Translate

segunda-feira, 8 de junho de 2015

memórias literárias - 200 - A EXCELÊNCIA DO MINISTÉRIO PASTORAL

 Excelência do Ministério Pastoral
1 Timóteo 4.14-16
200


TEXTO BÍBLICO: I TIMÓTEO 4.14-16:"Não negligencies o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Ocupa-te destas coisas, dedica-te inteiramente a elas, para que o teu progresso seja manifesto a todos. Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas. porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem."

INTRODUÇÃOO maior problema deste mundo na atualidade não é a carestia, nem o sistema político, nem a imoralidade. O problema mais grave é a falta de Deus entre os homens. Diz Salomão que o principio da sabedoria é o temor do Senhor. Logo, se não há temor do Senhor, conclui-se que a sociedade moderna sofre de ignorância e falta de entendimento. As televisões gastam milhões em entretenimento, para dar ao homem moderno algum paliativo ao grande vazio de seu coração. As revistas publicam cada dia mais coisas imorais, indecentes, para poderem ter algum lucro. Os corruptos permeiam as altas camadas sociais, e as falsas religiões oferecem mil e uma soluções para os problemas do homem, sem que estas mesmas soluções passem por um caminho de conversão e retorno ao Criador.

Somente um ministério pastoral respeitável e acreditável poderá dar ao mundo a confiança necessária ao Evangelho. Há centenas e milhares de pessoas que se auto-rotulam pastores, mas que deixam tudo a desejar no que concerne a um cristianismo autêntico. Uns criam suas próprias doutrinas e, com um pouco de barulho, conseguem se infiltrar nas camadas mais carismáticas do cristianismo. Outros valem-se do statusque a função concede diante das pessoas, para aproveitarem-se da boa fé popular. Outros não fazem jus à humildade, à simplicidade, à consagração, peculiares à vida de um ministro cristão, e por isso descaracterizam o pastor ante a igreja. Necessário se faz que o pastor seja alguém respeitável e acreditável, alguém em quem o povo identifique um autêntico arauto do Reino, um atalaia do céu, um representante de nosso Senhor Jesus Cristo entre os homens, um profeta, um homem de Deus.

Hoje a Ética tem estado em alta. Procura-se Ética na política. Procura-se Ética profissional. Há de se desejar na vida de um pastor a Ética pastoral, que certamente deverá ser credenciada por um chamado divino real e autêntico para tal missão. Ninguém é pastor por vontade própria. Fosse um ofício meramente profissional, então teríamos inúmeros pastores técnicos apenas. Fosse uma fonte de lucros, teríamos lideres de igreja milionários. Fosse fonte da fama, os obreiros ocupariam os bancos dos entrevistadores da imprensa. O pastorado não é nem oficio humano, nem fonte de riquezas materiais, nem meio de alcançar a fama. O pastorado é a obediência de um servo de Deus à chamada, à vocação, à incumbência dada por Deus para deixar tudo, deixar ambições, deixar o luxo, deixar a vida privada, para se dedicar à pregação do Evangelho, ao ensino da Palavra de Deus, ao aconselhamento do povo cristão, à divulgação e preservação da sã doutrina. E isto não se fabrica. Somente a chamada divina pode dar poder ao pastor.

Se ser pastor é algo tão excelente, o que o torna tão excelente assim?

I - A EXCELÊNCIA PELO CHAMADO

Ser pastor é um dom, uma dádiva, uma capacitação divina para o serviço do Senhor na igreja. O Espírito Santo é o responsável em capacitar cada crente para melhor servir a Deus na Igreja de Jesus Cristo. A Igreja é comparada ao corpo humano, e, como acontece em nosso organismo, cada parte é responsável por alguma função vital. Assim na igreja Ele dota indivíduos para realizarem obras vitais, visando o crescimento e edificação do Rebanho de Deus. O pastor é um homem vocacionado por Deus para servir ao Senhor na Igreja. Tal dom não traz mera fama, proeminência ou vantagens, mas sim responsabilidade dupla, tanto em cuidar de si próprio como em cuidar dos demais crentes daquela igreja, servindo-lhes de pastor.

Pastor, presbítero, ancião, bispo e epíscopo - são títulos que caracterizam as responsabilidades de superintender a igreja e cuidar espiritualmente do rebanho. O pastor continua a obra iniciada por Jesus e continuada pelos Seus apóstolos. Ele ensina, lidera, administra, superintende, ajuda, aconselha, exorta, repreende, orienta e encaminha. Como é sublime este oficio divino! Enquanto as profissões cuidam das coisas referentes a esta vida, o pastor cuida de almas eternas, de vidas que valem mais que o mundo inteiro! Pudessem os pastores contemplar a sublimidade de sua vocação, sentiriam arrepios pela importância de seu trabalho na Causa de Cristo!

