAS DO ALTO (vs. 1,2)
1) O que é pensar nas coisas daqui de baixo?
a) É viver no egoísmo: o que eu quero, o que eu gosto, eu escolho, eu julgo, eu mando, eu sou melhor.
b) é ter raízes aqui: apegar-se à casa, ao carro, aos cargos, ao dinheiro, aos bens móveis ou imóveis.
c) É viver em busca de prazer: divertimentos, orgias, bebidas, bailes, vícios, drogas, fofocas, idolatrias (times, partidos políticos, empresas, denominações, etc.), prostituição, etc.
d) É dar restos a Deus e o melhor par si mesmo.
2) O que é pensar nas coisas lá do alto?
a) É dar prioridade ao Reino de Deus (Mt 6.33)
b) É cumprir o grande e primeiro dos mandamentos (Mc 12.28-31)
c) É meditar e cumprir na vida a Palavra de Deus (Josué 1.7-8)
d) é encher a mente de coisas que edificam (Fp 4.8)
3) Somos exortados a manter os pensamentos sob o ponto de vista de Deus, pois temos a mente de Cristo (I Co 2.16).

IV - O CRISTÃO TEM SUA VIDA ESCONDIDA EM CRISTO (3b-4)
1) Um cristianismo meramente positivista, com respostas “Aqui e Agora”, que só cura, pacifica e dá novos costumes não é bíblico.
a) Há muitos que o buscam para ficarem ricos, para conquistar um amor, para derrubarem barreiras profissionais.
2) Não esperamos apenas nesta vida, mas aguardamos a grande ressurreição (I Coríntios 15.19,23)
3) Aqui estamos sujeitos às guerras, à fome, às perseguições, às doenças, às injustiças, ao martírio.
4) Se o Reino de Deus em nós estivesse completo, o que seria dos mártires e dos que se convertem em estado avançado?
5) Tiago, morto à espada, as esposas de Hudson Taylor, mortas em campo missionário (esposas - casou-se com outra após viúvo), John Paton, William Bagby, os mártires do I século (Pedro, Paulo, Estêvão e outros)
6) Nós não somos mais deste mundo (João 15.19) - o mundo ama vocês?
7) Nossa vida está escondida em Cristo, como uma rosa em um livro, uma foto especial em nosso diário, um nome numa medalha, um DNA de alguém.
8) Quando Cristo voltar e nos ressuscitar, e nos julgar, e nos glorificar, então nossa vida mais clara se levantará que o meio-dia.
9) Hoje vivemos na fé do Filho de deus (Gl 2.20)

CONCLUSÃO
1) Não se pode viver a felicidade cristã sem morrer para o mundo e nascer de novo.
2) Reconhecer seus erros, arrepender-se de coração e crer inteiramemte no sacrifício do Senhor é o caminho.
3) Renove a sua vida, nasça de novo, desperte a sua fé, fazendo desta Páscoa a sua própria ressurreição!

Wagner Antonio de Araújo - Pregada na Igreja Batista em Bela Vista, após licença médica, em 1996

Nenhum comentário:

Postar um comentário