Translate

sexta-feira, 7 de julho de 2017

memórias literárias - 467 - A LONGANIMIDADE - SÉRIE: O FRUTO DO ESPÍRITO

467
A LONGANIMIDADE
 
Série: O FRUTO
DO ESPÍRITO

 
 
Olá! Aqui é o Pastor Wagner Antonio de Araújo

Encontramos o seguinte texto na Palavra de Deus: Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, domínio próprio. (Gl 5:22)
Já meditamos sobre o que significa fruto do Espírito e os três primeiros gomos deste fruto: amor e alegria, paz. Hoje falaremos sobre o quarto: longanimidade.

A própria palavra dá a dica sobre o seu significado: longanimidade significa ter longo ânimo, ânimo extenso, duradouro, como um elástico que estica bastante. Trata-se de uma característica gerada pelo Espírito Santo no coração de um crente e não de característica de nascença. Há pessoas que nascem fleumáticas, tranqüilas, difíceis de ter alteração de humor. São os povos anglo-saxônicos, povos de origem celta, germânica. Já os latinos (italianos, espanhóis, portugueses) possuem um temperamento quente, manifestam as emoções de forma ampla e ruidosa. O mesmo fogo que acende um graveto em segundos leva dezenas de minutos para incandescer um tronco grosso de árvore.  Se o gomo do fruto do Espírito, citado acima, fosse algo de nascença, então seria herança humana, da velha natureza, e não gerado pelo Senhor.

E qual a diferença da longanimidade gerada por Deus? Ela existe no coração de todo crente, seja ele latino ou não. Ela invade o coração de todo homem que se entrega a Jesus e o transforma em alguém que pacientemente aguarda o momento certo, a hora certa. Não importa a origem e não importa como era no passado: em Cristo podemos apresentar essa característica de ânimo imbatíel!

Lembro-me de como eu era antes da conversão: absolutamente impaciente, desejando que tudo acontecesse na hora. O meu pai deu-me um pedaço de terra para plantar feijão no jardim e eu plantei. No dia seguinte desenterrei os feijões, para ver se já haviam nascido, se tinham raízes. Claro, matei-os todos! Eu era assim. Quando Cristo me transformou, passei a esperar a hora certa, o tempo certo e a compreender que nem tudo poderia acontecer no tempo em que eu quisesse. Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. (Ec 3:1).
Quando temos Jesus em nosso coração aprendemos a aguardar o tempo certo. Deus opera em nós a calma, a paciência, a misericórdia. Para quem já é tranqüilo talvez não perceba a diferença que houve após a conversão. Mas para pessoas como eu, as diferenças são profundas. Longo ânimo para não sucumbir em meio às lutas, provações, dificuldades, enfermidades, crescimento, desenvolvimento. Deus acalma o nosso coração para esperar a hora certa.

Tem o amigo ouvinte ou leitor a longanimidade presente em seu coração? Ela é fruto do Espírito Santo em seu coração? Aleluia! Se não tem, receba a Cristo como Senhor e salvador e experimentará uma transformação profunda, que levará embora o constante pavio curto  e fornecerá o ânimo dobrado para atingir os seus propósitos.

Que Deus nos abençoe!

Wagner Antonio de Araújo

05/07/2017
 
(mensagem especialmente preparada para a EBAR - Escola Bíblica do Ar, à convite de sua diretora, irmã Ana Maria Suman Gomes).

Nenhum comentário:

Postar um comentário