"DOM QUE HA EM TI" - Ao ser chamado ao ministério pastoral, o Espírito Santo implanta no coração deste crente o dom celestial, que o transforma, que o torna sensível ao trabalho de Deus. O pastor não se faz no banco de uma faculdade, ou por muitos conselhos recebidos. Ambas as citações são validas, mas nenhuma implanta o dom. Somente Deus coloca no peito de um homem o dom de pastor. Dom que o torna capaz de suportar as maiores adversidades, as mais duras lutas, as mais terríveis perseguições. Jamais o inimigo poderá tirar de seu peito o dom que o Espírito Santo implantou em seu coração.

"DADO POR PROFECIA" - Ser pastor não ocorre apenas no íntimo de uma pessoa. A igreja também entende e detecta tal dom na vida do obreiro. Primeiramente Deus prevê, isto é, através da pregação, do apelo missionário, do apelo vocacional, Deus chama um homem ao ministério. Ele decide dedicar sua vida ao pastorado. Isto foi algo interior no coração dele. Mas, com o tempo, sua vida vai apresentando características importantes, que o identificam como pastor: desejo de pregar, bom conselheiro, dedicado obreiro na igreja, amor pelas almas perdidas, prioridade aos negócios do Reino de Deus, amigo de todos, auxiliar do pastor naquilo em que ele precisar, enfim, sua vida não é capaz de deixar de expressar seu amor por Jesus, pela Igreja e pelo ministério. A igreja vê-se obrigada a concluir que ele foi chamado para ser pastor. Então, juntamente com tal reconhecimento, a igreja investe nos seus estudos, no seu preparo. Ela sabe que pastorado não é profissão com fins comerciais, que tudo o que ele aprender será para o próprio serviço de Deus. Portanto, investe com prazer em seu preparo.

"IMPOSIÇÃO DE MÃOS DO PRESBITÉRIO" - Sublime momento em que a igreja verÁ a consagração de um novo pastor na Seara do Senhor! Tive a oportunidade de ajudar a consagrar um pastor ontem, na cidade de Franco da Rocha, SP. Meu ex-colega Carlos tornou-se pastor. Nós, obreiros mais antigos, à convite da igreja, examinamos o candidato, que foi unanimemente considerado apto. Então estendemos nossas mãos e o consagramos pastor. Que momento inesquecível na vida de um pastor! Dia em que somos identificados com os apóstolos de Jesus, dia em que somos contados entre aqueles que cuidam do Rebanho de Deus! Esta é a imposição de mãos do presbitério, que reconhece, oficializa e entrega o obreiro.

Se o consagrado é um pastor chamado, então existe em seu peito uma chama que arde, um fogo consumidor, que o impele a evangelizar, a pregar, a cuidar do Rebanho de Deus. Algo inexplicável, algo que vem do Espírito Santo. A um não-chamado, igreja é um enfado, uma canseira, um problema sem solução. A um pastor, a igreja é a noiva de Cristo, o Rebanho de Deus, e ele ama este trabalho. Ainda que mude de rebanho local, a Seara é grande, e cuidar dela é seu lema, seja onde o Espírito Santo enviá-lo. Por isso prega com gosto e com paixão. Por isso administra a igreja em todas as suas necessidades, por isso fala de Jesus aos perdidos.

II - EXCELÊNCIA PELA MENSAGEM

"TEM CUIDADO DA DOUTRINA" - Doutrina é ensino, é educação, é evangelização. Doutrina é um conjunto de ensinamentos, de orientações, de maneiras de se entender a vida e suas implicações. A doutrina de Deus está contida na Bíblia, e esta deve ser a única regra de fé e prática na vida de um pastor, e na vida de uma igreja. Cabe ao pastor ter cuidado desta doutrina. Cabe ao pastor zelar dela, pregá-la, defendê-la das perversões, das falsificações, das diluições.

Ao pastor cabe propagar a Palavra de Deus em toda a sua plenitude, à tempo e fora de tempo, em sua totalidade. Sua palavra deve vir de encontro às necessidades humanas. As famílias atuais não têm padrão a seguir. Cabe ao pastor apresentar o plano de Deus para a família. Também não há normas morais. Cabe ao pastor apontar o norte, o caminho, a orientação. Sua mensagem muitas vezes há de ser solicitada, por pessoas desorientadas e carentes de ajuda. Outras vezes a rejeitarão, considerando-a inconveniente. Mas ao pastor cabe jamais intimidar-se por tais opiniões. Ensinar, ensinar, ensinar. Pregar, pregar, pregar. Se consideram Cristo um líder, deve o pastor mostrá-lo como o Filho de Deus, o Rei dos reis. Se apontam Deus como alguém que no sétimo dia cansou-se de ser Criador, como mostrou uma propaganda de jornal, deve o pastor resgatar-Lhe a majestade, a sublimidade, a onipotência, o respeito devido. Se transformam-no numa energia, deve o pastor demonstrar Sua gloriosa personalidade. Não esperem que os políticos preguem sobre Deus. Não esperem isto dos programas de auditório, dos jornalistas, dos chefes de estado. Somente o pastor pode influenciar toda uma sociedade com sua mensagem cristalina, baseada na Bíblia e no poder do Espírito Santo.

Os grandes pregadores do passado conseguiram alterar o destino de seu povo, fazendo do púlpito o atalaia, o guardião, o mensageiro celestial. Inúmeros exemplos disto encontramos na história da igreja. Wesley na Inglaterra, Moody nos Estados Unidos, Shoo na Coréia. Homens que conseguiram reverter questões importantes em seus países. Alguns chegaram a fechar cinemas e teatros, dado o índice de conversões mediante suas pregações. Paulo entre os gentios, Isaias na corte judaica, Daniel em Babilônia, Moisés entre os hebreus, e nossos pastores em nossos bairros.

Cabe ao pastor pregar a Bíblia como instrumento divino na transformação do homem, e não mero compêndio de discursos mortos. A Bíblia pode ser um desastre nas mãos de um não-crente. Porém, nas mãos de um crente e, com destaque, nas mãos de um pastor autêntico, pode alterar o rumo das vidas. Veja-se o poderoso trabalho de A CRUZ E O PUNHAL, onde Wilkerson conseguiu ganhar uma gang americana para Cristo, e fundar o maior trabalho anti-drogas, o Desafio Jovem! Vejam os Atletas de Cristo, infiltrado nos campos pervertidos da carreira esportiva, transformando vidas para Deus! Veja os Gideões Internacionais, unindo os homens de negócio na impressão de Bíblias para o mundo! Tudo isto começou com algum pastor que soube usar da palavra, soube estar submisso ao Espírito, soube colocar seu coração em seu ministério!

III - EXCELÊNCIA PELO PODER

"SALVARÁS TANTO A TI MESMO, COMO AOS QUE TE OUVEM" - O Evangelho é a única mensagem que tem poder de salvar o homem, e o pastor é o principal porta-voz. Dizemos única mensagem, porque todas as outras não dão ao homem a certeza que o evangelho proporciona. Ao católico, necessários se fazem o batismo, para tirar a situação pagã, a comunhão, para colocá-lo no Reino, a extrema unção, entregando a alma, as missas de sétimo e trinta dias, para livrá-lo do purgatório. Já no espiritismo não adianta arrepender-se. Necessário é reparar o mal feito. Segundo eles, ao chegar ao reparo, mas fazer alguma coisa que atrapalhe, corre-se o risco de regredir muito do que se caminhou nas existências supostas. Mas no Evangelho, Aleluia!, além de não haver outras vidas, e além de não existir purgatório, consegue-se situação infinitamente melhor, pois aquele que entrega seu coração a Jesus Cristo, ganha dele o perdão de todos os pecados, pois já foram pagos na cruz do Calvário. Um pastor deve vigorosamente apresentar esta mensagem bíblica, eficaz e divina ao povo!

Há poder de salvar esta geração da corrupção, os casamentos, as instituições, a dignidade nacional. Cristo é a solução, e cabe ao pastor aplicar o ensino de Cristo ao seu povo. Cabe ao pastor ser modelo, ser exemplo bem-sucedido de evangelho vivido, e mostrar à sua geração a verdade de Deus e praticidade do evangelho. Ao pastor não cabe lamentar o tempo presente, mas sim cuidar para que no tempo presente Cristo seja o Senhor.

Não há livros que salvem, nem psicólogos, nem reformatórios, nem drogas. Somente um pastor cheio do Espírito Santo pode salvar o povo perdido, trazer luz às trevas, trazer água ao sedento, trazer descanso ao cansado, trazer paz às guerras, trazer pureza à corrupção, trazer vida aos mortos. Eis a Obra de um pastor!

IV - EXCELÊNCIA PELA SANTIDADE

"PARA QUE O TEU APROVEITAMENTO SEJA MANIFESTO A TODOS". O pastor deve ser conhecido não pelo terno que usa, mas pelo homem de Deus que se encontra dentro de seu terno. E certo que o hábito não faz o monge, mas igualmente certo que o veste. Porém, o hábito nada seria sem um monge, assim como o ministério pastoral nada é sem um homem que faça da santidade sua filosofia de vida. Deve o pastor ser conhecido pela sua postura diante do povo, pelas palavras sadias que diz, pelo comportamento íntegro junto à família, amigos e sociedade. Principalmente pela maneira de se conduzir diante de Deus.

Sua vida social, familiar, política, estudantil, pessoal, devem testemunhar de sua íntima comunhão com Deus. Assim como há modelos nas indústrias, através dos quais as peças são formadas, assim o pastor deve ser um modelo. No trato para com o povo, impecável. Na moral, inacusável. Na administração e conduta familiar, magnífico. Nas funções seculares, exemplar. Na vida devocional, extremamente dedicado. No amor cristão, um padrão. O pastor é o foco das atenções do rebanho, e, como tal, deve fazer jus à posição em que Deus o colocou. Infelizmente vivemos uma época em que a vida pastoral tem perdido a credibilidade, pois muitos pastores deixam-se envolver pela irreverência, pela frivolidade, pela superficialidade. Contudo, é tempo de retornar à sobriedade e reverência da vida pastoral. O reverendo deve fazer jus ao titulo.

Um exemplo aos fiéis: é a resposta que devemos dar sobre o nosso pastor. Ao transitar pelas ruas, ao dar graças às refeições, ao tratar com inimigos, ao educar filhos, ao lidar com as crises, deve o pastor ser qual astro a brilhar, um cruzeiro ao viajor, um raro exemplar de cristão autêntico. Deve, no dizer de Paulo, recomendar que o imitem, pois ele mesmo imita a Cristo. Que tamanha responsabilidade!

CONCLUSÃO

Reconheça hoje que há algo mais no coração de um pastor que um simples desejo de liderar. Há um dom de Deus, há um chamado divino, há uma mensagem poderosa, há um poder celestial, há uma santidade maravilhosa! Foi Deus quem chamou o pastor, quem o colocou à frente de uma igreja, quem lhe deu  a graça de ser despenseiro da Palavra de Deus. Reconheça a excelência do ministério pastoral.

O pastor é um homem, sujeito às mesmas tentações e provações que qualquer cristão. Ele precisa de suas orações. Ore para que Deus lhe confirme sempre o chamado, tanto à igreja quanto para si próprio. Ore para que as tentações não lhe façam sucumbir: tentações do orgulho, da presunção, da preguiça, do poder em demasia, da irresponsabilidade, da falta de comunhão com Deus. Saiba que o pastor está sujeito a cair nestas armadilhas de Satanás, e, como está à frente do rebanho, pode prejudicar toda a igreja. Como é importante a oração de um crente! Porém, ao invés de tentações, pode o pastor ser vitima das afrontas, das perseguições, dos homens que não suportam a Palavra de Deus. Ore por Ele, para que não sucumba, para que não se sinta derrotado, para que não perca a visão de Deus, para que mantenha-se firme, à disposição do dono da Seara. Sustente o pastor em oração.

Ore para que Deus envie mais obreiros para a Seara. Quantos campos brancos para a ceifa, e não há quem pregue, e não há quem se disponha a trabalhar, e não há quem diga a Deus: "Eis-me aqui, envia-me a mim".Pode ser que o Senhor esteja chamando a você, amigo, não importa que idade tenha. O chamado de Deus começa no peito de alguém que sente um impacto, uma dor, um desejo de fazer algo e cerrar fileiras com aqueles que aceitaram o chamado. Estaria Deus falando-lhe ao coração?

Siga o exemplo de seu pastor. Observe-lhe a conduta. Aplique-a à sua vida. Siga-lhe as pisadas, ouça-lhe as palavras, oriente-se para ser um cristão melhor. O maior presente na vida de um pastor é observar o seu rebanho amando e obedecendo a Deus. Ver crentes consagrados, recebendo bênçãos e ganhando outros para Cristo, é o maior presente em vida que um pastor pode receber! Faça isto!

Que Deus conceda aos seus ministros a visão excelente do ministério pastoral para o qual os vocacionou.

Pastor Wagner Antonio de Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário